Promotoria de Justiça pede prisão preventiva de George

George Alves prestando depoimento na CPI dos Maus Tratos. Foto: Reprodução Web

George Alves está preso desde 28 de abril acusado de matar o filho, de 3 anos e o enteado, de 6.

Caso Linhares – O Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) solicitou prisão preventiva do homem conhecido como “pastor” George Alves. Ele é acusado de matar o filho Joaquim, 3 e o enteado Kauã, 6. Ele foi preso dia 28 de abril, em regime temporário.

O inquérito policial sobre a morte dos irmãos foi entregue ao (MP-ES) duas vezes. É que a promotora do caso, Rachel Tannenbaum, pediu “investigações complementares”. Com os pedidos atendidos e devolvidos ao órgão, a promotoria pediu ampliação da prisão do acusado.

George Alves responde por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulnerável. Ele prestou depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito dos Maus Tratos no dia 25 de maio, e negou que tenha abusado das crianças. Durante as indagações do presidente da CPI, Magno Malta, ele chegou a chorar alegando que não seria capaz de estuprar os filhos. “Eu sou inocente, eu não fiz nada. Eu não matei meus filhos. Eu choro todos os dias pela morte deles”, declarou.

A mãe das crianças Joaquim, Juliana Salles também vai depor da CPI dos Maus-Tratos. Mesmo não tendo participação no crime, segundo investigação da polícia, o presidente da CPI, quer ouvi-la. A audiência está prevista para o dia 14 de junho.


Leia mais

Linhares – Polícia diz que “pastor” matou filho e enteado
George nega abuso sexual

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!