27.7 C
Vitória
sexta-feira, 12 abril 2024

A graça de Deus em meio à dor

Sofrimentos sobrevêm tanto a crentes quanto a incrédulos, tanto a justos como a injustos. As Escrituras ensinam que a dor faz parte da nossa jornada sobre este planeta

Por Pr. Marcelo Aguiar

​A graça de Deus em meio à dor é aquilo que nos dá condições de seguir em frente apesar das adversidades. Infelizmente, o mundo em que vivemos não é mais aquele cenário perfeito no qual Deus colocou os primeiros seres humanos. Ele ainda guarda muito da beleza da criação original, é verdade. Mas também é povoado por sofrimentos devido ao pecado que o contaminou. A terra se tornou maldita por nossa causa. Ela produz cardos e abrolhos. E nossos pés são feridos pelos espinhos que encontramos ao longo da vida.

​Sofrimentos sobrevêm tanto a crentes quanto a incrédulos, tanto a justos como a injustos. As Escrituras ensinam que a dor faz parte da nossa jornada sobre este planeta. Entretanto, elas vão além. Afirmam que o sofrimento pode se converter em um aliado precioso para nossa segurança e em uma ferramenta eficaz na promoção de nosso crescimento. As dificuldades não são superadas apenas quando são removidas. Elas também são vencidas quando nosso Pai celestial as usa para nosso bem e parasua glória.

​Como o apóstolo Paulo descobriu, coisas maravilhosas acontecem quando a carne ferida pelo espinho é banhada com o unguento da graça de Deus. O poder pode se aperfeiçoar na fragilidade. Podemos nos gloriar nas fraquezas, insultos, privações, perseguições eaflições. Podemos receber grandes revelações sem nos envaidecermos. Podemos ser fortes quando somos fracos.

- Continua após a publicidade -

​Graça pode ser traduzida como “favor imerecido”. Ela vai além da misericórdia, porque misericórdia significa que Deus não nos dá aquilo que merecemos (o castigo), ao passo que a graça significa que o Senhor nos dá aquilo que não merecemos (a salvação). Somos salvos por meio da graça. E é também pela graça que somos tratados, sustentados, curados e fortalecidos. O amor incondicional do Senhor por nós opera em nossas circunstâncias de modo a fazer com que todas as coisas concorram para o nosso bem.

​Os dias nos quais vivemos são marcados pela dor. Basta que olhemos ao nosso redor para constatarmos essa verdade. Muitas pessoas lutam com a enfermidade, ao mesmo tempo em que várias outras convivem com o luto. Cristãos são perseguidos ao redor do mundo. Nações colidem em guerras. Refugiados precisam deixar suas casas. A miséria se espalha pelo globo. Ao mesmo tempo, o pecado se alastra nas mais diferentes formas, entristecendo as almas daqueles que buscam ao Senhor.

​Que resposta nós podemos dar ao sofrimento? Ao longo dos séculos, duas foram as atitudes mais comuns tomadas pelos seres humanos diante da dor. Alguns se conformaram, ao passo que outros se revoltaram. Essas são respostas relativamente fáceis. Qualquer um é capaz de se revoltar ou de se conformar. Nenhum grande esforço é necessário para isso. Deus, todavia, quer nos levar a um patamar mais alto. Ele quer que sejamos capazes de vencer através das aflições e de nos regozijarmos em meio à tribulação.

​Se você acha que isso é impossível, lembre-se do que aconteceu no Calvário. Ali o Redentor foi coroado com espinhos. Ele enfrentou o sofrimento na sua mais terrível intensidade. Ele sorveu o cálice até a última gota. Porém, Cristo não murmurou em momento algum. Ele permitiu que o Pai usasse aquelas circunstâncias para o engrandecimento do seu nome e para a salvação da humanidade. Se existiu um domingo de Páscoa foi porque, antes, houve uma sexta-feira da paixão. Do mesmo modo, o Senhor deseja usar aquilo que nos acontece a fim de que elevados propósitos sejam cumpridos.

​A transformação de lágrimas em sorrisos é um verdadeiro milagre. Essa mudança sobrenatural só é possível se a graça de Deus estiver presente. Raramente crescemos sem dor, é fato. Mas a dor, sozinha, não faz ninguém crescer. A graça e a verdade nos alcançam por intermédio de Jesus Cristo. Elas renovam o nosso ânimo, abrem os nossos olhos, corrigem o nosso rumo e alegram o nosso espírito. Portanto, permita que Jesus derrame o bálsamo da sua graça sobre as feridas da sua carne. O Senhor enxugará dos seus olhos toda a lágrima. E ele também extrairá, no devido tempo, todos os seus espinhos.

Pastor Marcelo Aguiar é formado em teologia e psicologia. Há 18 anos está na Igreja Batista em Mata da Praia, Vitória, ES.

Mais Artigos

- Publicidade -

Comunhão Digital

Continua após a publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

Entrevistas