30 C
Vitória
terça-feira, 7 abril, 2020

Afazeres domésticos ainda é território feminino, aponta IBGE

- Continua após a publicidade -

Mais lidas

PIB da China deve ter no 1º trimestre a primeira queda em 40 anos, diz estudo

O Produto Interno Bruto (PIB) da China deverá registrar no primeiro trimestre a sua primeira queda em quarenta anos, mostra o estudo "Perspectivas do Desenvolvimento Econômico Chinês pós-Covid-19 e impactos para a economia brasileira"

Plataforma Inteligente no combate ao coronavírus no ES

O Centro de Comando e Controle para Ações e Prevenção ao Coronavírus no Estado do Espírito Santo lançou uma Plataforma Inteligente contra a Covid-19. Saiba mais!

Rainha Elizabeth II: “dias melhores virão”

Em 68 anos de reinado este foi o quinto discurso realizado por Elizabeth II, que destacou o esforço dos profissionais do sistema público de saúde na luta contra o covid-19

Igrejas de Cuba terão espaço na televisão nacional

Os evangélicos cubanos de diferentes denominações haviam compartilhado através das redes sociais um pedido dirigido ao Instituto Cubano de Rádio e Televisão (ICRT) , para incluir conteúdo cristão em sua programação regular.

Somente em um tipo de tarefa doméstica os homens dedicam mais horas do que as mulheres

As mulheres dedicaram, em média, 21,3 horas por semana com afazeres domésticos e cuidado de pessoas em 2018, quase o dobro do que os homens gastaram com as mesmas tarefas – 10,9 horas. É o que revela o suplemento Outras Formas de Trabalho da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgado nesta sexta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A situação no mercado de trabalho também pouco impactava na jornada doméstica feminina. Mesmo trabalhando fora, a mulher cumpria 8,2 horas a mais em obrigações domésticas que o homem também ocupado. A diferença era ainda maior entre homens e mulheres desempregados. Nessa condição, elas trabalhavam 11,8 horas a mais que eles.

Segundo a pesquisa, estima-se que 87% da população com 14 anos ou mais realizaram afazeres domésticos e/ou cuidado de moradores ou de parentes em 2018, o que representa 147,5 milhões de pessoas. Essa incidência era maior entre as mulheres, 93%, do que entre os homens, 80,4%.

Os dados também mostraram que na condição de cônjuge ou companheira, as mulheres trabalhavam ainda mais, chegando a alcançar 97,7% delas, enquanto entre os homens, na mesma situação, a incidência foi de 84,6%.

“Observando os últimos três anos, houve um crescimento da participação masculina no trabalho doméstico, porém, as mulheres continuam sendo maioria e dedicam mais horas mesmo em situações ocupacionais idênticas a dos homens. Isso revela uma realidade distante na equiparação de tarefas no domicílio”, comenta a analista da pesquisa, Maria Lúcia Vieira.

Das sete atividades pesquisadas em afazeres domésticos, a mulher foi maioria em seis. Cozinhar foi a tarefa com a maior diferença entre os sexos, com incidência de 95,5% entre as mulheres e 60,8% entre os homens. A presença masculina foi maior apenas em “fazer pequenos reparos no domicílio” – 59,2% entre eles e 30,6% entre elas.

A mulher também era maioria em todas as cinco atividades pesquisadas em cuidado de pessoas, que leva em conta a responsabilidade por crianças, idosos ou enfermos. A diferença entre homens e mulheres era maior em atividades como auxiliar nos cuidados pessoais e educacionais e menor em ler jogar ou brincar e transportar ou acompanhar em escola, médico e exames.

“A diferença entre sexos no cuidado de pessoas não se mostrou tão discrepante quanto em afazeres domésticos, mas a mulher, além de cumprir mais tarefas, também tem peso muito maior em obrigações mais essenciais nos cuidados do dia a dia”, finaliza a analista do IBGE.

*Da redação com informações do IBGE


Leia mais

Emoções e doenças podem estar ligadas à saúde bucal

- Continua após a publicidade -

Revista Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Live: “As perguntas cruciais a serem respondidas na crise”

Um dos 25 melhores CEO’s dos EUA, Craig Groeschel fará nesta quinta-feira (02), às 10h30, uma Live exclusiva para o Brasil com tradução simultânea

Vigília online ‘Há uma Luz’: um clamor contra o covid-19

Para levar paz e esperança à população afetada pela pandemia global da Covid-19, a plataforma cristã, InChurch, organizou a vigília online “Há uma Luz” nesta quarta (1º).

26 de março: live – Como inovar na igreja em tempos de disruptura

Nesta quinta (26), as 19h, vai acontecer a primeira live da série "O efeito da liderança na crise” com Josué Campanhã, diretor da Envisionar e Thiago Faria

Novo Som faz show online

Devido a quarentena por causa do coronavírus, a banda vai estar ao vivo no sábado (28) a partir das 20h. Será transmitido pelo Instagram e Facebook

Receber notícias

Gostaria de receber notícias em primeira mão? Assine gratuitamente agora:

Plugue-se

Vencendo o medo é tema de campanha da SBB

Nesses tempos difíceis que o Brasil e o Mundo têm enfrentado, a Sociedade Bíblica do brasil quer levar Esperança às pessoas. Por isso, foi lançada a campanha de evangelização "Vencendo o Medo", com o objetivo de compartilhar a Palavra de Esperança.

Danilo Franco traz o pop pentecostal em “Confio em Deus”

Em tempos de isolamento social, a mensagem da canção "Confio em Deus", de Danilo Franco, pode fazer grande diferença na vida de milhares de pessoas. 

Serginho, do Roupa Nova, em projeto gospel

Conhecido por integrar um dos maiores grupos musicais do Brasil, o Roupa Nova, Serginho agora lança "releituras", um projeto com louvores consagrados do meio evangélico

“Me aproximei mais de Deus”, desabafa Yudi Tamashiro

Chorando muito, Yudi Tamashiro contou que a doença foi descoberta há dois meses. Mas só esta semana foi confirmado que o tumor é maligno. Então ele fez um desabafo.