back to top
23.9 C
Vitória
quarta-feira, 19 junho 2024

A estupidez da soberba

O orgulho nos motiva, nos impulsiona, transforma as coisas ruins em boas, mas não podemos permitir que ela se torne soberba em nosso coração

Por Pr. José Ernesto Conti

Não existe nada mais humano do que sentir orgulho. De todos os sentimentos, o orgulho é um daqueles que destacam uma pessoa no meio em que vive, por isso, não há nenhum ser humano que não o tenha. O orgulho alcança ricos e pobres, brancos ou negros, universitários ou iletrados, homens ou mulheres, ninguém escapa. Por outro lado, se existe algo que tem destruído a reputação e derrubado grandes líderes, é o orgulho.

A Bíblia nos mostra que a queda da maioria dos grandes homens sempre passa pela soberba. Desde sempre, até hoje, a fala de Salomão continua atual: “a soberba precede a ruína” (Pv 16:18). Se isso é verdade, por que não conseguimos evitá-la? Porque esse, é um pecado (quase) invencível!

Como tudo que se refere a sentimentos pessoais, nosso amor-próprio passa por fases, às vezes está baixo, outras vezes está alto. Entretanto, mesmo quando está baixo, gostamos de fingir que está alto. Fingimos tanto, que, quando ele está alto, queremos que ele fique mais alto, mais alto… isso é soberba.

- Continua após a publicidade -

O orgulho é como o combustível para nossa vida. Ele nos motiva, nos impulsiona, transforma as coisas ruins em boas, nos faz sentir importantes, em outras palavras, nos faz sentir de bem com a vida. A soberba é tão poderosa que acredito que o grande filósofo Sócrates estava errado quando dizia que o primeiro passo para uma pessoa ser sábia era reconhecer sua ignorância.

Um dos exemplos mais significativos de soberba no VT, é o caso de Nabucodonosor (Dn 4). O império babilônico foi um dos maiores do mundo antigo. Os jardins suspensos da Babilônia foram considerados uma das 7 maravilhas do mundo antigo. Isso levou Nabucodonosor a sentir-se orgulhoso por tudo que conquistara. Deus então lhe mandou um castigo e ele reconhece depois de sofrer por 7 anos como um animal, que o “Rei dos céus… pode humilhar aos que andam na soberba”.

O grande Apóstolo Paulo disse que “foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar”. (2 Co 12:7). Ele então disse: “Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte”. (2 Co 12.10). Então, por que ser orgulhoso?

Li certa vez que, o barro não pode achar que é um diamante, mas foi do barro que Deus moldou Adão, a coroa da criação, e não do diamante. O barro é maleável, o diamante é resistente. Nas mãos de Deus o barro é moldado e o diamante quebrado. Exaltar o barro é a estupidez da soberba.

José Ernesto Conti é Pastor da Igreja Presbiteriana Água Viva no bairro Estrelinha.

Mais Artigos

- Publicidade -

Comunhão Digital

Continua após a publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

Entrevistas