Total prudência

Mesmo tendo subindo a quantidade de nonagenários, o teto da longevidade não se elevou
Pesquisa mostrou que o número de pessoas com mais de 90 nos quase triplicou nos últimos 40 anos

Recentemente uma prestigiada universidade holandesa chegou a uma conclusão interessante sobre a longevidade. Em muitos países, inclusive Holanda e Japão, o número de pessoas com mais de 90 nos quase triplicou nos últimos 40 anos, entretanto um dado na pesquisa chamou atenção: mesmo tendo subindo a quantidade de nonagenários, o teto da longevidade não se elevou, ou seja, homens e mulheres não conseguem ultrapassar a barreira dos 115 anos.

Essa conclusão é no mínimo curiosa. Como, com todo o aperfeiçoamento da ciência, com toda a evolução tecnológica, com o descobrimento de tudo aquilo que pode nos dar mais saúde, vem uma das mais importantes universidades do mundo e diz exatamente aquilo que a Bíblia afirmou 4 mil anos atrás? Ou seja, a ciência precisou de 4 mil anos para concluir a mesma coisa que a Bíblia afirma em Gênesis 6:3 – “E os seus dias serão cento e vinte anos”.

Pelo menos ainda temos esperança de que nos próximos 4 mil anos a ciência venha a descobrir que o homem é pecador, que só através da morte de Cristo podemos ter a vida eterna e que o céu e o inferno são uma realidade para o ser humano. Afinal, a Bíblia já havia dito (entre centenas de outras verdades que só agora a ciência está descobrindo) que a Terra é redonda, que o Sol está no centro do nosso sistema, que somos formados por células e que o átomo existe…

O problema é que boa parte de nós não teremos mais assim tanto tempo para esperar as conclusões de nossos sábios e de nossas universidades. Por isso, acho mais inteligente prestar atenção no que a Bíblia fala!!!

Pr. José Enersto Conti


A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.