24.3 C
Vitória
quarta-feira, 27 maio, 2020

A dor não é o fim! Combate ao abuso sexual infantojuvenil

- Continua após a publicidade -

Mais lidas

Mortes por covid-19 passam de 350 mil em todo o mundo

Os Estados Unidos permanecem isolados em primeiro lugar, próximo da marca de 100 mil mortes, com exatos 99.123 falecimentos

Dicas para manter o intestino saudável e evitar doenças

Para evitar esse e outros problemas intestinais é fundamental manter um estilo de vida saudável, evitando o consumo de determinados alimentos e acrescentando alguns ingredientes no dia a dia

Toffoli tem resultado negativo em novo exame para coronavírus

Toffoli fará novos exames para descartar 1 falso negativo. Ele foi internado no sábado (23) para realizar uma cirurgia de drenagem de abscesso

Empresários de mais de 100 festivais de música do país assinam manifesto

Grupo se mobiliza para abrir rodas de discussões em busca de saídas e acompanhar a tramitação da Lei de Emergência Cultural no Congresso

O abuso sexual infantojuvenil é assustadoramente comum e extremamente prejudicial. Como se não bastasse, há um aumento significativo dos indicadores de violência durante a pandemia

Por Elen Almeidah e Priscilla Cerqueira 

A dor não é o fim! Hoje, 18 de maio, é o Dia nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e adolescentes. Quem sobreviveu ao abuso sexual, revela o caminho para superar esse trauma.

Ela sofreu abuso sexual na infância, causado por um familiar e, mais tarde, em sua juventude, vivenciou a mesma violação de direitos dentro dos limites da igreja que frequentava e que era responsável por acompanhar o seu processo de restauração.

O abuso sexual eclesiástico é velado, mas a prática é frequente em algumas comunidades cristãs. Na última década, ministérios e escolas de sexualidade vêm surgindo por todo o país como resposta ao crime que muitas vezes é travestido de afeto e cuidado.

Psicologia e ajuda

Atualmente, a rotina de Marcela Amaral – apesar do período de licença maternidade, já que Joaquim, o filho caçula completara cinco meses –, inclui palestras sobre o tema, ouvir pessoas, oferecer suporte e caminhar rumo à superação.

Marcela
Psicóloga Marcela Amaral. Foto: arquivo pessoal

A formação em Psicologia foi consequência. Ao receber ajuda por meio de aconselhamento cristão, Marcela percebeu um caminho para a cura. “A dor não é o fim”, afirma.

Quem observa Marcela, hoje psicóloga, palestrante, produtiva, esposa, mãe (o primeiro filho, Rafael, tem 3 anos), não faz ideia do seu sofrimento.

“Sem conviver com meu pai e crescendo em meio a uma família disfuncional, fui abusada por um familiar que percebeu a carência que eu sentia. Mais tarde, fugindo dessa realidade, encontrei abrigo em um ministério e novamente essa carência saltou. O líder, que me ajudava, tornou-se meu agressor.

Ele abusava e eu permitia. Havia um único momento após o abuso que eu gostava: o abraço dele”, lembra. Só mais tarde isso parecerá significativo (veja sua palestra Prevenção contra o abuso sexual infantojuvenil no YouTube).

Recomeço

Após romper o silêncio e definitivamente os laços com o abusador, Marcela recomeçou sua vida e compreendeu aqui a maior lição que poderia tirar das lutas que passou. Falar do abuso que sofria foi um mecanismo de enfrentamento que ela aprendeu ainda jovem, sem realmente entender o porquê.

Mas agora, aos 37 anos, desses 10 dedicados ao aconselhamento de cristãos, ela reconhece isso como uma maneira de pôr fim à violência e combater os sentimentos de inutilidade e vergonha que muitos sobreviventes de abuso infantil experimentam.

“Eu creio que há muitas pessoas que lerão essa reportagem e que são provas vivas do fracasso de instituições e de igrejas que aparentemente ou de fato buscavam interromper os abusos e restaurar almas. Mas compartilhar a violência, falar sobre isso, apesar dos pensamentos pejorativos e do sentimento de culpa comuns em quem sofre violência, fará com que a vítima dê um passo em direção à sua superação, independente das pessoas. Houve quem não ajudasse ou mesmo fosse agente da violência neste processo, mas há um Deus especialista em transformar o caos em paraíso. Ele levantará novas pessoas e haverá futuro, assim como houve para mim”, lembra a psicóloga.

Voluntariado

Marcela há um ano é voluntária na Missão Luz na Noite – criada em 2001 com objetivo de ajudar cristãos em sofrimento com a sua sexualidade – e auxilia no aconselhamento de jovens e adultos vítimas de violência sexual na infância.

“No aconselhamento oferecemos às vítimas e sobreviventes a chance de serem ouvidas com respeito, consideração e muita compaixão, a exemplo de Jesus. Por isso, acredito que a dor nunca é o fim.

Existe luz além do abuso”, destaca Marcela fazendo alusão à campanha criada pela Missão em 2019, por conta do 18 de maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes – e que permanece no ar neste ano.

Além do aconselhamento cristão, Marcela lida com a temática e outras ligadas à família na prática clínica de seu consultório. “Hoje é um dia que fala de sofrimento, mas que traz esperança. Quem vive a realidade do abuso ou testemunha acha que tudo acabou. Mas não. Deus é Deus de recomeços”, finaliza.

O testemunho completo de Marcela encontra-se no canal do YouTube da Missão Luz na Noite e há ainda palestra sobre prevenção ao abuso sexual infantil que a psicóloga ministrou neste mês de abril durante a programação Sexo em Pauta: reflexões em família.

Estupros

Somente em 2019 foram registrados, em média, 180 estupros por dia no Brasil. As crianças de até 13 anos correspondem a 53,8% das vítimas e entram na estatística como estupro de vulnerável, segundo o 13° Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Os dados apontam que 76% das vítimas possuem algum vínculo com o abusador e que apenas 7,5% das vítimas de violência sexual no Brasil notificam a polícia — percentual que varia entre 16% e 32% nos Estados Unidos.

Com a pandemia, acredita-se que haja um aumento significativo dos indicadores de violência contra crianças e adolescentes. Mas a estatística anterior aos tempos de Covid-19 já revelava a dificuldade em contabilizar os casos, agora acentuada por conta do isolamento social.

Luz na Noite

A campanha Luz Além do Abuso, iniciativa da Missão Luz Na Noite, cobra esforço das instituições e cristãos para dar mais visibilidade ao tema e não somente para fortalecer as denúncias, mas para alcançar e amparar aqueles que ainda convivem com a violência ou mesmo a dor de terem sido vitimados.

“Falar é o primeiro passo para a superação, uma vez que o silêncio perdoa o agressor e reforça seu poder sobre a vítima ou mesmo amplia o trauma, especialmente, na vida adulta.

Além da defesa das crianças, queremos oferecer auxílio e suporte para os jovens e adultos que ainda carregam marcas do abuso que sofreram”, esclarece a coordenadora da Missão, Débora Fonseca, que é formada em Direito e Psicologia e atua há mais de 20 anos com aconselhamento cristão na área da sexualidade humana.

Sobre a data

Instituído pela Lei Federal 9.970/00, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e que já alcançou muitos municípios.

A proposta anual da campanha, que nesse ano comemora o 20º ano de mobilização, é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes

Veja o testemunho da Marcela

- Continua após a publicidade -

Revista Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Diante do Trono anuncia congresso online

Diante da pandemia do coronavírus, a banda anunciou o "Congresso Mulheres e Moças" online

GOD Brasil: Como anunciar o que o mundo precisa ouvir?

O God Brasil é um movimento que incentiva o evangelismo intenso no mundo inteiro em um dia

Fé e ciência em tempos de pandemia

Cientistas cristãos respondem questões de fé e ciência em tempos de pandemia. Uma mini Conferência online será realizada entre os dias 26 a 28 de maio sobre o assunto

Festival “VillaMix Em Casa Gospel”

O festival “VillaMix Em Casa Gospel” será dia 30 de maio, com transmissões no YouTube e Facebook. Ana Paula Valadão estão entre as atrações

Receber notícias

Gostaria de receber notícias em primeira mão? Assine gratuitamente agora:

Plugue-se

Como Jesus nos ensinou a tratar a depressão?

Pensar demasiadamente no futuro não resolve os problemas, pois “o futuro a Deus pertence”. O segredo seria viver com paz e tranquilidade, um dia após o outro.

Em breve, primeiro single de Kemuel Worship Filhos: Lado B

“Algo Novo”, com participação especial de Lukas Agustinho, é o primeiro single do novo projeto de Kemuel 

Daniel Júnior canta “Deus cuida de mim”

Gerado em momento de dor, novo single de Daniel Junior está disponível nas plataformas de streaming, Ouça a canção!

Após saída do Ministério Zoe, Thamires Garcia em nova fase

Thamires Garcia anunciou sua saída do Ministério Zoe em janeiro para seguir carreira solo