24.9 C
Vitória
terça-feira, 28 setembro 2021

EUA: 43% dos jovens não acreditam em Deus, aponta pesquisa

Os pesquisadores descobriram que, entre outras gerações recentes, a geração do milênio foi mais longe ao cortar os laços com as visões cristãs tradicionais e o ensino bíblico normativo

Por Marlon Max

Uma pesquisa americana aponta que apenas 26% dos jovens, denominados da geração X e 16% dos chamados “millennials” (ou geração do milênio, em português) — que são as primeiras pessoas nascidas envolvidas com tecnologia, internet e as novas formas de consumo, não acreditam que quando morrerem vão para o céu. O estudo ainda compara a relação dos grupos de geracionais sobre a percepção de quem Jesus é e como ele pode salvar a humanidade.

Os dados se referem à população estadunidense, e contempla de forma comparativa, grupos geracionais distintos. O American Worldview Inventory 2021, uma pesquisa sobre a filosofia de vida de adultos americanos da Arizona Christian University, avaliou as visões de mundo de quatro gerações:

  • Millennials (nascido em 1984-2002),
  • Gen X (1965-1983),
  • Baby boomers (1946-1964)
  • Construtores (1927-1945)

Um dos primeiros resultados da pesquisa destaca que, quase metade de todos nascidos antes de 1964 acreditam que, quando morrerem, irão para o céu, apenas porque confessaram seus pecados e aceitaram Jesus como seu Salvador, em comparação com apenas 26% das pessoas nascidas entre 1965 e 1983, pertencentes do grupo Gen X.

Além disso, 43% dos millennials afirmaram que não sabem, não ligam ou não acreditam que Deus existe, em comparação com 28% entre pessoas mais velhas. Por outro lado, 44% dos pertencentes a geração do milênio acreditam que satanás é real e influente, em comparação com 64% dos nascidos antes de 1964. Ou seja, os jovens da atualidade tendem a rejeitar a ideia de um Deus salvador, mas expressam a percepção de uma força maligna, figurada na imagem Bíblica de satanás.

O estudo também descobriu que, em geral, os americanos mais jovens são significativamente mais propensos do que as duas gerações anteriores a abraçar os horóscopos como um guia e o Karma como um princípio de vida, a ver “vingança” com os outros como defensável, a aceitar a evolução sobre a criação e a encarar a posse de propriedade como fator de injustiça econômica.

No que se refere à Bíblia, ou em questões espirituais, os americanos com menos de 55 anos têm muito mais probabilidade de desconfiar da Bíblia e acreditar que Deus não se envolve na vida das pessoas. Curiosamente, a maioria dos americanos se autodenomina cristãos, variando de 57% a 83%, a depender da idade.

Com informações do site The Christian Post

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se