Palestra aborda proteção a criança e abuso sexual

Foto ilustrativa

Brasil é apontado como pior país da América Latina para meninas viverem

A violência, a exploração e o abuso sexual contra crianças e adolescentes são questões recorrentes no Brasil. A pesquisa da Save The Children, de outubro de 2016, aponta o país como o pior da América Latina para meninas viverem.

Combater esse tipo de violência é uma luta que precisa do envolvimento de toda sociedade. Nesse contexto, o assunto será apresentado em uma palestra promovida pela Igreja Pentecostal Herdeiros de Sião, em Vitória (ES). O tema do encontro é “Proteção a criança e abuso sexual”.

A palestra será ministrada pelo delegado Lorenzo Pazolini, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) da capital capixava. Ele destacou que diariamente recebe vítimas de diversas violações de direitos, as mais comuns de natureza sexual.  “A infância de muitos de nossos jovens é marcada por violência e desrespeito aos direitos mais elementares”. O delegado declara ainda que “são jovens que se apresentam em situação de extrema fragilidade física, psicológica e emocional”.

Pazolini explica que o primeiro atendimento será fundamental para o estabelecimento de uma relação de confiança entre o agente da  DPCA e a vítima. Importante utilizar desenhos e gravuras, como estratégia para assegurar à vítima ambiente acolhedor, com escuta especializada e depoimento especial. “Técnica pode proporcionar a expressão e materialização da violência sofrida, o que não teria coragem de verbalizar espontaneamente, gerando um ambiente mais propício e menos constrangedor à busca da verdade”.

O delegado explica ainda que essa técnica é reflexo da aplicação da doutrina da proteção integral e do princípio de quebrar  gelo existente entre o agente estatal e a criança. Também evitar a chamada revitimização, uma vez que reiterar o relato de violência certamente redundará em maiores danos às vítimas. “Trata-se de importante forma de expressão que permite a produção de prova apta a subsidiar o indiciamento, denúncia e posterior condenação de abusadores”

Abuso Sexual

O investimento em políticas públicas, sobretudo nas áreas de educação e saúde é imprescindível. O objetivo é conscientizar, informar e orientar crianças e adolescentes sobre o risco real da atuação de pedófilos. “Imperiosa se faz a atuação estatal pró ativa, visto que diante das graves e indeléveis consequências geradas a crianças e adolescentes, devemos ter como objetivo primário evitar que tais crimes sejam praticados e não somente investigarmos e punirmos seus autores após a consumação dos delitos”, finalizou o delegado. A palestra é aberta ao público

Dados do Ministério dos Direitos Humanos apontam que, em 2016, o Disque-Denúncia (100) recebeu 15.707 denúncias de abuso sexual contra criança. Nesse mesmo ano, o sistema de saúde registrou 22,9 mil atendimentos a vítimas de estupro no Brasil. Em mais de 13 mil deles – 57% dos casos – as vítimas tinham entre 0 e 14 anos. Dessas, cerca de 6 mil vítimas tinham menos de 9 anos.

Dia: 09 de junho – sábado
Hora: 14h as 16h
Local: Igreja Pentecostal Herdeiros de Sião
Endereço: Rua Aleixo Neto, nº 220, Santa Lucia Vitoria/ES

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!