O caos previsto

Ao ver de longe o que está acontecendo em um Estado há somente 40 minutos de distância de minha casa (via aérea), me veio à mente a seguinte questão: “Como um Estado que se chama Espírito Santo e cuja capital chama-se Vitória pode estar passando por uma calamidade destas? ”.

Cenas absurdas de arrombamentos; roubos, assaltos e furtos à luz do dia; pessoas que nunca se envolveram em crimes…roubando; escárnio; irresponsabilidade; falta de diálogo; desabastecimento; incompreensão; pessoas indefesas; tudo parado, enfim…insegurança total.

Quando vi o vídeo dos policiais no batalhão pedindo autorização para algumas pessoas no portão do quartel ficou claro tratar-se de um balão de ensaio para o que há de vir, pois a cena, além de patética, demonstra o descaso do ser humano com relação a outros seres humanos.

Isto tudo acontecendo num Estado com dificuldades financeiras, mas com suas contas sob controle, pagando seus funcionários em dia, ou seja, apesar da crise não há atrasos. Não há motivos urgentes.

Esta situação certamente vai se resolver de alguma forma e muito em breve, mas fica ainda a questão acima a ser respondida.
Não sou dado a espiritualizar tudo que vejo ou ouço, mas, para mim esta situação está de forma escancarada nos mostrando uma amostra do que será em grande escala a grande tribulação.

É um momento para vermos, refletirmos, orarmos e instruirmos os que estão próximos a nós a se prepararem para tempos difíceis, desregrados, sem amor e sem Deus.

Maranata!

Mario Barbosa

Com formação em Marketing, foi Diretor de Planejamento da Denison Rio Propaganda em São Paulo e, durante treze anos, atuou como Diretor Executivo da Bíblica Brasil, entidade sem fins lucrativos voltada para o licenciamento e distribuição de publicações, além de apoiadora de projetos de assistência educacional tanto em São Paulo (estado) quanto no nordeste do Brasil. Atua desde maio de 2012 na direção executiva do Instituto Renovo

 

Compartilhe