Lembrem-se dos perseguidos

Há crescente perseguição e sofrimento de cristãos hoje em vários contextos
Antonia Leonora Van Der Meer (Tonica) serviu como missionária em Angola, em contexto de guerra e depois no Centro Evangélico de Missões (CEM), em Viçosa, MG. Hoje é uma das líderes do CIM, Cuidado Integral do Missionário, um departamento da AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileiras).

Há crescente perseguição e sofrimento de cristãos hoje em vários contextos

Qual é nossa tendência, como evangélicos brasileiros, de reação à realidade da perseguição religiosa e do martírio? As reações mais típicas são:

  1. Incredulidade: “Isso não acontece hoje, imagine! Deve ser propaganda daqueles que gostam de criar sensacionalismo…”
  2. O oposto: qualquer notícia horripilante é encaminhada para todos os amigos, e assim se mandam notícias e fotos não verídicas, não confirmadas, gerando sensacionalismo e preconceitos.
  3. Receio de se envolver: “Podemos até orar uma vez por ano, mas, graças a Deus, nós vivemos em paz. Jesus prometeu nos guardar ‘da hora da provação’. Vamos nos firmar nessa promessa e não temos nada a perder.”
  4. Atitude de pena, mas sem compromisso: “Mandar uma família para servir em tal contexto seria uma loucura! É claro que Deus não vai pedir isso.”

E aí, o que acontece com as famílias que vivem em tal contexto? Pensemos em nossos irmãos e irmãs na fé, e que sofrem diariamente muitas restrições e ameaças. E pensemos naqueles que são contra a nossa mensagem, em parte porque nunca ouviram claramente sobre o amor de Deus por eles, que Jesus se interessa em suas vidas e morreu por sua causa. Será que eles são mais pecadores e por isso merecem sofrer?

A Editora Ultimato publicou o livro Sangue, Sofrimento e Fé, a versão em português do livro Sorrow and Blood – expressões fortes, mas que correspondem à realidade de milhões de pessoas no passado e no presente. O livro traz artigos de contribuintes de todos os continentes, a grande maioria com experiência de servir em contextos de sofrimento. Do total de 46 capítulos, 8 foram escritos por brasileiros. Alguns dos assuntos são:

  • A situação de perseguição, a resposta dos cristãos, missão em contextos de sofrimento;
  • Reflexões bíblicas e teológicas sobre o problema do sofrimento;
  • Reflexões históricas e estudos de caso – contextos de perseguição e de sofrimento na obra missionária no passado e experiências atuais;
  • Preparo, apoio e restauração para aqueles que são afetados pelo sofrimento, com cuidado pastoral; treinamento missionário; preparo de igrejas e agências; uma história de filhos de missionários martirizados;
  • Temas finais – que tratam da oração e do chamado

Pensemos em nossos irmãos e irmãs na fé, e que sofrem diariamente muitas restrições e ameaças

No dia 27 de maio será o Dia de Oração pela Igreja Perseguida. Uma dedicação sincera e comprometida em oração com certeza dará novo ânimo a nossos irmãos e irmãs que muitas vezes se sentem isolados e abandonados. E Deus se agrada em responder às orações feitas segundo a sua vontade.

Como você vai responder? Procure se informar mais. O portal da Missão Portas Abertas (http://www.portasabertas.org.br/) sempre traz notícias atuais e confirmadas sobre necessidades em vários contextos. Não seja omisso. Apoie uma igreja irmã, que sofre perseguição. Eles orarão por nós e Deus também nos abençoará.


Antonia Leonora Van Der Meer (Tonica) serviu como missionária em Angola, em contexto de guerra e depois no Centro Evangélico de Missões (CEM), em Viçosa, MG. Hoje é uma das líderes do CIM, Cuidado Integral do Missionário, um departamento da AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileiras).

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!