24.9 C
Vitória
terça-feira, 21 setembro 2021

Capelania: 50% dos encarcerados são jovens

“Então, falou aos seus discípulos: De fato a colheita é abundante, mas os trabalhadores são poucos. Mateus 9:37”

Por Marlon Max

Há uma grande demanda por pessoas que levem a palavra de Deus aos presídios no Brasil. Mesmo que diversas frentes missionárias e esforços de capelães abracem a causa de forma constante e a longo prazo, o campo ainda é vasto, e como diz a passagem bíblica, ainda faltam ceifeiros.

Para Adriana Dias, Gerência Nacional de Assistência Social (GENAS), a realidade dos presídios revela como o Brasil carece de elementos básicos na assistência social, mas também de mão de obra qualificada para o trabalho missionário. O contexto, muitas vezes, faz parecer impossível ver mudanças na vida de quem está encarcerado, mas o trabalho de longo prazo representa muito na história de quem já foi esquecido pelo restante das pessoas.

“A cada dia que passa vemos a ausência do bem aumentar, dando lugar para que o mal se manifeste de forma mais ampla e complexa. O ser humano se adaptou ao pecado e dia após dia tem sentido prazer em viver sob o seu domínio. Sabemos que isso se deve a diversos fatores, dentre os quais a falta da Educação em nosso país, que produz resultados nefastos. Um desses produtos do pecado é o crime e, por consequência, a prisão”, explica.

foto: unsplash

Segundo a Missões Nacionais, ligada à Convenção Batista, atualmente, aproximadamente 870.000 estão pessoas encarceradas, dentre as quais mais de 50% são jovens de 18 a 29 anos. “Eles deveriam estar trabalhando, formando suas famílias e servindo ao nosso Deus Todo Poderoso”, diz Adriana.

Como resposta a essa demanda, a Junta de Missões Nacionais possui em seu quadro de projetos a Capelania Prisional Batista, que busca, por meio da plantação de igrejas em unidades prisionais, e na formação de capelães, alcançar a população privada de liberdade e consequentemente a transformação de suas vidas.

A organização que atua no fronte dia após dias expressa a necessidade de aumentar a rede de apoio e destaca a importância do envolvimento da igreja de Cristo nos trabalhos nos presídios.

“Contamos com você para fazer esse ministério avançar e queremos compartilhar formas de se envolver nesta causa e mudar a realidade de nosso país: Ore pela população carcerária. Forme grupos de intercessão em sua igreja para que Deus possa nos dar a visão necessária para esse ministério; Conheça como funciona o trabalho da Capelania Prisional e apoie os nossos voluntários através do PAM Brasil; Envolva-se. Você pode ser um voluntário neste trabalho”, esclarece.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se