22.6 C
Vitória
segunda-feira, 6 julho, 2020

Planalto registra 35 servidores infectados pelo novo coronavírus

Mais lidas

O mistério da morte de centenas de elefantes na África

Pesquisadores acreditam que o coronavírus possa ser uma das causas das mortes das centenas de elefantes na África. Saiba mais!

Coronavírus deixa 73 países em risco de escassez de remédios para HIV

A incapacidade dos fornecedores de entregarem os antirretrovirais dentro do prazo e a paralisação dos serviços de transportes terrestre e aéreo estão entre as causas

Estudantes com Fies podem suspender parcelas no BB a partir de hoje

A manifestação pode ser feita pelo app BB. Saiba mais! 

Governo amplia vetos na lei que torna obrigatório o uso de máscara

Artigos da lei foram republicados no Diário Oficial de hoje. Saiba mais! 

O primeiro caso de covid-19 confirmado no Planalto foi o do chefe da Secretaria Especial de Comunicação, Fabio Wajngarten

Por Jussara Soares (AE)

Ao menos 35 servidores da Presidência da República foram contaminados pelo novo coronavírus, sete deles auxiliares diretos do presidente Jair Bolsonaro. Os dados foram obtidos pelo Estadão por meio da Lei de Acesso à Informação e se referem ao início de março até o dia 20 de maio Em média, cada um dos funcionários públicos ficou 14 dias afastado de suas funções no Palácio do Planalto.

Até o dia 20 de maio, 76 exames haviam sido realizados nos ambulatórios da Coordenadoria de Saúde da Presidência (Cosau), dos quais seis testaram positivo para a covid-19. Os demais diagnósticos foram feitos em laboratórios externos. Após disputa judicial com o Estadão, o presidente apresentou, no dia 13 de maio, o resultado de seus três testes, que indicaram que ele não foi infectado pelo coronavírus.

Desde o início da pandemia, o presidente tem descumprido as orientações das autoridades mundiais de Saúde para distanciamento social, indo a manifestações e visitando comércios. Nessas ocasiões, Bolsonaro, acompanhando por diversos auxiliares, frequentemente dispensa o uso da máscara, cumprimenta apoiadores com as mãos, faz selfies e pega crianças no colo.

Uso de máscara obrigatório

No Distrito Federal, o uso de máscara é obrigatório em locais públicos. A multa pelo falta do equipamento é de até R$ 2 mil, mas o presidente não foi punido apesar de infringir a regra. Em reuniões e eventos no Planalto, as medidas de proteção não são adotadas de forma unânime. O uso da máscara é adotado conforme a vontade de cada um nos encontros em salas fechadas.

O Brasil é o segundo país no mundo com mais casos de coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Dados divulgados nesta segunda-feira, dia 1º, apontam que o Brasil registra 526 447 infectados e 29.937 mortes pela covid-19.

O Palácio do Planalto emprega atualmente 3.395 servidores, que trabalham na Casa Civil, Secretaria de Governo, Secretaria-Geral da Presidência e Gabinete de Segurança Institucional. Eles se dividem no prédio principal e nos anexos do Planalto.

Por medida de segurança, pessoas acima de 60 anos e integrantes do grupo de risco puderam adotar o home-office. Segundo relatos ao Estadão, quando um caso é confirmado todos os outros funcionários que atuam no mesmo setor são encaminhados para testes.

1º caso

O primeiro caso de covid-19 confirmado no Planalto foi o do chefe da Secretaria Especial de Comunicação (Secom), Fabio Wajngarten, após viagem aos Estados Unidos com o presidente. Após Wajngarten testar positivo em 12 de março, Bolsonaro passou a ser monitorado e realizou três testes, mas se recusou a exibir os resultados. Os documentos só foram entregues após ação judicial do Estadão.

Após a viagem, outros servidores do Planalto também testaram positivo. Entre eles, o ministro-chefe do GSI, Augusto Heleno; o ajudante de ordens major Mauro César Barbosa Cid; o chefe do cerimonial, Carlos França, e o assessor especial para Relações Exteriores, Filipe Martins. Então diretor do Departamento de Segurança Presidencial, coronel Gustavo Suarez, também foi infectado.

Pelo menos 23 pessoas da comitiva brasileira aos Estados Unidos foram infectadas, incluindo funcionários de Presidência, integrantes de outros ministérios, parlamentares e empresários.

Entre os auxiliares diretos do presidente, o caso mais recente de contaminação foi o do porta-voz Otávio Rêgo Barros, que não viajou aos Estados Unidos. Diagnosticado no dia 5 de maio, ele tem a volta ao trabalho no Palácio do Planalto programada para esta quarta-feira, 3.

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Artistas cristãos na ação social “Eu Soul VC”

Entre os artistas cristãos confirmados estão Casa Worship, Renascer Praise, André e Felipe, Rebeca Carvalho e Leandro Borges

The send Argentina é adiado para 2021

Em comunicado, os organizadores do The Send disseram que a data exata será definida assim que o governo tiver o poder de reativar eventos maciços

Em agosto, 16º Fórum de Ciências Bíblicas

Com o tema “A Bíblia para as novas gerações”, evento será realizado nos dias 13 e 14 de agosto, no Centro de Eventos de...

Expoevangélica 2020 é adiada para dezembro

Neste ano, a Expoevangélica celebra 15 anos e pretende realizar uma grande festa em Fortaleza (CE).

Plugue-se

“Bíblia de Estudo Swindoll”: mais compreensão e curiosidades

Além de facilitar a compreensão, a "Bíblia de Estudo Swindoll" traz curiosidades sobre o livro mais vendido do mundo

Kanye West anuncia nova música de trabalho com temática gospel

Em um vídeo curto Kanye West divulgou detalhes da melodia da canção "Wash Us In The Blood" (Lava-nos no Sangue)

Enciclopédia dos adventistas em formato digital

Enciclopédia é fruto de um trabalho de dezenas de profissionais em várias partes do mundo e inclui material sobre pioneiros adventistas na América do Sul

Juliano Son canta “Nada mudou”, do EP Tudo Novo

Canção é o quinto e último single do projeto musical Tudo Novo, de Juliano Son