Era das telas dobra problemas de visão

Foto ilustrativa

Quanto tempo você fica em frente à tela de um computador? Se a resposta indicar um período considerável de seu dia, é hora de começar a se preocupar com a saúde dos olhos

Distúrbios de visão atingem cerca de 50 milhões de brasileiros, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Desse número, 60% dos casos são de cegueira e deficiência visual. Você já ouviu falar na síndrome da visão relacionada a computadores (CSV, na sigla em inglês)? Pois ela existe e requer cuidados para evitá-la.

Computadores, smartphones e tablets. A tecnologia invadiu o mundo. Quem hoje em dia não passa horas lendo mensagens ou assistindo a um vídeo nesses aparelhos? Seja por trabalho, seja por diversão, o fato é que cada vez mais estamos vidrados na telinha. E muitas vezes, um longo período diante desses dispositivos provoca vermelhidão e queimação nos olhos e dores de cabeça. Esses são os sintomas da síndrome.

Estudos sugerem que cerca de 90% das pessoas que usam um computador pelo menos três horas por dia sofrem de algum tipo de problema visual. E, de acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), de 70% a 90% da população mundial apresenta desconfortos visuais ao longo do dia, principalmente após passar algumas horas em frente à tela.

O uso excessivo desses equipamentos causa uma série de problemas oculares, e muitos dos sintomas já foram reunidos por especialistas, identificando a CSV. Fadiga ocular, visão embaçada, dificuldade em focar a certa distância, olhos secos e dores de cabeça, no pescoço, nas costas e nos ombros compõem esse quadro.

O computador é a ferramenta diária de trabalho de Denise Goroni, 60 anos, de Vitória (ES). Há mais de 10 anos, a professora usa-o para ministrar aulas virtuais de cursos técnicos à distância. Ela passa uma média de seis a oito horas por dia de frente para a tela, fora os momentos ao celular, com o qual também tem contato frequente.

Denise começou a sofrer com dores de cabeça intensas, além de tonteira e enjoo. Há três anos, resolveu procurar ajuda médica e foi diagnosticada com a síndrome.

“No início fui resistente ao tratamento. Achava que era exagero da médica, mas tive sintomas muito graves da doença a ponto de me sentir limitada para fazer minhas outras atividades sem ser o meu trabalho. Aí, quando não tinha mais jeito, resolvi seguir as orientações da profissional e percebi melhora considerável nos meus olhos”, comentou.

A professora precisou usar óculos específicos que ajudam na luminosidade das vistas.  A cada hora, ela sai de frente da tela para olhar para o horizonte por pelo menos cinco minutos. “Hoje eu quase nem sinto mais os sintomas, estou muito bem, mas precisei seguir orientação médica. Meu conselho a quem usa computador é que dê prioridade ao descanso das vistas para isso não se agravar.”

A síndrome da visão de computador é semelhante a qualquer outra lesão por esforço repetitivo. Isso acontece quando a pessoa repete os mesmos movimentos, sempre mais e mais. “Sendo assim, se o paciente prosseguir com o mesmo padrão de comportamento, seu quadro irá se agravar, até chegar um momento em que não consegue continuar sem tratar o problema”, explica a médica Damaris Bueno.

Segundo a especialista, diante do computador ou do celular, os olhos são constantemente forçados a focar textos e imagens, mover-se para a frente e para trás, tentando alinhar o que está sendo objeto da atenção. Ou seja, a visão precisa ajustar imagens diversas vezes para que o cérebro possa interpretar corretamente a informação. “Essa repetição contumaz invariavelmente acaba provocando sintomas desagradáveis, aumentando a queixa do paciente.

E tudo começa com um déficit na hidratação ocular. Enquanto normalmente piscamos 30 vezes por minuto, essa frequência pode cair para nove vezes por minuto ao usar o computador por muitas horas e muitos dias seguidos, fazendo disso uma rotina.”

A oftalmologista esclarece que pacientes com histórico de doenças oculares acabam sendo ainda mais afetados. “Quem tem astigmatismo ou dificuldade para enxergar de perto é mais vulnerável ao problema, sobretudo se não costuma consultar um oftalmologista regularmente para atualizar o grau dos óculos ou das lentes de contato. Também quem passou dos 40 anos tem mais chance de apresentar essas queixas, até porque, com o tempo, as lentes naturais dos olhos se tornam menos flexíveis, prejudicando o ajuste de foco para perto e para longe. É a presbiopia”, afirma.

Tratamento

A síndrome oferece riscos à saúde dos olhos, mas é tratável. Com um acompanhamento médico que pode incluir o uso de colírios especiais para evitar o ressecamento ocular, com lentes para corrigir a visão e com a adoção dos cuidados que citamos anteriormente, aliados, é claro, ao uso mais moderado do computador, tudo estará resolvido!

Crianças

Atualmente, muitos pais reclamam do tempo excessivo que os filhos passam diante de dispositivos eletrônicos, especialmente computador e telefone celular. O problema é que deixar os olhos fixos, por muito tempo, pode causar vários problemas, como visão embaçada, contrações involuntárias do músculo ocular e dor nos olhos, de cabeça, nos ombros e no pulso, quadro que também é capaz de acometer crianças.

As estatísticas para essa faixa etária estão aumentando. As seguidas horas diante de uma tela já apresentam reflexo na saúde dos olhos de crianças e adolescentes. Uma pesquisa do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) realizada com 583 jovens mostra que o número de crianças que usam óculos de grau dobrou nos últimos 10 anos, passando de 10% para 20%. Dessas, quatro em cada 10 apresentam problemas de miopia, ou seja, possuem dificuldade para enxergar com nitidez tudo o que não esteja próximo.

Segundo a médica, no caso das crianças, os principais sintomas costumam ser dificuldade para identificar objetos à distância, esforço para manter o foco, hipersensibilidade à luz, lacrimejamento em excesso e vermelhidão nos olhos. Para evitar esses problemas, o ideal é que o acesso a esses dispositivos não ultrapasse duas horas por dia.

COMO EVITAR A SÍNDROME?

Pisque com mais frequência!
Ao computador ou usando o celular, procure parar um pouco para piscar várias vezes seguidas e para olhar para longe.

Controle a iluminação do ambiente
Quando estiver usando o computador, reduza pela metade as lâmpadas do ambiente e procure controlar a entrada de luz natural.

Reduza o brilho
Instale, de preferência, uma tela antirreflexo no monitor e reduza o nível de brilho dos aparelhos. Além disso, monitores e telas com tecnologias mais modernas cansam bem menos a vista do que os antigos.

Descanse de duas em duas horas
Assim, você poderá descansar a vista, relaxar o pescoço, alongar o corpo e retomar as atividades com mais disposição mental.

Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO)

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!