24 C
Vitória
sexta-feira, 16 abril 2021

Bebês sacrificados! Aborto supera causa de mortes em 2020

Mais de 42 milhões de abortos ocorreram em 2020, superando qualquer outra causa de morte no mundo. Na semana passada, o senado da Argentina aprovou um projeto de lei que permite o aborto eletivo durante as primeiras 14 semanas de gravidez

Mais de 42 milhões de abortos ocorreram em 2020, ultrapassando o total de pessoas que morreram como resultado das principais causas de morte no mundo. Os dados são da Worldometer, organização que se dedica a monitorar dados sobre saúde, população global e outros números relacionados à população.

A quantidade de bebês assassinados supera em muito o total de pessoas que faleceram em decorrência das principais causas de morte no mundo. O site tabula estatísticas sobre aborto disponibilizadas pela Organização Mundial de Saúde.

O último relatório disponibilizado em 2020, na véspera de Ano Novo, revelou que mais de 42,6 milhões de abortos foram realizados em todo o mundo entre janeiro e dezembro passados no mundo todo.

Comparação com outras mortes

Já as doenças transmissíveis, por exemplo, mataram mais de 13 milhões de pessoas em todo o mundo em 2020. Cerca de 8,2 milhões de pessoas em todo o mundo perderam suas vidas para o câncer, enquanto cerca de 5,1 milhões de pessoas e 2,5 milhões de pessoas morreram devido ao tabagismo e ao álcool, respectivamente.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, mais de 1,8 milhão de pessoas em todo o mundo morreram de coronavírus em 2020.

Outras principais causas de morte em 2020 incluíram mortes em acidentes de trânsito, das quais foram quase 1,4 milhão. Além disso, os suicídios são responsáveis ​​por quase 1,1 milhão de mortes em todo o mundo.

Mortes totais

O número total de mortes em todo o mundo em 2020, excluindo abortos, foi de quase 59 milhões. Mas se os abortos fossem contabilizados como causa de morte e não apenas outra estatística de saúde, o número global de mortes em 2020 aumentaria para mais de 100 milhões.

O número de gestações interrompidas em todo o mundo em 2020 é maior do que o número total de pessoas que sucumbiram a todas as outras principais causas de morte listadas.

*Com informações de The Christian Post

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se