Noivado: preparação para um compromisso

Período em que o casal formaliza sua promessa de vida em comum diante de Deus e da família, o noivado é uma prática que ainda sobrevive no meio cristão

Antes de se tornarem um só corpo, homem e mulher passam por etapas, sendo que o noivado é um importante passo dado pelo casal cuja intenção é selar sua união com o matrimônio. O período serve para que ele e ela se preparem para ser um do outro por toda a vida. Além disso, firma as promessas do compromisso diante de Deus, da Igreja e da sociedade.

O pastor Paulo T. Zahn, líder do Ministério da Família da Igreja Adventista do Sétimo Dia para as regiões central e norte do Espírito Santo, explica que essa fase faz parte do processo de amadurecimento para se habituar a uma nova vida com o cônjuge. “O noivado é importante porque é um período onde o casal poderá se conhecer melhor. Portanto, cremos na relevância do noivado com base nas Escrituras e entendemos a sua utilidade contemporânea para dar subsídio àqueles que desejam ingressar no matrimônio”, afirma.

Para o pastor Teerclem Milagre Mesquita, da Assembleia de Deus Gideões de Fogo, trata-se de um pré-casamento em que ambos, já comprometidos, têm a liberdade para acertar os últimos detalhes de uma vida antes de subirem ao altar, já que após a formalização da união serão uma só carne. “Acredito que o noivado faz parte de uma tradição aceita pelos cristãos e se tornou apreciada pela família cristã. É uma etapa importante, pois é fundamental conhecer a pessoa com quem se está começando uma família. Atualmente, o que destrói nossa sociedade é uma família desestruturada em todas as classes sociais”.

De acordo com o pastor Luivan Scheidegger, da Igreja Batista Restauração de Jardim América, em Cariacica, colocar as alianças no dedo anelar da mão direita é um rito de passagem importante. “Os casais devem ter um tempo para se preparar. O noivado é importante porque traz um compromisso um para com o outro e também dá, principalmente à noiva, mais segurança. O noivo se torna mais responsável, não só com a sua noiva, mas também com os futuros sogros”, afirmou ele, que ministra cursos de noivos há 15 anos. “Nesse momento, sempre aconselho que o casal faça um curso de noivos. As pessoas estudam para ser médico, advogado, jornalista, não é? Então, elas também devem estudar para ser marido e mulher, a fim de que entrem no casamento prontas para tais funções. A falta desse preparo tem causado as separações que vemos ultimamente”, completou.

União à vista
Para a estudante de Psicologia Mayara dos Santos Santana, 27 anos, noiva há oito meses do advogado Salomão dos Anjos Pinheiro, 28, com a leitura da Bíblia, é possível perceber a seriedade da relação. “O noivado é uma etapa onde o compromisso é formalizado e as promessas feitas são firmadas diante de Deus, da família, da sociedade. É um modo de afirmar perante todos que fizemos a nossa escolha e assumimos um compromisso espiritual, moral, social e material para em breve nos casarmos. Além disso, nós, cristãos, acreditamos que para obter um futuro a dois próspero e abençoado, é necessário incluir  Deus no meio desde o início do compromisso, vivendo uma vida de busca constante ao Senhor juntos, orando e estudando a Sua Palavra, ou seja, vivendo uma vida com propósitos. O noivado também é uma fase em que o casal deve cultivar e preservar a santidade e a comunhão diante de Deus, para não ultrapassar etapas, evitando assim maldição para a relação. Deve-se saber viver com respeito tudo em seu devido tempo, para que sejam alcançadas as ricas bênçãos do Senhor tanto para o presente quanto para o futuro”, disse.

Mayara diz, ainda, que o noivado é uma época importante e que fazer cursos é ainda mais. “É essencial fazer curso de noivos, pois amplia a nossa visão para muitos pontos. E os benefícios são muitos! O curso oferece conselhos e ferramentas para mantermos uma boa comunicação, para compreendermos a importância do papel do homem e da mulher no casamento, e como praticá-lo com sabedoria. Nos ensina como lidar com as dificuldades na adaptação da vida a dois e o real sentido da vida sexual dentro do casamento. Aprendemos os propósitos específicos de um matrimônio. Fazer o curso de noivos é um investimento enriquecedor!”, opina.

A estudante de Medicina Kessilyn Dourado Storch, 22 anos, e o engenheiro civil Jonas Pereira Gravino, 25, são outro exemplo de casal cristão que acaba de dar esse passo. Noivos há cinco meses, eles acreditam na importância dessa etapa. “É um período de transição entre namoro e casamento muito importante, pois neste momento tomamos grandes decisões, nos comprometemos ainda mais, as conversas são mais profundas”, explicou Kessilyn.

Dayana da Silva Brandão, 26, professora, e Rodrigo Silva Belém, 32, almoxarife, noivos há cinco meses, também investem nisso. “O noivado é o meio de formalizar um compromisso já estabelecido entre o casal, reforçando a responsabilidade de ambos nesse relacionamento”, falou.

A corte
Chamamos de corte o compromisso que adolescentes e jovens fazem com os seus pais. “A jovem coloca o seu pai como aquele que protegerá o seu coração, combinando com ele que todo rapaz que manifestar desejo em namorá-la, ela dirá a ele. Ele, por sua vez, é quem dá o sinal verde para o compromisso. “Lembrando que um rapaz que quer honrar a pretendente não terá dificuldade alguma em fazer isso. Caso o pai, que tem mais experiência que a filha, entenda que o rapaz tenha as qualidades de um verdadeiro homem para ser o futuro genro, dirá isso à sua protegida”, explica Luivan.

O livro do profeta Malaquias (4: 6) diz: “E converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos aos pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição”. “O desejo de Deus é que os pais amem aos seus filhos e os protejam de todos e quaisquer perigos. Da mesma forma, Deus quer que os filhos sejam obedientes aos seus pais e creiam que eles são os melhores parceiros para ajudá-los a encontrar a pessoa mais apropriada para formar uma família”.

A matéria acima é uma republicação da Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.