26.3 C
Vitória
sábado, 10 abril 2021

A luta pela vida e o luto pela morte

Mais Artigos

O anticulto cristão

Estamos em luto!

Viva de maneira abundante, independentemente das circunstâncias

Por Lulinha Tavares 

Começo a escrever este artigo no último dia do mês de setembro, mês em que foi amplamente divulgada a campanha de prevenção ao suicídio. A campanha ganhou relevância nesse ano tão turbulento aonde estamos convivendo, além da pandemia do corona vírus, com a pandemia do medo e também da ansiedade. Além da depressão, logicamente.

No quesito ansiedade o Brasil, infelizmente, ocupa topo do ranking mundial segundo recentes estudos divulgados pela OMS. 9.3% da população brasileira apresenta sintomas dessa psicopatologia, o que representa 18 milhões de brasileiros.

As consequências de toda essa revolução ainda são imensuráveis.

Para ilustrar eu trago aqui um impactante testemunho dado pelo meu amigo e pastor Vicente Sabattino, nascido e criado na ADVEC – Assembleia de Deus Vitória em Cristo, onde hoje pastoreia a filial de Campo Grande – RJ – e amigo pessoal do pastor Silas Malafaia.

O ano era 2015 e nessa época pastor Vicente pesava 138 quilos e convivia com as dificuldades comuns das pessoas que vivem acima do peso.

Com um casamento feliz e repleto de sonhos com a Patrícia ele se deparou com algo que mudou radicalmente a sua vida.

Ao participar do funeral de um pastor amigo e ver o copioso choro e o sofrimento da esposa desse pastor ele disse que se viu dentro do caixão e que viu, literalmente, a sua esposa Patrícia sofrendo a sua perda.

Foi aí que ele disse: “Ela não merece me ver assim. Não tenho o direito de roubar a alegria da minha esposa com a minha morte precoce.

“Ainda hoje pedirei perdão a ela e vou cuidar da minha saúde e da minha longevidade, fazendo o que preciso for”.

Assim ele fez e ainda estabeleceu metas arrojadas. Ele afirmou pra ela em alto e bom tom: “No natal desse ano já vestirei uma roupa nova.”

Começava ali a sua luta pela vida após o luto pela morte.

No natal desse mesmo ano ele já tinha emagrecido quase 30 quilos e começado a vestir a sonhada roupa nova.

E não parou por aí! Ao fim de dois anos ele já tinha emagrecido 46 quilos, atingindo a incrível marca de 92. Oscilou um pouco durante mais uns dois anos e hoje vive da maneira saudável e com leveza de alguém que tirou do seu corpo o equivalente a um saco de cimento.

E o mais impressionante é que o pastor Vicente Sabattino, juntamente com a sua esposa Patrícia – peça fundamental nessa conquista – alcançaram seus objetivos sem atalhos – sem fórmulas mágicas de emagrecimento – sem usar inibidores de apetite ou se sujeitar a intervenções cirúrgicas redutoras de medidas.

Podemos lutar pela vida de maneira consciente, profilática, saudável e também com base bíblica, pois, está escrito:

O homem bom cuida bem de si mesmo, mas o cruel prejudica o seu corpo.
(Provérbios 11:17)

O pastor Vicente me disse algo que jamais eu tinha ouvido e que não apenas concordo como também coloco em prática na minha vida:

“Existe o suicida à vista, que é aquele que acaba com sua própria vida em um instante, em apenas um ato. Mas existe o suicida a prazo, do qual eu fazia parte, acabando com a minha vida aos poucos.”

Isso é, muitas das vezes, uma questão de decisão, de escolha, de coragem e de amor à própria vida e também à vida daqueles que amamos.

Lógico que levar uma vida dessa forma é trabalhoso e requer mudança de hábitos, muita superação e também perseverança. Não é nada fácil, mas totalmente possível.

“A ideia é morrer jovem, o mais velho possível” (Autor desconhecido)

Meu amigo pastor se apropriou dessa frase e por consequência disso é que nos conhecemos, pois, embora sejamos cristãos e pastores, não nos conhecemos nos púlpitos ou em algum congresso ou convenção eclesiástica, mas sim, em uma academia fazendo treinamento funcional entre às 6 e às 7 horas da manhã.

Por outro lado, existem milhares de pessoas lutando pela vida enfrentando enfermidades, como foi o caso da minha amada e saudosa esposa Nívea,  que em 2016, aos 41 anos, passou a enfrentar uma dolorosa via crucis após a descoberta de um tumor em sua mama.

Enquanto o Senhor não a tomou para si, Nivea lutou bravamente pela vida, dando a todos nós que estávamos à sua volta grandes e inesquecíveis lições de fé, coragem, superação, resiliência e amor a Deus e a nós. Sua parte em nós sempre viverá!

A luta pela vida é opcional, o luto pela morte é irreversível. O luto não é questão de “se”, mas de “quando”. Inevitavelmente necessitaremos consolar ou sermos consolados ao longo da nossa vida.

Independentemente de qual seja o desfecho desse ano em consequência dos efeitos dessas pandemias ou a natureza da sua luta, eu desejo que o Senhor lhe traga a paz que excede a todo o entendimento, lhe traga também refrigério para a sua alma, saúde e vida para o seu corpo, renove as suas forças como aqueles que confiam no Senhor e que dê direção para os seus passos.

Mesmo sabendo da sua finitude, lute pelo bem mais precioso que Deus lhe confiou que é a vida. Viva de maneira abundante, independentemente das circunstâncias.

E quanto morte, essa já foi vencida por Cristo Jesus, o nosso Senhor, o qual nos deu o direito de passar dela para a vida, ou seja a morte passou a ser apenas uma passagem para a eternidade se permanecermos firmes e constantes Nele até o fim.

Siga bem, em paz e feliz.

Lulinha Tavares é coach esportivo, formado em Educação Física, MBA-FGV/FIFA/CIES, especialista em Psicologia do Esporte, empresário, pastor e líder da Igreja Batista da Graça em Queimados (RJ)

Matéria anterior Gabriela Gomes canta “Deus Emanuel”
Próxima MatériaÉ PRIMAVERA!
- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas