31.9 C
Vitória
domingo, 28 novembro 2021

A arte da contemplação

Mais Artigos

Jesus cultivava o hábito de observar a natureza, gostava de andar à beira mar, parava para mostrar a beleza das flores

Por Joarês Mendes de Freitas

Contemplar é olhar com admiração, encantar-se diante de algo grandioso ou misterioso. Na história da igreja cristã houve períodos de grande interesse na contemplação das obras criadas por Deus. Muitas pessoas e grupos praticaram essa disciplina espiritual com total dedicação.

Como isso se perdeu na igreja ocidental? Creio que esses podem ser alguns dos motivos: o estilo de vida corrido de grande parte das pessoas não deixa tempo para fazer isso; a crescente urbanização enclausurou as pessoas reduzindo muito o contato com a natureza; o uso cada vez maior dos recursos digitais criou uma relação intensa com as máquinas e com a tecnologia; o hábito de ver sempre os mesmos cenários acaba fazendo deles apenas paisagem sem atração.

A CONTEMPLAÇÃO NOS SALMOS

A simples leitura mostra que boa parte da poesia dos Salmos exalta a obra da criação de Deus como um convite à contemplação. Aqui estão dois exemplos:

“Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que ali firmaste…” (Salmo 8.3);

“Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos.” (Salmo 19.1);

A CONTEMPLAÇÃO EM JESUS

Jesus cultivava o hábito de observar a natureza, gostava de andar à beira mar, parava para mostrar a beleza das flores e seu lugar predileto parece ter sido o Jardim das Oliveiras para onde ia frequentemente.

A CONTEMPLAÇÃO NOS HINOS

Os compositores dos nossos hinos se inspiraram na criação de Deus para produzir muitos dos seus textos. Alguns deles cantadas por gerações como esses:

“Seu grande poder deveis contemplar no brilho do céu, na terra e no mar; as gotas de orvalho, sim, toda flor, proclamam constantes seu grande autor.” (Vinde adorar – Henry Maxwell Wrigth,1849-1931);

“Senhor, meu Deus, quando eu, maravilhado contemplo a tua imensa criação. A terra, o mar e o céu todo estrelado me vêm falar da tua perfeição.”(Quão grande és tu – Carl Gustaf Boberg,1859-1940).

Agostinho, um dos pais da igreja cristã (354-430 d.C.) disse que “a contemplação é uma deliciosa admiração da verdade que resplandece.” O poeta francês Victor Hugo (1802-1885 d.C.) declarou que “é triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a escuta.”

COMO RECUPERAR A ARTE DA CONTEMPLAÇÃO

Atitudes que podem ajudar: ler e meditar em textos bíblicos que honram a Deus pela sua maravilhosa criação; agradecer a Deus pelos recursos que Ele criou e que usamos no dia a dia; educar os olhos e a mente para observar ao nosso redor as obras criadas; investir tempo para contato intencional com a natureza; louvar a Deus com as nossas canções e orações pelo universo fantástico que ele criou com seu grande poder.

Segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) pode existir em todas as galáxias do universo mais de 10 sextilhões de estrelas. Em Isaías 40.26 lemos que Deus chama cada uma dessas estrelas pelo seu próprio nome. Isso é maravilhoso demais!

Joarês Mendes de Freitas foi o pastor titular da Primeira Igreja Batista da Barra da Tijuca, RJ, e da PIB de Jardim Camburi, em Vitória, ES. Serviu como presidente da convenção Batista do ES e da Junta de Missões Nacionais da CBB. Atuou como professor no Seminário Teológico Batista do Sul no Rio de Janeiro. Hoje se dedica a um ministério de apoio e mentoria de líderes cristãos.

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas