Mais de 13 milhões precisam de ajuda na Síria

Inocentes morreram e meios de subsistência foram destruídos em sete anos.

O conflito na Síria está com quase sete anos de duração e a Agência da ONU para Refugiados, está solicitando “medidas drásticas para fortalecer a paz e a segurança no país”, antes que a situação se agrave.

A instituição está mobilizando a comunidade internacional a fortalecer o apoio aos sírios afastados do país pela guerra, amenizando o intenso sofrimento de “milhões de civis inocentes”.

Filippo Grandi, atual líder do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur), afirmou que a “Síria está numa encruzilhada”. São cerca de 13,5 milhões de pessoas que precisam receber ajuda humanitária, sendo que 6,3 milhões são deslocados internos da Síria. O Acnur recordou que milhares de sírios fizeram viagens de risco por terra e mar em busca de abrigo.

Quase três milhões de crianças sírias cresceram sem saber como é viver num local sem guerra, já que, quando nasceram, a Síria já estava em combate. Filippo Grandi lembrou que o “conflito não é sobre números, é sobre pessoas”, uma vez que “famílias foram arrasadas, inocentes foram mortos e casas, empresas e meios de subsistência foram destruídos.”

Na tentativa de diminuir o problema, no início de abril, haverá em Bruxelas, na Bélgica, uma reunião internacional sobre financiamentos para ajuda humanitária no país.

A ONU necessita de 8 bilhões de dólares em 2017 para atender as necessidades dos civis que estão no país e das famílias que estão refugiadas em nações vizinhas. O Acnur afirmou que vai continuar prestando apoio e proteção às vítimas do conflito. No ano passado, um milhão de sírios receberam ajuda durante o inverno e ao longo do ano, mais de quatro milhões foram beneficiados com comida, remédios, roupas e utensílios.

Compartilhe