O santo e o profano

O santo e o profano
Jorge Linhares é pastor presidente da Igreja Batista Getsêmani, sediada em Belo Horizonte/MG

“A meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o imundo e o limpo.” Ezequiel 44.23

Atualmente, graças à modernidade e, muitas vezes, à falta de compromisso, muitas pessoas querem misturar as coisas preciosas do Senhor com as mundanas. Também nos tempos do profeta Ezequiel era assim e, por isso, Deus computou o pecado àquele povo, porque fazia mistura das coisas divinas com as das trevas. Mais adiante, encontramos Deus falando aos sacerdotes para ensinar ao povo a separar o precioso do vil. Embora muitos queiram manter suas atitudes mundanas e uma postura de santidade, isso não pode ser possível, porque o próprio Jesus ensinou que “ninguém pode servir a dois senhores”, (Mateus 6.24).

No capítulo 3, verso 16, do livro de Apocalipse, também há um alerta do Senhor: “Assim, porque é morno e nem és quente, nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca.” O Senhor usa termos de significação contrária, tais como precioso e vil, santo e profano, imundo e limpo, quente e frio. Deus está falando sobre posicionamento, sobre escolhas, uma vez que ninguém pode andar com Jesus, estando impregnado das coisas do mundo.

Sabemos que o ser humano tem uma natureza pecaminosa e, por saber disso, o Satanás explora o ponto fraco do homem para tentar dominar a sua vida. Na verdade, o que o inimigo quer, é tomar o lugar de Deus na vida das pessoas e não economiza esforços para alcançar os seus objetivos. Não é segredo que existem muitas pessoas que adoram Satanás que, aproveitando disso, se infiltra por meio do engano para roubar o louvor que seria do Senhor. Muitos que são ludibriados, pensam estar seguindo a Deus, quando na verdade estão caminhando para a condenação, a exemplo daqueles que seguem outros evangelhos que não o de Jesus Cristo, ou praticam rituais satânicos.

Nos últimos anos houve uma explosão no número de evangélicos. Dizer que é evangélico é fácil, bem como dizer que se crê em Jesus. Mas a diferença entre o falso crente e o verdadeiro é o fazer a vontade de Deus. Somente aquele que separa o limpo do imundo é realmente filho de Deus. Qualquer pessoa pode frequentar uma igreja evangélica, pois Jesus veio para salvar os pecadores. No entanto, se alguém quer ser filho de Deus, verdadeiramente, tem que nascer de novo, nascer do Espírito, deixar as coisas imundas para trás e fazer a vontade de Deus.

Em Romanos 12, o apóstolo Paulo nos ensina a não nos conformarmos com este mundo, o que não quer dizer que tenhamos que sair tentando condenar ou mudar tudo. O que ele quis dizer é que precisamos transformar a nós mesmos, não à forma como os outros vivem. Somente, quando aprendermos a separar o santo do profano, o precioso do vil, estaremos, verdadeiramente, fazendo a vontade de Deus nesta Terra.


Jorge Linhares é pastor presidente da Igreja Batista Getsêmani, sediada em Belo Horizonte/MG. Atualmente, preside também o Conselho de Pastores do Estado de Minas Gerais. É bacharel em História e Teologia e pós-graduado em Administração e Gestão Empresarial. Autor de 240 obras literárias, Jorge Linhares é também conferencista internacional, tendo ministrado em vários países da América do Sul, América do Norte, Europa e África.


Leia mais

É perigoso ser grande
Onde a igreja não salga, o diabo atua

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!