Não vos conformeis

Foto ilustrativa

O fato de o mundo ter mudado nos últimos anos ou décadas não altera a forma como os cristãos devem viver.

Na escola e na faculdade, conversar sobre as idas a boates e shows é certeza de um bom papo com os amigos. Os filmes no cinema ou em casa vêm recheados de cenas de sexo, de linguajar pesado, mas mesmo assim não alteram em nada o programa com os colegas. Na televisão, as mulheres dançando praticamente nuas são a mostra da “cultura brasileira”. No trabalho, já virou rotina falar mal do chefe, omitir informações para se promover e ver sites com fotos sensuais no horário do almoço ou fora do expediente. Todo mundo faz.

Propor um acordo para não ser multado no trânsito e ganhar um extra na hora de fechar um contrato da empresa onde trabalha são mostras de que você é esperto. Atualmente, ser a favor do homossexualismo é mostrar que está por dentro das discussões sociais do mundo. Sair com o namorado para motéis ou passar a noite juntos na casa de algum amigo ou dos próprios pais é uma realidade comum. Casar virgem é tido como uma prática antiga.

Em um mundo pós-moderno, onde o legalismo parece não ter mais fronteira, as situações citadas acima já são consideradas normais para as pessoas, mas não para os padrões bíblicos. O fato de o mundo ter mudado nos últimos anos ou décadas não altera a forma como os cristãos devem viver. Influenciados por essas mudanças, muitos crentes têm se adaptado aos novos comportamentos, vivido com a aparência do mundo, e deixado de lado os mandamentos de Deus.

A honestidade, por exemplo, tem um limite estabelecido ou existe “meio honesto”? Com tantas taxas cobradas pelo governo, até que ponto devo ser honesto na hora de pagar os impostos? As “pequenas” mentiras contadas para não ter que se justificar por falhas cometidas no serviço ou em casa são totalmente erradas?

Como então ser um cristão de fato sem se deixar levar por esses modismos de comportamento? Para alcançar a santidade proposta por Jesus Cristo, uma das orientações está detalhada em Romanos 12:2: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

Mas nunca foi tão difícil testemunhar de Cristo e do Evangelho. Declarar-se contra a corrente forte que o mundo impõe é muitas vezes não estar atento às mudanças dos anos, das décadas, dos séculos. Muitos pecados tornaram-se aos olhos das pessoas, inclusive de muitos cristãos, algo que não traz mais mal algum. A triste realidade é que elas já estão com a aparência do mundo. Apresentam-se como cristãos, freqüentam regularmente os cultos, mas têm a forma do mundo.

O pastor Celso Godoy, da Missão Batista do Romão, em Vitória, ressalta que a pós-modernidade traz alguns conceitos que batem de frente com o que é ético tanto biblicamente quanto humanamente.

“É claro que há muitos avanços, inclusive para a igreja, como nos relacionamentos, nas programações e nos cultos, os avanços da Medicina, as novas tecnologias. Nós não podemos ficar parados como se estivéssemos no século passado. É preciso reter aquilo que mantém os conceitos de caráter moral, ético e religioso. Alguns cristãos, assustados com essas mudanças, acham que o certo é se afastar, se relacionar apenas com pessoas da igreja, desligar a televisão. No entanto, se fizermos isso viramos alienígenas. Nós vivemos no mundo, mas não somos do mundo. Temos que continuar vivendo e interagindo, mas sabendo o que é certo e o que é errado perante Deus”, orientou o pastor Celso Godoy.

Fazendo um contraponto com a história, o pastor da Igreja Presbiteriana Independente Júlio Paulo Tavares Zabatiero, que é professor de Teologia Bíblica e Ciências da Religião na Faculdade Teológica Unida (FTU), avalia que muitos dos comportamentos vistos hoje são reflexo do passar dos anos. Segundo ele, o grande desafio da fé cristã é a mudança na interpretação bíblica ao longo dos tempos.

“Ser moderno e ser crente no mundo moderno são coisas diferentes. Temos que mostrar diferença, somos sal e luz. Não podemos ter a mesma aparência do mundo. Músicas, danças, comportamentos… é preciso avaliar os limites de cada uma dessas coisas. O certo é que tudo fica mais fácil quando há clareza na Bíblia sobre determinado assunto, mas isso não acontece sempre, ainda mais para assuntos mais atuais. Por isso, cabe às igrejas avaliar e fazer propostas éticas aos seus membros”, disse o pastor Júlio Zabatiero.

Ele completa: “Um cristão que leva Jesus no peito tem um posicionamento diferente, mas deve ser coerente nesse testemunho. Eu não uso drogas, não minto, sou correto no trabalho, não me envolvo com mulheres ou homens fora do meu namoro ou casamento, mas sou uma pessoa comum. Como crente, qualquer coisa que a gente faça na vida tem que ser para mostrar o amor de Deus, para mostrar o Evangelho da salvação. Tenho que dizer que a razão de eu não fazer isso ou aquilo é porque Jesus me ama e quer o melhor para mim”.

Para o pastor Heleénder de Oliveira Francisco, líder dos jovens da Igreja Evangélica Batista de Vitória (IEBV), somente consegue se manter puros em um mundo corrompido aqueles cristãos que assumiram como ideal de vida a obediência a Cristo em qualquer situação. Ele ainda destacou o versículo que está em Marcos 8:34, onde Jesus afirma: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me”.

“Eu diria que há uma forte pressão do mundo para que os cristãos se contaminem. A discriminação pode até ocorrer em algum momento, mas o cristão fiel brilha e a sua luz contagia os que estão à sua volta. Muitos cristãos que foram discriminados em seu ambiente de trabalho, estudo ou mesmo na família, podem testemunhar que, com o passar do tempo, o seu modo de proceder digno acaba por fazê-lo ser admirado e respeitado. Mas, para passar por essa ‘prova de fogo’, é preciso estar convicto de sua posição em Cristo e querer agradá-Lo, mesmo que, para isso, precise enfrentar oposições, críticas e até mesmo tentativas de desviá-lo da fé”, afirmou o pastor Heleénder.

Na família da dona-de-casa Edinéia de Fátima Pessoa Marques, 47 anos, que é da Igreja Presbiteriana de Andorinhas, em Vitória, o comportamento é determinado de acordo com a Palavra de Deus. O filho, Mateus, de 14 anos, já enfrentou várias situações em que teve que discernir o que era certo ou não, mas havia recebido a orientação em casa e conseguiu escolher o caminho correto.

“Ele já vivenciou até mesmo o uso de drogas dentro da escola, mas soube se afastar porque sabia que aquilo era ruim, mesmo vendo colegas usando. Como mãe, fico preocupada com a educação dele e com quem ele está se relacionando, mas tento orientar sobre todas as questões, sempre mostrando o que Deus diz. Ele aprende e já sabe discernir o que é certo e o que é errado”, contou Edinéia, casada com Nelço Marques.

SEXUALIDADE ENTRE JOVENS

O pastor José Natal Rodrigues da Silva, pastor auxiliar da Primeira Igreja Batista de Jardim Marilândia, em Vila Velha, conhece bem essa realidade e trabalha o assunto com adolescentes. Ele lidera há sete anos o ministério musical Vozes do Amanhã, que desde o início do ano passado começou a implantar o projeto Anel da Santidade – Aliança com Deus. Após os ensaios aos sábados, encontros e cultos, o pastor lança o desafio do adolescente manter-se virgem até o casamento e quem aceita recebe um anel, que tem o nome Jesus gravado.

“É apenas uma referência, um simbolismo, mas que tem feito muita diferença. Hoje, 14 adolescentes já aderiram ao projeto e muitos deles estão sendo alvo de chacota na escola, são rotulados de cafonas, ultrapassados, sofrem pressão dos amigos para perderem a virgindade, mas entendem que Deus orienta que o sexo é para marido e mulher. Fazer sexo como namorado pode ser moderno para o mundo, mas não é o que Deus orienta”, declarou o pastor Natal.

Ter coragem de declarar-se virgem aos amigos rendeu tantas vezes ao auxiliar de departamento pessoal Lutiano Carreço Freire, 18 anos, o título de “bobo”. Ele está namorando há quatro meses e usa o Anel da Santidade. “Queremos ter um namoro nas mãos de Deus. Não é fácil manter-se virgem, mas não vou me conformar com os padrões do mundo. Muitos amigos meus já me chamaram para ir a festas porque iam ter muitas garotas para mim. Um outro diz que não consegue aceitar ter um amigo tão diferente. Para eles, sexo é uma opção, mas para mim é uma regra de vida, um testemunho para o meu Deus”, contou.

NA DÚVIDA, LEIA A BÍBLIA

A mesma determinação de Lutiano foi a do profeta Daniel, que com cerca de 16 anos negou-se a obedecer aos mandamentos do rei Nabucodonozor e foi jogado em uma fornalha ardente. Mas o pedido do rei era algo aparentemente muito simples para a época. Queria que seus súditos comessem o que ele comia, bebessem o que ele bebia e adorassem o que ele adorasse. No entanto, Daniel “propôs no seu coração não se contaminar” (Daniel 1:8). Por isso Deus o livrou da morte.

Muitos cristãos não estão vendo problema em muitas coisas ao seu redor e isso deve soar como um sinal de alerta. Se nada os incomoda, é preciso avaliar se o Espírito Santo de Deus, que foi deixado entre os homens também para incomodar quanto ao pecado, está mesmo neles. Para saber o que é ou não certo, o melhor caminho é buscar a orientação de Deus, seja através da oração ou da leitura bíblica.

“Temos de examinar a Palavra, ver o que ela diz claramente sobre o assunto em questão. Para os temas mais polêmicos e para os quais a Bíblia não oferece uma resposta bem direta, podemos nos perguntar: Jesus faria? Isso escandaliza alguém? Promove a edificação da igreja? É um instrumento para ganharmos vidas para Jesus? Meu coração está em paz quanto a isso? Não podemos nos esquecer, ainda, que o Espírito Santo fala conosco. Ao fazermos essas reflexões, podemos pedir a Ele que nos oriente em nossas dúvidas”, orientou o pastor Heleénder.

Testemunhar nos dias atuais não tem sido uma tarefa fácil. Fazer parte de uma pequena parcela do mundo que discorda de alguns pontos comuns é tantas vezes nadar contra a corrente. No entanto, Deus é quem deve ditar o que fazer, o que ler, o que cantar, o que comer, o que beber. Não são a família, os colegas de escola, de trabalho, as novelas, os cantores, artistas, políticos e líderes religiosos.

Como está escrito na Bíblia, o mundo está entregue ao pecado (I João 5:19). Então, em vez de nós, cristãos, sermos influenciados pelas coisas ruins do mundo, devemos influenciar. Devemos levar a luz da salvação, fazer diferença, ser sal, ser trigo, ter a forma de Jesus Cristo e transformar.

Relato de vida

“Tendem a achar que o que todo mundo faz é o certo”
“Até 14 anos atrás eu era espírita, macumbeira e vivia uma vida muito conturbada tanto em relação à família quanto à espiritualidade. Hoje sou uma serva de Jesus Cristo, assim como meu marido, e tenho duas filhas, de 21 e 17 anos, além dos filhos do meu marido, de 19, 17 e 15 anos.

A minha forma de criar meus filhos é hoje dentro dos princípios cristãos, mas a adolescência é uma fase muito difícil, e digo que a fase da esponja, quando se absorve tudo à sua volta. Por isso, todo cuidado dos pais é pouco. Os jovens sempre tendem a achar que o que todo mundo faz é o que é certo, mas sabemos que isso não é verdade.

Quando a minha filha mais velha tinha 15 anos arrumou um namorado. Ela já era batizada e teve uma experiência forte com Jesus. Mesmo assim, dois anos depois se afastou da igreja porque disse que estava vivendo fora dos padrões da Bíblia. Ela estava dormindo com o namorado. Mais tarde terminou com esse namorado e depois arrumou outro. Até hoje não voltou para Jesus.

O filho mais velho do meu marido foi morar com a mãe porque disse que quer mais liberdade. Na verdade, muitas vezes há o conceito errado de que ser crente é ter tudo proibido na vida, mas o certo é o que está escrito na Bíblia: ‘Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm'”.

Dona-de-casa de 45 anos, membro de uma igreja evangélica na Serra. O nome dela não foi publicado para não expor a família.

Não ter a aparência do mundo nos dias atuais é algo que poucos têm conseguido e afeta sobretudo a juventude, bombardeada por armadilhas do Diabo por todos os lados. A sexualidade é uma das principais estratégias do Inimigo para tirar um adolescente ou um jovem dos caminhos que levam à santificação.

A MATÉRIA ACIMA É UMA REPUBLICAÇÃO DA REVISTA COMUNHÃO. FATOS, COMENTÁRIOS E OPINIÕES CONTIDOS NO TEXTO SE REFEREM À ÉPOCA EM QUE A MATÉRIA FOI ESCRITA.


Leia mais

 

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!