Pais & Filhos

Conta-se que, em uma família espanhola, pai e filho sempre tiveram sérias divergências e nunca viviam em harmonia.

Não aguentando mais aquela constante guerra familiar contra o próprio pai, o filho, de nome Pablo, saiu de casa e nunca mais foi visitar seus pais. Muitos anos se passaram, e o pai, repensando o seu relacionamento com o filho e desejoso de fazer as pazes, publicou um anúncio no principal do jornal da cidade.
O anúncio dizia o seguinte: “Pablo, amanhã às 12 horas, em frente à principal catedral de nossa cidade, quero encontrá-lo e me reconciliar com você. Assinado: Seu pai”. No dia seguinte, às 12 horas, em frente àquela catedral estavam dezenas de jovens, de nome Pablo, desejosos de restaurar a harmonia com seus pais.

Malaquias termina sua profecia falando de harmonia entre as gerações, entre jovens e idosos, entre pais e filhos. Diz o texto bíblico: “Ela fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para os seus pais; do contrário, eu virei e castigarei a terra com maldição.” (Malaquias 4.6) A bênção ou a maldição depende desta relação. Uma das ênfases do ministério de João Batista, representado na profecia por Elias, estava em alertar o povo acerca desse importante ponto nos relacionamentos. A bênção de Deus para Seu povo, que podemos aplicar à família, passa pela necessidade de restaurar os relacionamentos quebrados.

Quantos pais estão distantes de seus filhos? Quantos relacionamentos quebrados entre pais e filhos temos em nossa sociedade e em nossas igrejas? Ter o coração voltado para o filho representa o desejo ardente de ouvir a voz que vem de seu coração.

Pais que têm o coração voltado para os filhos sabem que criar filhos é uma missão dada por Deus.  Sabem que as prioridades devem ser as de Deus em relação à família. Sabem que o trabalho não deve competir com o tempo dado à família.

Pais que têm o coração voltado para os filhos sabem que os ensinamentos dos princípios cristão não são uma tarefa, primeira, da igreja ou de escolas cristãs, mas deles mesmos! Pais que têm o coração voltado para os filhos investem e fazem dos filhos discípulos, em primeiro lugar, de Jesus.

Ter o coração voltado para os filhos é dizer mais “filho, eu amo você”, é abraçá-los mais vezes e orar por e com eles frequentemente.Quando pais e filhos vivenciam as palavras de Malaquias sabem que os verbos “perdoar” e “reconciliar” devem ser praticados sempre. Neste e em outros relacionamentos humanos devemos sempre ser mais demolidores de muros e mais construtores de pontes.

Filhos que têm o coração voltado para os pais procuram compreendê-los, ser obedientes e honrá-los sempre. Filhos com o coração voltado para os pais não se isolam em seu mundo, procuram ouvi-los mais, cumprindo assim o que diz Provérbios 4.1: “Filhos, escutem o que seu pai ensina. Prestem atenção e compreenderão as coisas” (Provérbios 4.1)
Ter o coração voltado um para o outro é cair nos braços daquele com quem desejamos viver em harmonia, podendo ser pais e filhos, maridos e esposas.

Como seriam nossas famílias se todos os seus membros tivessem o coração sempre voltado para o outro?

Gilson Bifano

É pastor, líder do Oikos, Ministério Cristão de Apoio à Família; pós-graduado em Terapia da Família; pedagogo; escritor e filósofo.

A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.