A Reforma e o movimento de Sociedades Bíblicas

A Reforma foi um movimento iniciado na Alemanha no século 16. Está prestes a cumprir seus 500 anos. Já o movimento de Sociedades Bíblicas só começou na Inglaterra nos anos 1800. Apesar da distância histórica destes movimentos, a difusão da Bíblia Sagrada os une.

A Reforma redescobriu a mensagem da Bíblia. Lutero via na Bíblia mais do que um livro. Para ele, a mensagem do Livro Sagrado era para ser ouvida, refletida, cantada, estudada, ensinada e pregada em família e comunidade. Lutero definia Igreja como “as ovelhas que ouvem a voz do Bom Pastor”. Foco na proclamação da mensagem bíblica é um dos legados da Reforma.

No âmbito das Sociedades Bíblicas, até muito recentemente, a ênfase era tornar a Bíblia – o Livro – disponível. Mas pouco a pouco nos demos conta de que também nos cabia ajudar as igrejas e as pessoas a assimilar e pôr em prática os valores da Bíblia.

A Reforma buscou comunicar a mensagem da Bíblia de maneira compreensível. A mensagem da Bíblia não era compreendida pelo povo de Lutero. Registrada em latim e em alguns poucos dialetos germânicos de domínio restrito, a Bíblia era para poucos. Lutero cresceu numa sociedade em que pontificava o analfabetismo bíblico. Ele próprio só viu uma Bíblia já na juventude, em Latim, na biblioteca do mosteiro de Wittenberg.

A descoberta de um Deus de amor e perdão nas Escrituras mudou sua vida. Para que a mensagem de Cristo chegasse a todos, Lutero empenhou-se na tradução da Bíblia para sua língua materna.

A tradução da Bíblia completa feita por Lutero, lançada em 1534, foi tão bem aceita que unificou a língua alemã. Comunicar a mensagem bíblica de maneira compreensível é outro legado da Reforma.

No contexto das Sociedades Bíblicas, continua o empenho por tornar a Bíblia disponível em linguagem acessível, seja por meio de novas traduções ou da revisão de traduções existentes. Além disso, busca-se mais e mais publicar a mensagem bíblica de maneira a chamar a atenção dos mais diferentes públicos.

Em terceiro lugar, a Reforma aproveitou a tecnologia da época para difundir a mensagem da Bíblia. Por séculos, a Bíblia vinha sendo copiada manualmente. Daí seus exemplares serem raros e caros. Entre 1450 e 1460, Gutenberg desenvolveu a prensa com tipos móveis, o que revolucionou a indústria do livro.

Em 1522, o Novo Testamento traduzido por Lutero foi publicado com essa tecnologia, o que diminuiu os custos e acelerou a sua difusão. Isso também incentivou muitas pessoas a aprenderem a ler e escrever.

Aproveitar a tecnologia para propagar a mensagem bíblica é mais um legado da Reforma. Nos dias atuais, as Sociedades Bíblicas buscam aproveitar o meio digital para a difusão da mensagem bíblica.

A Reforma teve um profundo impacto na difusão da Bíblia. O movimento de Sociedades Bíblicas dinamizou tal difusão. Revisitar essa história faz com que sejamos agradecidos por hoje termos acesso tão abundante à Bíblia e sua mensagem.

Paulo Teixeira é teólogo e linguista, especialista em Língua e Literatura Hebraica e secretário de Tradução e Publicações da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB).