Arrependimento e pedido de perdão marcam retorno de Thalles Roberto

Após dois anos, quando fez declarações consideradas ofensivas aos colegas de profissão, Thalles Roberto pede desculpas e se retrata publicamente. 

Em uma transmissão ao vivo no Facebook, ele diz ter se arrependido e pede perdão a todos os que se sentiram ofendidos. Depois de cantar algumas de suas músicas, ele falou que decidiu que estava na hora de pedir perdão pelo que fez, se referindo às polêmicas de 2015, quando afirmou ser melhor que todos os cantores gospel, e disse ser acima da média.

O artista contou que pediu desculpas pessoalmente a alguns cantores, citando André Valadão, Bruna Karla e Anderson Freire, e disse reconhecer que foi imaturo por ter falado o que classificou como “bobagens”.

Thalles também deixou claro que está voltando ao Brasil, que pretende retomar sua carreira na música gospel e explicou que o seu pedido de perdão não é uma desculpa para poder voltar. Ele revelou que está fazendo muitas músicas novas sobre esse momento de dificuldade que passou, mas que não quer voltar apenas para fazer show e sim, retomar seu ministério.

O que motivou seu arrependimento e o consequente pedido de desculpas em público?
Se passaram dois anos desde que tudo aconteceu e nesse tempo ocorreu um processo especial de Deus na minha vida. Deus trabalhou no meu coração para me fazer entender onde estavam as minhas falhas, Ele me mostrou onde eu errei e onde deveria mudar. Eu passei por um processo de transformação dentro de mim. Todos os homens de Deus na Bíblia passaram por um processo porque Deus não só quer nos mostrar o que está errado, mas Ele quer nos ensinar o que está errado para que possamos mudar como o vaso nas mãos do oleiro. Então, o que me motivou ao arrependimento? O arrependimento vem quando a gente se encontra com Deus. Primeiro eu reconheci meu erro, depois eu pedi perdão a Deus, limpei meu coração diante de Deus;

E depois do meu coração limpo diante do Pai, eu decidi pedir perdão para as pessoas, baseado numa palavra que diz “quando você for entregar uma oferta e se lembrar que seu irmão tem algo contra você, deixe ali a sua oferta”. Eu estou a ponto de entregar a minha oferta, que é a de voltar com meu ministério no Brasil. Eu tenho que pedir perdão às pessoas para que meu caminho esteja livre para eu prosseguir.

De tudo o que disse há dois anos, o que te trouxe mais complicações?
As complicações não são fruto do que eu disse. Na verdade, são fruto do coração. Quando você tem um coração que precisa ser tratado, você começa a complicar algumas coisas na sua vida. De tudo o que eu falei, o que mais me trouxe complicação não sei responder exatamente, mas a minha vida mudou drasticamente porque eu decidi mudar. Eu não queria mais, então eu precisava ser transformado para querer, porque a minha atitude foi a de uma pessoa que toma suas decisões sem ter a bênção do Pai. E não é assim, nós temos que ouvir a voz de Deus, nós temos que saber qual é a direção de Deus. Então, o que trouxe complicação foi eu querer decidir minha direção sem a aprovação do Pai, é isso.

Você teve apoio espiritual nesse momento difícil?
Se eu não tivesse apoio espiritual, eu teria sido destruído. Então eu fui para a igreja. Ficava na igreja de segunda a segunda ouvindo palavra e ministração, jejuando e orando ao lado da minha família na presença de Deus. Eu precisava ser tratado não só das minhas deficiências, mas também para saber lidar com a dureza com que as pessoas me tratavam. A reação delas foi natural diante de tudo o que falei. O apoio espiritual, os irmãos, a igreja, a família e a presença de Deus foram fundamentais para que eu permanecesse vivo.

Como sua família lidou com a situação?
Meus filhos são muito pequenos e não tem ideia da dimensão de nada. Nós os protegemos, nunca chorei na frente deles, nunca falei nada. Eles não têm ideia do que aconteceu, mesmo porque eu continuei fazendo apresentações nos países da américa latina. O mais difícil foi para a minha esposa porque eu não falei nada com ela que eu iria tomar aquela atitude. O que eu disse foi difícil e o que as pessoas disseram falavam para ela nos lugares, na rua. Mas nós superamos tudo isso na igreja, sendo tratados por Deus e ouvindo a Palavra em oração.

E sua experiência com Deus durante esse tempo?
A minha experiência com Deus nesse tempo foi incrível porque todos nós precisamos passar pelo tratamento de Deus. Jesus Cristo passou pelo deserto e ali Ele foi tratado por Deus. Nós como seres humanos também precisamos passar por isso. Neste período, eu aprendi sobre a minha dependência de Deus num nível superior ao que que já tinha, aprendi sobre humildade, a entender a vontade dEle – não fazemos somente o que queremos -, ouvir a voz de Deus e seguir o Espírito Santo e me tornei mais maduro – quando a gente passa por dificuldades, a gente cresce, fica mais “sólido” e inteligente. Hoje, eu tenho uma bagagem muito forte de Deus e é isso que eu quero trazer para as pessoas. Mostrar o poder dEle quando a gente vive uma experiência difícil. Ele te coloca no colo, e te ensina o que você tem de fazer.

Eu recebi novas diretrizes do Espírito Santo para o meu ministério, recebi novas canções maravilhosas de Deus, contando dessa transformação. Foi uma experiência incrível, o poder de Deus se aperfeiçoa nas nossas fraquezas. Como disse Paulo “quando eu sou fraco, aí é que eu sou forte”.

Como pretende seguir com seu ministério a partir de agora?
Eu pretendo seguir com meu ministério, voltar com tudo. Eu sei que o que Deus vai fazer será muito maior do que foi porque Ele pega o vaso e o trabalha para poder usar de forma mais intensa e mais forte. Estou cheio de energia, de Deus, de vida, de paz e de unção porque eu vivi isso nesse tempo. Deus derramou sobre minha cabeça a unção. Vou voltar fazendo o que fazia antes, mas agora acredito que serei mais focado e mais forte. Tenho certeza de que Deus fará algo maior do que já foi. Vou gravar CD e DVD e vou seguir o meu caminho como Deus me direcionou. Acabei de gravar DVD na américa latina e Deus quis que esse trabalho “estourasse” lá fora. De tudo isso que passei, o inimigo pensava que tudo tinha acabado, mas Deus me devolveu as portas para estar de novo no Brasil. Ele transformou uma maldição em bênção e é maravilhoso.

Mas e agora, você acha que tudo vai voltar a ser como era antes?
Acredito que as coisas não voltarão a ser como antes, mas serão maiores. Sou um homem escolhido por Deus para fazer a sua obra, eu tenho convicção disso no meu espírito. Apesar de ter passado por tudo isso, sei que todas as grandes pessoas que estão na Terra passaram por lutas e provas muito difíceis e eu passei por algo muito difícil. Deus não permitiria que eu passasse por isso para a minha vergonha, mas para meu crescimento, a fim de que eu possa ensinar às próximas gerações. Estou pronto para viver não como antes, mas melhor, mais intenso e mais forte.

Assista ao vídeo:

A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita