O avanço da Malária no ES

Foto: Reprodução Web

Após o surto de sarampo, o Espírito Santo já registrou mais de 100 casos de Malária.

A malária está acometendo vários capixabas. Até o momento, já foram registrados 86 casos em Vila Pavão e 20 em Barra de São Francisco, totalizando 106 casos no Noroeste do Espírito Santo. De acordo com as prefeituras dos municípios, uma morte ainda é investigada. É a primeira vez que o Espírito Santo registra a forma mais grave da doença.

A Prefeitura de Vila Pavão decretou situação de emergência nesta terça-feira (7), e criou até uma Sala da Situação. O objetivo é monitorar as ações administrativas de combate à doença. Repelentes começaram a ser distribuídos gratuitamente na região.

Na segunda-feira (6), o prefeito Irineu Wutke assinou um decreto com validade de 180 dias. O documento autoriza a adoção de medidas administrativas necessárias à contenção do surto, especialmente, a aquisição pública de insumos e materiais e a contratação dos serviços necessários ao atendimento emergencial à população.

Doença

A Malária é uma doença transmitida pela picada da fêmea do mosquito Anopheles Stephensi. Também é conhecido como mosquito prego, infectada por plasmódio, um tipo de protozoário. Se não tratada, a malária pode evoluir para forma grave e para óbito. A maioria dos casos de malária se concentra na região Amazônica, nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Tratamento

Ainda não existe vacina para combater a doença, mas o paciente recebe o tratamento em regime ambulatorial, com comprimidos que são fornecidos gratuitamente em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Somente os casos graves deverão ser hospitalizados de imediato.

Para a cura, depende de vários fatores como idade do paciente, o tipo de protozoário, problemas de saúde, entre outros. Mas sendo tratada desde o início as chances de recuperação são altas.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!