Os vícios e suas consequências

Os vícios e suas consequências
Jorge Linhares é pastor presidente da Igreja Batista Getsêmani, sediada em Belo Horizonte/MG

“Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo, quando se escoa suavemente; no fim morde como uma serpente, e pica como um basilisco. Os teus olhos verão coisas estranhas, e o teu coração falará coisas perversas.” (Provérbios 23:31-33)

Os índices das pesquisas demográficas apontam que, a cada nova década, há uma explosão no número de habitantes do Planeta. Infelizmente, na mesma proporção, crescem os problemas com o uso de drogas, com doenças incuráveis, violência, depressão, desemprego, alcoolismo, entre tantos outros. Muitas pessoas, dependentes e deprimidas, vão em busca de uma falsa liberdade, e se tornando, cada vez mais, escravas de seus próprios vícios.

A massificação das informações à velocidade da luz, também facilita para que o Diabo coloque em prática suas estratégias de escravizar o homem. Estudos mostram que mais de um terço da população adulta brasileira tem algum tipo de vício, e que perto de 15% dos adultos desenvolvem dependência de álcool e de outras drogas, índice que pode chegar a 30% quando se inclui os fumantes. Há ainda os viciados em jogos. São vícios que trazem muito sofrimento e destruição, tanto para o indivíduo quanto para sua família. Sabemos que é esse o objetivo do inimigo: roubar, matar e destruir.

Todavia, mesmo para quem está escravizado por qualquer tipo de vício, há uma esperança. Ninguém precisa viver nas garras do Satanás e destruir a vida por causa do álcool, cigarro ou outras drogas letais, como crack, maconha ou cocaína. Existe um ser que pode tirar um viciado do fundo do poço: Jesus de Nazaré. Sabemos que não é da sua vontade, que o homem viva preso aos laços da escravidão profunda que os vícios criam. Jesus é o bom pastor que se preocupa com suas ovelhas. Ele é a porta, pela qual todos podem entrar e serem salvos.

O Satanás quer jogar por terra tudo o que o Senhor veio construir e, para isso, usa armas poderosas como bebida, drogas, fumo e jogos, porque sabe que o vício alimenta a violência, o desamor e as discórdias. Mas, desde o princípio, não foi esse o caminho que Deus preparou para ninguém. É importante também que ensinemos nossos filhos, desde a mais tenra idade, para que não caiam nas armadilhas do inimigo. Bom lembrar que diálogo, amor e disciplina são ferramentas importantes. Os responsáveis por uma criança têm obrigação de criá-la no caminho certo, principalmente com bons exemplos em casa.

Qualquer ser humano que atenda aos apelos do inimigo e envereda pelos caminhos dos vícios, terá um fim trágico. O Criador não fez as pessoas para rastejarem bêbadas ou drogadas, como se fossem serpentes. Todo aquele que bebe ou faz uso de drogas perde a noção dos limites do próprio corpo e de seu comportamento. Todavia, não importa por qual vício a pessoa se enveredou. Há sempre uma esperança, porque Jesus veio oferecer a oportunidade de um novo recomeço, de se escrever uma nova história para a vida de qualquer pessoa.


Jorge Linhares é pastor presidente da Igreja Batista Getsêmani, sediada em Belo Horizonte/MG

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!