Pastor preso há 500 dias na Turquia sem ter sido condenado

Pastor Andrew Brunson
Pastor americano é mantido em prisão turca. Foto: ACLJ

Presidente turco, Recep Erdogan, teria indicado que liberdade do pastor Andrew Brunson depende de Washington entregar Fethullah Gulen. O clérigo muçulmano, que está nos EUA, é rival de Erdogan.

O pastor norte-americano Andrew Brunson está preso há mais de 500 dias na Turquia, sem ter sido condenado. O “American Center for Law and Justice” (ACLJ) – em português, Centro Americano de Direito e Justiça – está trabalhando arduamente no seu caso. CeCe Heil, conselheira executivo da organização sem fins lucrativos, informou que o Brunson continua sendo apenas um suspeito de crimes e que nenhuma acusação foi proferida.

Segundo ela, as acusações contra o pastor vão desde a adesão a uma organização terrorista armada até espionagem e tentativa de derrubado do governo. “Reivindicações tão ridículas contra um pastor inocente”, ressaltou.

De acordo com a lei turca, Brunson pode permanecer na prisão por sete anos sem ser acusado. Testificando na audiência da US Helsinki Commission no final do ano passado, a conselheira disse: “O pastor Brunson mantém sua inocência e nega todas as acusações”.

 

Turquia exige troca
Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. Foto: Bom dia Europa

No ano passado, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, pareceu indicar que o pastor só será liberado quando Washington conceder à Turquia um clérigo muçulmano que está nos EUA, Fethullah Gulen, rival de Erdogan.

Recentemente, o presidente Erdogan declarou: “um clérigo para um clérigo ou um pastor para um pastor”, disse Heil. “Você tem Fethullah Gulen, temos Pastor Brunson. Vamos fazer uma troca”.

A Turquia buscou a extradição de Gulen, ex-aliado do presidente turco, e cujos defensores foram responsabilizados por tentar derrubar o governo de Erdogan em 2016.

“Certamente parece que o pastor Brunson se tornou um peão político”, diz Heil. “Ele viveu 23 anos na Turquia sem qualquer incidente, sem nenhum problema. Depois da tentativa de golpe fracassada em julho de 2016, ele de repente foi preso como ameaça de segurança nacional e permanece na prisão”, continuou. Mas ela não acredita que os EUA concordem com o acordo.

Cece Heil, conselheira. Foto: Linkedin

Heil informou que o presidente Donald Trump pediu repetidamente a liberação de Brunson. Além disso, na semana passada, ela disse que o secretário de Estado, Rex Tillerson, se encontrou com Erdogan e o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, e novamente pediu que o pastor fosse libertado.

Enquanto isso, Heil convida as pessoas a orar por ele, e também incentiva a agir assinando uma petição do ACLJ, “Free Pastor Andrew”, que tem mais de 427 mil assinaturas até agora.

“Isso é muito útil. Como falamos com o nosso governo, com o governo turco e o governo europeu, mostrar a grande quantidade de pessoas que têm seus olhos sobre este assunto, preocupadas com o pastor e exigindo sua liberação é muito importante”, conclui a conselheira.

Pastor escreve à esposa

O ACLJ relata que o pastor mandou uma nota sincera para sua esposa, por meio de um funcionário da embaixada este mês de fevereiro. “Estou muito desencorajado. Por favor, ore por mim”, escreveu Andrew. “Eu te amo – não consigo lidar com o pensamento de envelhecer neste lugar, sem você”.

Assine a petição

Petição para liberação do pastor Brunson


Com informações do CBN News