Liderança não é direito hereditário

Liderança não é direito hereditário
Jorge Monteiro é Pastor na Nova Igreja, localizada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, e professor da Atos Escola de Liderança Cristã, onde ministra sobre liderança para pastores e líderes de diversas denominações

A liderança cristã é uma questão de servir as pessoas para que possam viver o chamado e propósito de Deus para elas

Hoje vamos falar sobre a importância da Liderança. Recentemente, participei de algumas reuniões em uma empresa familiar, fundada por um patriarca de personalidade carismática e reconhecido por todos como um grande realizador. Como na grande maioria das empresas familiares, filhos, netos e outros agregados são encontrados as pencas nos diversos setores e posições da empresa.

Outra característica da referida empresa é o que chamo de “organização pseudo-profissionalizada”, uma vez que a mesma possui um conselho, diretores e tudo mais que proporciona a aparência de haver processos de gestão e tomada de decisão profissionais.

Mas no final das contas, as principais decisões, inclusive sobre finanças e sucessão, acabam sempre sendo tomadas em função de interesses familiares e pessoais, muitas vezes em detrimento do que efetivamente seria correto ou melhor para a organização, comprometendo de forma significativa seus resultados.

Embora este cenário não seja nenhuma novidade no meio empresarial, ele me levou a pensar muito sobre como temos estruturado a liderança, gestão e sucessão em nossas igrejas.

O grande problema deste tipo de organização é que o foco e o comprometimento dos seus membros, muitas vezes, acaba não estando na organização nem em seus princípios, valores e propósitos, mas na performance, reputação e influência do líder e seus familiares.

Quando pensamos em empresas esta realidade é muito ruim, mas quando falamos de igrejas isso se torna ainda pior e mais preocupante. Temos inúmeros exemplos de igrejas que, em função de posturas nepotistas e processos sucessórios mal conduzidos, acabaram por perder pessoas com alto potencial, performance e chamado. E, pior ainda, em alguns casos chegando a se dividir.

Liderança nas igrejas

Por acaso você já viu um cenário como este em alguma igreja? Eu já, e, infelizmente, muitas vezes.

Não estou dizendo que você não deve fazer parte uma organização ou igreja familiar, pois não sei qual o seu chamado, nem o caráter e maturidade dos seus líderes. Afinal, assim como vemos algumas empresas familiares atuando de forma profissional e com grande sucesso, também existem inúmeras igrejas conduzidas por grupos familiares, realizando a obra de Deus com seriedade e excelência. Porém, acredito que se não houver uma real disposição da liderança em se profissionalizar, valorizando e desenvolvendo lideranças em função de fatores que não sejam simplesmente ou prioritariamente o vínculo ou interesse familiar, ela acabará em sua essência se tornando uma instituição limitadora do seu próprio crescimento e do desenvolvimento do potencial de liderança e realização dos seus membros, comprometendo o chamado daqueles que fazem parte do seu grupo.

O fato é que a verdadeira liderança não pode ser concedida, indicada ou atribuída, simplesmente, por quesitos familiares como um direito hereditário. Liderança é fruto unicamente da influência e do posicionamento, por isso, não pode ser dada e muito menos imposta, precisa ser conquistada. Eu realmente fico pensando no que levaria alguém de alta performance a se vincular à uma organização onde claramente a capacidade, competência e chamado são sobrepujados frente a questões nepotistas e fisiológicas.

Quando falamos de igrejas, precisamos entender, claramente, que liderança não é uma questão de conseguir pessoas para servir aos interesses de um líder carismático ou de uma família. A liderança cristã é uma questão de servir as pessoas para que possam viver o chamado e propósito de Deus para elas. Desta forma, a igreja deve se estruturar e organizar como um centro de excelência no desenvolvimento do chamado, do potencial e capacidade de liderança, ajudando as pessoas a se tornarem instrumentos cada vez mais eficientes para o Reino de Deus.


Jorge Monteiro é Pastor na Nova Igreja, localizada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, e professor da Atos Escola de Liderança Cristã, onde ministra sobre liderança para pastores e líderes de diversas denominações


Leia mais

Construindo uma mentalidade vencedora
O que tem direcionado suas decisões?

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!