Seres em extinção

Um dia desses li um artigo sobre alguns animais e aves que correm risco de extinção. Segundo os biólogos, o tucano, o papagaio, o tigre são alguns dos seres que correm risco de desaparecerem totalmente da face da terra.

Fiquei pensando que existem tipos de maridos, esposas, pais e filhos que também já quase não encontramos mais. Estão em extinção em nossas famílias. Que tipos de “seres” estão em extinção em nossas famílias hoje?

São, por exemplo, aqueles maridos que priorizam a família, que preferem passar mais momentos com a esposa do que com amigos; que procuram atender as necessidades físicas, espirituais, psicológicas e emocionais da esposa; maridos que constroem o relacionamento conjugal com diálogo e oração, que veem o casamento como um compromisso diante de Deus e não como um contrato que pode ser rescindido; que veem vantagens em lutar pelo casamento e que acreditam que o relacionamento conjugal pode ser estável e maravilhoso. Maridos que abrem mão de um emprego melhor para se dedicarem mais à família. Maridos que chamam para si a responsabilidade de liderarem suas famílias em amor e temor de Deus (Ef 5.23).

Seres, esposas, que dizem “não” à obrigação imposta pelo feminismo e por uma sociedade de consumo e resolvem diminuir o salário familiar para se dedicarem à família. Mulheres que priorizam a família em detrimento do carreirismo. Mulheres que amam seus maridos e lhes são submissas, que vivem de acordo com os princípios bíblicos das relações conjugais (Ef 5.22). Mulheres que não se sentem menos mulheres por ficarem em casa cuidando do maior bem de uma família, os filhos.

Seres, pais e mães, que deem a devida importância aos filhos, que os coloquem para dormir à noite com um beijo, uma oração e, quando são pequenos, contando uma história. Que participem das reuniões escolares, que sejam bons exemplos de vida e que influenciem positivamente a vida espiritual, moral, social, psicológica e emocional de seus filhos. Pais que oram e realizam o culto doméstico. Acho que esses já estão incluídos na lista dos extintos.

São aqueles seres jovens que amam a Deus e se comprometem com a vida cristã, que não se deixam envolver pelas práticas “deste mundo”; que sabem diferenciar entre a vontade própria e a vontade de Deus, entre o ensino secular e o ensino da Bíblia, entre o certo e o errado. Jovens, rapazes e moças, que a exemplo de Daniel e seus amigos, decidiram firmemente não se contaminar com as iguarias oferecidas pelo mundo (Dn 1.5-15). Jovens que respeitam, amam, obedecem e reconhecem o verdadeiro valor de seus pais. Homens e mulheres solteiros que não são levados pela filosofia de um mundo sem Deus e que procuram, acima de tudo, obedecer à Palavra.
São alguns seres em extinção. Preservá-los é uma tarefa de todos aqueles que amam a família. Criar condições para que tenhamos muitos deles por ai é uma tarefa árdua, mas plenamente possível. Para tanto, como igrejas, precisamos investir mais e mais no ministério com casais e famílias, traçando e elaborando programas que contemplem a formação de uma nova geração de homens e mulheres que amam verdadeiramente a família.

Compartilhe