Templos budistas no lugar de igrejas em Mianmar

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O objetivo é a limpeza étnica do estado de Kachin, onde 95% da população é cristã.

Kachin – Cerca de 60 igrejas cristãs em Mianmar foram destruídas pelas forças militares em um ano e meio. 20 desses lugares foram colocados templos budistas. A intenção do governo é fazer a limpeza étnica do estado de kachin. É que lá pelo menos 95% da população é cristã. Pelo menos 450 vilas foram queimadas nos últimos sete anos.

O  exército tem transferido muitas unidades de Rakhine para o estado de Kachin. Isso tem gerado muitas ações violentas. “As coisas ainda não chegaram ao nível de Rohingya, mas há preocupações de que isso facilmente se torne realidade o que gera medo”, explica o pastor americano, Bob Roberts, que visitou a região.

Cerca de 130 mil pessoas de Kachin atualmente buscam refúgio em igrejas no país. “Quase todas as igrejas, que não são tão grandes, têm entre 400 mil refugiados no estado. Eles também têm construído tendas de bambu para centenas de pessoas”, conta o pastor. Por Kachin ser um estado isolado, as grandes organizações de ajuda não estão conseguindo prestar apoio, deixando a maior parte do auxílio para as igrejas.

Segundo Roberts, foram mais de 600 ataques com jatos e helicópteros no estado no último ano. Os cristãos locais compartilharam que se sentem esquecidos pela igreja ocidental. “Eu penso que já existem tantos refugiados na Síria, Iraque, Afeganistão, que nós e toda a comunidade internacional se endurece para isso”, conclui.

Ainda em julho, uma equipe de pastores vai enviar uma carta para o presidente dos EUA, Donald Trump pedindo ações relacionadas a Myanmar.

*Com informações de Missões Portas Abertas


Leia mais

Mais de 58 mil Rohingyas fogem para Bangladesh

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!