A “maioridade”: os 21 anos de Comunhão

Maior plataforma de conteúdo cristão do Brasil completa 21 anos

Maior plataforma de conteúdo cristão do Brasil ultrapassa duas décadas: 21 anos de Comunhão

De uma lacuna de mercado a um empreendimento de sucesso: 21 anos de Comunhão. Era o ano de 1997 quando tudo teve início em Vitória, capital do Espírito Santo.

Do vislumbramento do que seria um negócio promissor e real ao que se concretizou hoje: a maior plataforma de conteúdos cristãos do Brasil. O projeto, que começou simples, ainda com o nome “Dominical”, ganhou referência e notoriedade, cresceu, ampliou horizontes e hoje faz história como “Comunhão”.

A revista nasceu como canal aberto para que os cristãos a percebessem como plataforma de conteúdos sobre eventos, atividades de formação específica, estudos e pesquisas, além de música, arte, cultura e literatura. “Havia uma lacuna para um público específico, uma revista que transitasse para uma abordagem teológica acessível e com um editorial inteligente para o leitor”, conta Mário Fernando Souza, diretor executivo da Next Editorial e editor da Comunhão.

O veículo foi construído com editorial moderno e formador de opinião do público evangélico. “São testemunhos das mais diversas confissões religiosas que foram impactadas com a leitura da revista Comunhão” Mário Fernando, diretor executivo.

“É um dos poucos canais de comunicação que saíram do ambiente das igrejas para um ambiente cristão e que conseguem chegar aos lares sem defender bandeiras doutrinárias” Enoque Júnior, pastor

É um dos poucos canais de comunicação que saíram do ambiente das igrejas para um ambiente cristão e que conseguem chegar aos lares sem ter rejeição com opiniões, sem defender bandeiras doutrinárias. O que a faz referência no meio cristão”, destacou um dos apoiadores, o pastor Enoque Júnior, diretor de Tecnologia da Rede Brasil, em São Paulo.

“Mais que um veículo de comunicação, um ministério concebido por Deus com a participação de um grupo de pessoas que apostaram nesse nicho de mercado.
A paternidade é múltipla, porque várias pessoas participaram da formulação e criação da revista. A mim coube a tarefa de gerir o negócio, e eu cumpro a missão que Deus me designou, dando o melhor de mim”, afirma Mário Fernando.

Impacto
Diretor executivo da Next Editorial e editor da Comunhão, Mário Fernando.

Desde a fundação de Comunhão até hoje, foram 249 exemplares produzidos com conteúdos exclusivos. O diretor lembra que, ao longo desses 21 anos, não houve um fato mais marcante. Ele fala sobre a felicidade que sente ao saber que o veículo tem servido de transformação na vida das pessoas.

“São testemunhos das mais diversas confissões religiosas que foram impactadas com a leitura da Comunhão. É um casal que conseguiu restaurar o casamento a partir de um texto que falava sobre reconciliação. São milagres feitos através de uma simples leitura. Isso nos alegra muito, pois estamos entregando gotas de esclarecimentos, ensinamentos, e as pessoas estão se tornando melhores”, contou.

Cada edição de Comunhão é uma história diferente. Afinal, são quase 5 milhões de pessoas impactadas mensalmente; o alcance é extraordinário. Esporadicamente chegam à redação cartas de detentos de presídios de todo o Brasil que recebem as publicações e contam seus testemunhos.

“Sou cristão há mais de 10 anos, mas hoje me encontro na infeliz condição de presidiário. Recaem sobre mim diversas acusações de crimes, e eu luto para provar a minha inocência e a da mãe do meu filho, que também está detida. Tenho crescido muito ao ler os exemplares da Comunhão, por apresentar um Evangelho puro e cristalino”, escreveu Michel Premer de Souza Cintra, encarcerado em um presídio de São Paulo.

Todos os meses, há vários relatos de pessoas edificadas pelos conteúdos, como o de Maria da Glória, que na edição de número 242 expressou: “Assino a Comunhão há muitos anos e acompanho todas as publicações mensais. Gosto de ler os assuntos que tratam sobre a família e as relações com os filhos. Além de serem edificantes, sempre aprendo algo de novo para melhorar o convívio familiar com base no que a Bíblia nos ensina”, relatou.

Contribuir com um mundo melhor é o que muitos almejam, ainda mais em se tratando de um veículo que tem o objetivo de ser um abençoador de pessoas em suas multiplataformas. E, mesmo assim, embora a Bíblia diga que “o mundo jaz no maligno”, a contribuição de Comunhão se soma ao esforço de todas as Igrejas, com o intuito de fazer cristãos melhores. “Se conseguirmos fazer isso, teremos uma sociedade melhor, a partir da nossa crença, já que nossa base de fé é o cristianismo”, pontuou Mário.

A revista se tornou uma publicação eclética, voltada para todos os públicos e todas as religiões.

Uma das bandeiras é a imparcialidade. É o que comprovam os leitores, como o jornalista Evandro Jales, da Rede Internacional de Comunicação, do Rio de Janeiro. “Gosto da revista porque foge do jornalismo cristão engessado, além de abordar assuntos importantes e relevantes do dia a dia da sociedade, os problemas e as preocupações, trazendo a relação deles com o cristianismo. A leitura nos mantém informados dos principais debates, tanto na área profissional como na área emocional e cristã. É um trabalho de alto nível, com muita notícia, informação e seriedade”, exaltou Jales

“A revista Comunhão é uma bênção, pois, com ousadia e perseverança na fé, se manteve viva nesses 21 anos trazendo a Palavra de Deus” – Isabel Marreiro, analista comportamental, master coach e escritora.

Sobrevivência

Nos últimos anos a economia brasileira passou por uma brusca virada, saindo de um boom econômico para uma profunda recessão.

O Brasil teve a pior recessão da história em 2015 e 2016, segundo o IBGE, com o encolhimento de 3,6% da sua economia. Essa situação atingiu o bolso dos brasileiros e gerou o desemprego. Nesse cenário, muitos veículos de comunicação precisaram demitir em massa como medida para reduzir os custos.

A Comunhão conseguiu se manter viva em um momento crucial da economia ao investir no processo de plataformização do veículo. “Em cinco anos fizemos a transição da mídia física para a mídia em multiplataformas. Também buscamos um processo de gestão maduro e alinhado com o novo mundo. Nós estamos sobrevivendo pela graça, pela misericórdia e pela competência dos profissionais que trabalham na equipe”, explicou Mário Fernando.

Analista Comportamental Isabel Marrero. Foto: Jackson Gonçalves

Opinião compartilhada pela analista comportamental e master coach de Carreira e Vocacional Isabel Marreiro. Ela reforça a ousadia de um veículo que permaneceu vivo em plena crise econômica.

“A revista Comunhão é uma bênção, pois, com ousadia e perseverança na fé, se manteve viva nesses 21 anos trazendo a Palavra de Deus.”

E acompanhar as mudanças é o foco. “Com ou sem crise, vamos continuar mudando em direção a buscar atender ao público e às mudanças de que esse público precisa”, diz Mário.

A sensibilidade de usar a inteligência corporativa faz com que o veículo ganhe notoriedade e seja diferente, a começar pelo formato editorial, até o produto final que se entrega ao público. Da linguagem visual à linguagem textual, tudo é pensado para atingir o público com clareza e leveza de informação.

“Essa sensibilidade faz com que sejamos diferentes na abordagem, na construção, na pauta, na editoração, nas entrevistas.Tanto as editorias, quanto os temas abordados na revista se pautam pelo equilíbrio. A análise dos fatos é muito correta, não entramos em fake news e nos pautamos nas maiores autoridades eclesiásticas do Brasil”, esclarece o gestor.

“A Comunhão se consolidou como uma mídia consistente de comunicação com o público brasileiro evangélico e não evangélico” Davi Lago, pastor

Consistência – 21 anos de Comunhão

Presidente do Instituto Pensando o Brasil, o pastor Davi Lago vai além ao falar da consistência de um veículo para múltiplos públicos.

“A Comunhão se consolidou ao longo dos anos como uma mídia consistente de comunicação com o público brasileiro evangélico e não evangélico. Conteúdos de interesse público são editados com muito esmero por sua equipe de redação em diversos formatos: artigos, entrevistas que fogem do lugar-comum, reportagens incisivas sobre os desafios contemporâneos.”

A psicanalista Ilma Cunha e seu esposo, o pastor Celso Cunha, também acompanham há anos a Comunhão. “Informar e formar. Eis o desafio de um veículo de comunicação: oferecer informações coerentes, de qualidade, bem escritas, atendendo à demanda de seus leitores, oferecendo subsídios para formação de opiniões. Assim é a Comunhão, que completa 21 anos, sua maioridade. E que a ‘maior idade’ seja vivida em todos os momentos de uma plataforma atual, criativa, dinâmica, que traz os temas mais relevantes do momento, sempre com um olhar cristão e ético sobre os mais desafiadores assuntos”, apontou Ilma em sua mensagem.

E o pastor Celso complementou: “Agradeço a Deus pela existência de Comunhão, que cresceu e que se distingue em seu segmento com singularidade. Parabéns à sua competente equipe. Deus a capacite cada dia mais na ampliação de seus horizontes.”

Nessas mais de duas décadas, Comunhão reforça a missão de levar aos leitores informação qualificada para a família cristã. E o objetivo é o mesmo de quando foi criada, para que todos sejam alcançados por meio de textos com profundas explanações bíblicas de assuntos que façam refletir e crescer.

Articulista de Comunhão., Rev Hernandes Dias Lopes.

“Comunhão tem sido nesses 21 anos um veículo importante para a publicação de notícias e mensagens cristãs em todo o Brasil. Parabéns por seu relevante trabalho prestado na sociedade. Estarei sempre à disposição para contribuir com esse projeto que visa a repartir as boas-novas de salvação em Cristo Jesus”, aponta o escritor, conferencista e reverendo Hernandes Dias Lopes, da Igreja Presbiteriana.

O veículo é reconhecido pelos grandes anunciantes do mercado cristão e pelos importantes players da mídia interessados em falar para o segmento gospel. Hoje, já são 13 países alcançados em todos os formatos da plataforma, incluindo versão impressa, streaming, rádio e revista em formato digital, além dos devocionais diários.

O projeto, que nasceu na capital do Espírito Santo, ganhou forma e conteúdo, amadureceu, expandiu-se e tomou proporções gigantescas. Tornou-se a maior plataforma de conteúdos cristãos do país e, a cada dia, ganha mais credibilidade nacional, levando para o seu público informação, edificação e entretenimento como nenhum outro veículo no mesmo segmento.

Para um futuro próximo, a intenção é expandir ainda mais, traduzindo as plataformas para outros idiomas. “Estamos felizes por completar 21 anos, mas a responsabilidade de fazer e entregar um conteúdo sério aumenta, pois temos compromisso com a informação. Para nós, tornou-se um desafio grande, mas agora é manter e crescer”, concluiu Mário Fernando.


Leia mais

Revista Comunhão recebe homenagem na Missão
Revista Comunhão agora disponível em áudio