back to top
22.9 C
Vitória
quarta-feira, 29 maio 2024

A tradução da Bíblia da minha mãe

Como estamos no mês das mães, vale a pergunta: como as mães estão traduzindo a Bíblia na vida delas? Como as crianças veem a Bíblia traduzida na vida das mães? 

Por Erní Walter Seibert

Conta-se que um grupo de pastores estava discutindo sobre tradução da Bíblia. Várias traduções foram mencionadas, e argumentos eram apresentados a favor de uma ou outra tradução. Um dos pastores ouvia tudo em silêncio. Então, alguém resolveu provocá-lo para que ele entrasse na conversa, perguntando: “Qual é a melhor tradução da Bíblia na sua opinião?” O pastor pensou um pouco e disse: “Para mim, a melhor tradução é a da minha mãe.” A resposta causou estranheza.

E alguém disse: “Não sabia que sua mãe era tradutora da Bíblia.” Ao que o pastor respondeu: “Ela não é tradutora no sentido que vocês estão falando. Mas a maneira como ela traduzia a Bíblia na vida dela, no seu jeito de ser, era única. Por isso que falei que era a melhor tradução que eu conhecia.”

A pergunta sobre a melhor tradução da Bíblia é bastante comum. É uma pergunta que pode ter um sentido acadêmico. Mas uma tentação muito comum é levar o tema para uma discussão estéril, em que nem sempre a preocupação da boa tradução é a motivação principal. Como nós traduzimos a Bíblia em nossa vida é, sem dúvida, algo muito importante.

- Continua após a publicidade -

Como estamos no mês das mães, vale a pergunta: como as mães estão traduzindo a Bíblia na vida delas? Como as crianças veem a Bíblia traduzida na vida das mães? Como os esposos veem a Bíblia traduzida na vida das esposas? Como as amigas, as colegas de trabalho, veem a Bíblia traduzida? E a pergunta não vale apenas para as mulheres, ela pode ser feita para todos. Como o pai, o marido, o trabalhador, o patrão, o cidadão estão traduzindo a Bíblia na vida deles?

A vida dos cristãos é a primeira Bíblia que os não cristãos leem. Como traduzimos os ensinamentos bíblicos em nossa vida é a maneira como as pessoas passam a dar crédito ou a desacreditar do ensino bíblico. Por isso, a tradução da Bíblia na nossa vida é tão importante.

A tradução do texto bíblico de uma língua para outra é algo muito relevante. A tradução de uma língua para outra antecede a tradução da Bíblia na vida. Existem agências bíblicas que fazem isso há séculos. A história dessas agências e das pessoas que se dedicaram a esse ministério é algo tocante e inspirador. Graças a esse trabalho, literalmente, bilhões de pessoas conseguem ter acesso a esses ensinamentos atualmente.

A obra continua sendo feita. E, quando essas traduções de uma língua para outra começam a ser feitas, inicia-se a segunda tradução, a tradução do ensinamento da Bíblia para a vida. Essa segunda tradução proporciona credibilidade à primeira tradução. Uma não vive sem a outra.

Por isso, nossa palavra de incentivo para as mães, para os pais, para todos que amam a Bíblia é: continuem traduzindo a Bíblia na maneira como vocês vivem. As pessoas observam nosso viver e se inspiram por ele.

Dessa forma, são guiadas ao texto bíblico. Nele, todos irão encontrar o fundamento de uma vida que crê em Jesus Cristo, que se inspira na mensagem do perdão, e que pratica o exercício do arrependimento diante do pecado e da nova vida diante da graça de Deus. Sejamos todos tradutores da Bíblia, vivendo em conformidade com o ensinamento dela.

Erní Walter Seibert é Diretor Executivo da Sociedade Bíblica do Brasil e Vice-Presidente das Sociedades Bíblicas Unidas.
 
A SBB
Desde 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) tem a missão de “semear a Palavra que transforma vidas”. Trata-se de uma organização beneficente, sem fins lucrativos, assistencial, educativa e cultural. Sua finalidade é divulgar a Bíblia e a sua mensagem, tornando-a relevante para todas as pessoas. Para isso, traduz, produz e distribui a Bíblia — além de incentivar sua leitura e estudo — e desenvolve programas sociais que atendem a populações em situação de risco e vulnerabilidade social.

 

Mais Artigos

- Publicidade -

Comunhão Digital

Continua após a publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

Entrevistas