Justiça liberta ex-ministro, Henrique Alves, da prisão domiciliar

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Político do MDB é suspeito de corrupção e lavagem de dinheiro durante a construção de estádio de Natal para a Copa do Mundo de 2014.

Nesta sexta-feira (13), o juiz Francisco Eduardo Guimarães Farias, da 14ª Vara da Justiça Federal no Rio Grande do Norte, concedeu liberdade provisória ao ex-ministro Henrique Eduardo Alves. Ele cumpria prisão domiciliar em Natal.

Henrique foi beneficiado por uma extensão da decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele determinou a libertação de outro investigado, o também ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ).

Os dois foram alvos da Operação Manaus, deflagrada em junho de 2017. No processo, constam denúncias de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Trata da construção da Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014. O superfaturamento das obras foi estimado pelos investigadores em cerca de 77 milhões de reais.

Por meio de nota, o advogado Marcelo Leal, que defende o ex-ministro, disse que a decisão da Justiça Federal atesta a inocência de Henrique Alves. “Até as testemunhas de acusação e os delatores premiados atestaram a inocência de Henrique Alves. O processo está no final. Foram ouvidas quase 100 testemunhas neste processo. E todas confirmam a inocência de Henrique!”, declarou.

*Com informações da Agência Brasil 

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!