Preto no Branco, carreira e história

“É possível se divertir fazendo música cristã, aquilo que cremos e amamos”

Quatro jovens artistas brasileiros com uma proposta musical ousada, criativa e contemporânea, influenciados pelo soul, black, samba, hip-hop, reggae, pop rock e adoração. Esse é o Preto no Branco, projeto que teve início na cidade de Belo Horizonte (MG) e idealizado pelo multimídia Alex Passos, diretor da Balaio Music.

O grupo, originalmente formado por Clovis Pinho (ex-Renascer Praise), Juninho Black e Weslei Santos (integrante da Horanona), com a contribuição de Eli Soares, lançou no final de 2015 o CD e DVD intitulados “Preto no Branco”, produzidos ao vivo e distribuídos pela Sony Music Brasil.  No repertório de 14 faixas,  há sucessos e inéditas de cada um dos compositores, que falam de amor, intimidade, entrega, gratidão e dependência a Deus, contando com participações especiais de Gabriela Rocha, Ian Alone, Israel Salazar (Diante do Trono), Lukão Carvalho, rapper Pedro Vuks e, por fim, Salomão do Reggae.

Com pouco mais de um ano na estrada, e atualmente em sua segunda formação – com a saída de Juninho Black para se dedicar à carreira solo e o reforço de Luan Murilho e Jean Michel –, o quarteto abraça a proposta de interpretar canções que deem voz ao público. E a missão vem sendo cumprida!

A música “Ninguém Explica Deus”, escrita por Clovis Pinho em momento de conflito pessoal, deu notoriedade à banda e foi a mais executada nas rádios gospel do país, além de ficar entre os 10 vídeos mais acessados na plataforma Vevo no Brasil, em 2016, e consequentemente no YouTube. “Eu vejo isso como a vontade de Deus nos surpreendendo a todo instante. Por mais que a gente tivesse tentado fazer um trabalho bacana, por mais grana que tenham investido, por mais trabalho que tenha dado, eu sinto que Deus quis aproveitar essa sementinha que plantamos na terra!

E por onde temos passado podemos perceber que Ele caprichou. Deus é bom demais”, declara Wesley Santos. Além de ser formada por homens negros, que se conheceram pouco tempo antes de iniciarem esse projeto, e que já possuem suas respectivas e respeitadas carreiras no segmento, a banda tem outro diferencial: os artistas não apenas cantam, mas também tocam diversos instrumentos, tornando possível o revezamento entre eles no palco durante as apresentações, com muito dinamismo e energia. “Nossa ideia foi mostrar algo novo, mas que a igreja pudesse participar do começo ao fim e que se divertisse conosco a cada canção. Não foi um trabalho pensado em um público-alvo; nós fizemos com a confiança de que Deus levaria a quem Ele quisesse”, justifica Wesley.

Segundo Clovis Pinho, o burburinho causado no mercado gospel já era esperado, por causa desse estilo mais contemporâneo. No entanto, toda essa repercussão foi algo surpreendente. E ele garante que o projeto tem sido um marco na vida de cada integrante. “Queremos inspirar as pessoas a cantarem e ouvirem música de qualidade e mostrar que é possível se divertir fazendo música cristã, aquilo que cremos e amamos. Nós nascemos na internet e esta é uma credencial muito importante que atingiu pessoas de diferentes religiões. Estamos tendo um retorno carinhoso de outros artistas ao redor do mundo”, lembra.

Apesar da agenda movimentada, uma das preocupações dos músicos é dedicar tempo para interagir com o público, dar atenção às mensagens e testemunhos recebidos, sempre com humildade e respeito. “Levamos a mensagem de Cristo, e Ele mesmo quebrou a distância que existia entre nós.

Nós queremos fazer o mesmo. Queremos estar juntos, olhar no olho, e mostrar que enfrentamos os mesmos problemas e desafios, mas que estamos caminhando de mãos dadas, para o mesmo alvo”, conta Clovis. Além disso, há todo um empenho em trazer novos estilos para a música gospel.

“Eu acredito que esse é o grande desafio da música cristã, sair do lugar-comum. Não é fácil porque você lida com uma tendência. Existe uma demanda de mercado e há uma expectativa também das pessoas em relação à sua musicalidade”, acrescenta. Recentemente, os meninos lançaram a canção “Fé na Vida”, escrita por Wesley Santos, com uma pegada pop bastante atual, que tem agradado a todas as idades. A faixa ganhou um videoclipe em formato de animação, assinado por Juliano Castro.

O diretor Alex Passos falou sobre a composição e a ideia por trás do trabalho audiovisual. “Com o Brasil vivendo esta crise terrível, a gente quis transmitir otimismo às pessoas. O clipe vem trazendo a mensagem bíblica de ‘tenha bom ânimo’”, afirmou. O projeto gráfico do single faz referência ao álbum “Abbey Road”, um dos maiores sucessos dos Beatles, lançado em 1969. Já a letra enfatiza que é preciso persistir com foco, força e fé na vida. “O mais legal é que nosso trabalho está conseguindo o reconhecimento não só do público cristão, mas também da imprensa secular e de diversos artistas populares, atletas e celebridades que precisam ser alcançados por Jesus”, comenta Clovis.

E entre as apresentações, viagens e entrevistas, os músicos têm trabalhado nas composições já pensando no segundo álbum, que deve seguir a mesma linha, com o intuito de edificar, emocionar, impactar, salvar e transformar os corações. O próximo projeto também deverá contar com um DVD que fale desta nova fase e formação da banda, além da participação de convidados especiais.

Enquanto o Preto no Branco vem ganhando espaço no meio gospel, os integrantes permanecem com seus projetos paralelos, mas garantem que priorizam o grupo, que veio para ficar, “até quando Deus quiser”, conclui o cantor.

Assista ao clipe “Fé na Vida”