26 C
Vitória
segunda-feira, 27 setembro 2021

À procura da felicidade

Mais Artigos

“Nunca deixe ninguém te dizer que não pode fazer alguma coisa. Se você tem um sonho tem que correr atrás dele. As pessoas não conseguem vencer e dizem que você também não vai vencer. Se você quer uma coisa corre atrás”

Por Lulinha Tavares

Chris Garden foi um pai de família que viveu o chamado “Sonho Americano”, como é conhecida a saga do estrangeiro que chega aos Estados Unidos em busca de uma vida melhor. Sendo que nesse caso ele era americano.

Chris Garden foi considerado a melhor interpretação de Will Smith no cinema. Juntamente com a brilhante interpretação do seu filho Jaden Smith que desempenhou o papel de Christopher, seu filho de 5 anos no filme. Essa interpretação levou Will Smith à indicação ao Oscar 2007 na categoria Melhor Ator.

Baseado em uma história real e com toques de doçura e genialidade, À Procura da Felicidade mostra a vida de um pai buscando alcançar o sucesso profissional sem abrir mão de dar a devida atenção ao seu filho. Chris atuava como representante comercial de uma marca de scanners de densidade óssea, equipamento caro e de difícil aceitação.

Seu fracasso profissional, associado a crise conjugal leva a sua esposa a o abandonar, levando consigo o seu amado filho e o fazendo imergir em uma profunda crise existencial e financeira. Essa história ilustra de maneira significativa essa eterna procura pela felicidade por parte de nós, seres humanos.

Afinal, o que é a felicidade?

Muitas são as teorias apresentadas ao longo de séculos e gerações sobre o seu significado, sendo considerada uma das mais difíceis palavras de se definir. Portanto, qualquer esforço que façamos é mera tentativa.

Julgo eu ser esse tema tão intrigante como prazeroso de se tratar. À luz da filosofia aristotélica encontramos a seguinte definição de felicidade: Felicidade é o maior bem desejado pelos homens e o fim das ações humanas.

Em “Ética a Nicômaco”, a finalidade é identificada como o “bem”, ou seja, dizer que todas as ações tendem a um fim é o mesmo que dizer que todas as coisas tendem a um bem.

O fim da arte médica é a saúde, o da construção naval é um navio, o da estratégia é a vitória e o da economia é a riqueza” (Aristóteles, 1973, p. 249).

Nesse sentido a noção de felicidade tem a ver diretamente com o indivíduo alcançar o fim proposto por sua atividade profissional, ou seja, o sucesso.

Para o professor e filósofo Mário Sergio Cortella ninguém é feliz o tempo todo e de todo modo. Quem assim se considera, não é feliz e, sim, tonto.

“Felicidade é uma vibração intensa, um momento em que eu sinto a vida em plenitude e quero que aquilo se eternize. É a capacidade de você ser inundado por uma alegria imensa naquele instante por aquela situação. Felicidade não um é estado contínuo e, sim, uma ocorrência eventual. É sempre episódica.”

Em 2012 a Assembleia Geral da Organização das Nações unidas (ONU) aprovou a resolução que proclamou o Dia Nacional da Felicidade após criar um indicador chamado FIB, que significa Felicidade Interna Bruta.

Entre os quesitos que são analisados pelo FIB estão: bem-estar humano, esgotamentos dos recursos da natureza, cuidados familiares e utilização do tempo de forma equilibrada.

No ranking de 2019 a Finlândia aparece em primeiro lugar, seguida pela Dinamarca e a Noruega respectivamente, e o nosso Brasil ocupa o trigésimo segundo lugar.

Nas sagradas escrituras as palavras utilizadas para definir felicidade são: Esher no Hebraico e makarios no grego. Ambas significam bem-aventurado.

Os salmos nos ensinam que a felicidade está diretamente ligada as escolhas que fazemos em relação a onde e com quem andar, a qual conselho devemos seguir e também de quem é o árbitro das nossas decisões. Isso faz daquele que assim decide viver próspero em tudo o que fizer e por onde quer que for.

Já Cristo Jesus nos ensina que felizes são os curvados ao Espírito e os perseguidos, pois herdarão o reino dos céus; os que choram, porque receberão o providencial consolo;  os que têm sede e fome de justiça, porque fartos serão; os mansos porque herdarão a terra; os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia; os que são limpos de coração, porque a Deus verão; os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus;

Nesse sentido convém alertar para fato de que aprendemos em toda a escritura que a vida aqui nessa terra é finita, cíclica, falível, efêmera, vulnerável e sujeita a muitas tribulações.

Também aprendemos que não é tempo que passa por nós e, sim, nós é que por ele passamos.

Aprendemos que o dia mal vem, para justos e injustos, afinal, todos os anos as folhas caem anunciando o outono. Porém, o aparecimento das flores anuncia a primavera, pois a vida é bela!

A despeito de todos os pesares, em Cristo Jesus temos a esperança da vida eterna prometida por Ele para todos aqueles que o seguirem em Espírito e em verdade.

Olhando dessa forma podemos enxergar tais tribulações como leves e momentâneas quando comparadas ao eterno peso de glória que nos aguarda.

Lógico que devemos buscar a felicidade em uma vida que valha a pena ser vivida, independentemente das curvas dessa estrada, que desconhecemos ser a próxima para esquerda ou para a direita.

Por fim, assim como Chris (Will Smith) como um bom pai, trabalhava incessantemente para prover o alimento para a sua casa, sem em tempo algum abrir mão de estar ao lado do seu filho Christopher e de lhe incentivar a sonhar e realizar, o que o fazia encontrar a felicidade procurada –  também assim é Deus que – em todo o tempo trabalha para suprir a nossa necessidade e conceder o desejo do nosso coração – além de não abrir mão de estar conosco e de nos fazer sentir a sua presença, e assim, provarmos da eterna felicidade que nos aguarda quando para o nosso casa voltarmos.

Siga bem, em paz e feliz.

Lulinha Tavares é coach esportivo, formado em Educação Física, MBA-FGV/FIFA/CIES, especialista em Psicologia do Esporte, empresário, pastor e líder da Igreja Batista da Graça em Queimados (RJ)

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas