Deputado Estadual Esmael exalta papel dos pastores

“O que seria de nós, o que seria do mundo se não fossem os pastores, se não fossem as igrejas”. Foi com essa frase que o deputado estadual Esmael Almeida enfatizou a importância do pastor durante solenidade comemorativa ao Dia do Pastor, realizada nesta segunda-feira (25), na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales).

Durante o evento, o deputado reprovou a decisão “afoita e descabida” do Estado de tentar controlar a religião e a família. “Há uma preocupação exacerbada de tirar as orações das escolas, de excluir a Bíblia dos locais públicos, de calar a Igreja, de calar os pastores, de impedir a mensagem do Evangelho na TV”, desabafou.

O segundo secretário da Mesa Diretora da Ales, deputado estadual Glauber Coelho, também enfatizou que a igreja e seus pastores formam uma das maiores e mais importantes instituições do mundo: “Se a família vai bem, as instituições vão bem”.

Quarenta e nove pastores de diversas denominações compareceram à sessão. Eles receberam o título de Honra ao Mérito por trabalho evangelístico e social prestado à comunidade. O cantor Willian Santana e os Homens Cantores de Vitória tiveram participação especial no evento. Os pastores Marcelo Barboza, da Assembleia de Deus Ministério Rhema e Eldo Rossow foram os responsáveis pela reflexão bíblica e homenagem aos pastores. O apóstolo Lauro Cruz, presidente do Fórum Político Evangélico de Vitória, saudou os presentes à cerimônia.

Durante discurso, o deputado Esmael de Almeida comentou também que a igreja por ter uma visão diferenciada do evangelho tenta ganhar para Jesus pessoas embriagadas, mendigos, usuários de drogas, homossexuais e outros. “As igrejas oferecem serviço preventivo de saúde da alma, ensinam e pregam a Palavra sem omissões, sem acréscimos, sem rodeios; com o objetivo de fortalecer a fé do povo, cuidam de pessoas que não pertencem à elite, não tem situação financeira confortável, não apresentam aparência física atraente, nem têm um currículo espiritual dos melhores”, frisou.

O pastor Marcelo Barboza pontuou a generosidade, a fé e a valorização dos relacionamentos. “Nós, pastores, devemos ser assim, sermos conhecidos não por contendas, mas como apaziguadores”. Já o pastor Eldo preferiu citar o ministério do apóstolo Paulo, como exemplo de pastor. Leu Coríntios 4, que, em síntese reflete a incompreensão do papel dos pregadores que era um dos principais problemas dos coríntios.

Compuseram a Mesa, além dos deputados Esmael e Glauber, os pastores Lauro Cruz, Abílio Rodrigues, Marcelo Barboza e Solimar.