Trump diz que vai lançar mísseis na Síria

Foto: Reprodução Web

Trump mandou recado a Moscou: “Vocês não deveriam ser aliados de um animal que mata com gás, que assassina pessoas e gosta!”.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou a Rússia nesta quarta-feira (11) para uma ação militar iminente na Síria em reação a um possível ataque com gás venenoso. Ele declarou que mísseis “estão a caminho” e criticou Moscou por estar ao lado do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Trump reagia ao fato de a Rússia ter alertado na terça-feira (10) que qualquer míssil dos EUA disparado contra a Síria devido ao ataque fatal contra um enclave rebelde será abatido e que o local de disparo será alvejado.

Seus comentários provocaram o temor de se ver os primeiros conflitos diretos entre as duas potências mundiais por causa da Síria. Os dois países apoiam lados opostos na guerra civil, que agravou a instabilidade em todo o Oriente Médio.

“A Rússia promete derrubar todo e qualquer míssil disparado contra a Síria. Prepare-se, Rússia, porque estão a caminho, lindos e novos e ‘inteligentes’!”, disse Trump em uma postagem no Twitter. E acrescentou: “Vocês não deveriam ser parceiros de um animal que mata com gás, que mata pessoas e se diverte com isso!”.

Em resposta, o Ministério das Relações Exteriores russo disse em uma postagem no Facebook que “mísseis inteligentes deveriam voar na direção de terroristas, não na direção do governo legítimo”.

Resposta da Rússia

O presidente russo Vladimir Putin adotou um tom conciliador ao responder às advertências de Trump. “A situação no mundo está se tornando cada vez mais caótica. Contudo, esperamos que o bom senso prevaleça e as relações internacionais entrem em um caminho construtivo”, disse, ao receber as credenciais de vários embaixadores no Kremlin.

A porta-voz do Ministério de Relações Exteriores russo, por sua vez, respondeu ao pedido do americano dizendo que seria uma “grande ideia” acabar com a corrida armamentista. “Comecemos com as armas químicas dos EUA”, retrucou.

Ameaças
A Organização Mundial da Saúde recebeu relatos de que 500 pessoas teria apresentado sintomas comuns após um ataque químico. Pelo menos 70 pessoas que se abrigavam de bombardeios em porões no antigo bolsão rebelde de Guta Oriental morreram.

Trump vem ameaçando há dias dar uma resposta ao suposto ataque químico na cidade de Duma. No domingo (8), em uma mensagem no Twitter, ele afirmou que Rússia e Irã eram responsáveis por apoiar o “animal” Assad e que haveria um “grande preço” a pagar.

Com informações da Agência Brasil e G1


Leia mais

Novos Ataques na Síria, Trump diz que vai tomar uma decisão
Síria – Mais de 350 mil mortes em sete anos

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!