O Pastor Responde: casamentos mais frágeis

Perguntado pelos leitores Marilena e Romildo Agum, PIB Vitória

Antes da Revolução Industrial e do feminismo, os casamentos aconteciam entre as famílias que eram conhecidas umas das outras, assim como a união de povos e reinos no passado. Com a evolução disso, somada à busca desenfreada pelo dinheiro, muitas mulheres passaram a ganhar mais do que os maridos, a ter independência.

Temos uma geração de filhos egoístas, individualistas e muito materialistas devido à troca do afeto pelas coisas, fora da realidade do mundo, como se não vivêssemos em comunidade e como se não precisássemos uns dos outros.

Vivemos hoje a era do descartável; o ser humano tem adorado a matéria e o dinheiro e investido pouco tempo em amar o seu semelhante como ele é. Hoje queremos tudo do nosso jeito e, se não for assim, descartamos movidos pelo imediatismo e pela impaciência. Temos hoje uma geração de pais separados, que influenciam filhos a seguirem o mesmo caminho no futuro.