Joseph Shulam: O caminho para unir judeus e cristãos

Joseph Shulam

Rabino Messiânico defende que retorno às raízes históricas irá colocar fim à separação entre judeus e cristãos

Nascido na Bulgária em 1962 e levado pelos pais para Israel aos 2 anos de idade, Joseph Shulam tornou-se um estudioso da Bíblia e um dos maiores teólogos do mundo. O rabino lidera a mais antiga sinagoga de judeus messiânicos de Israel, a Roê Israel. Pesquisador e mestre em Arqueologia Bíblica, ele viaja pelo mundo todo ensinando sobre a necessidade de diálogo entre judeus e cristãos. Esteve no Espírito Santo para participar de um seminário sobre a importância de Israel para a Igreja e visitou a redação de Comunhão.

O que é ser um judeu messiânico?

Judeu messiânico é aquele que crê em Jesus como Salvador, como Messias, filho de Deus. Discípulo de Messias, de Yeshua (Jesus Cristo).

Há preconceito entre os cristãos de outros locais com os judeus?

Sim, há muito preconceito. No cristianismo moderno, católicos, russos, ortodoxos ou protestantes são todos filhos de Roma, que há 700 anos buscou e alcançou a meta de separar Israel da Igreja Católica. E a Igreja Católica promoveu o ódio contra os judeus, porque não podia manter seu controle sobre o mundo cristão convivendo com eles. Quis retirar os judeus da família santa, mas Deus não deixou, porque prometeu a Israel uma nova aliança.

Em Jeremias 31, se lerem do 35 ao 37, irão entender que o sol durante o dia e a lua e as estrelas de noite são sinais de que Deus jamais deixará de amar e ter Israel como a nação escolhida, semente de Abraão. Agora Deus está retornando com os judeus para casa, a terra de Israel, que deu a Abraão e a seus descendentes eternamente, e não apenas por um período. Não há promessa mais profunda que essa, ela é encontrada na Bíblia mais de 20 vezes somente no livro de Gênesis.

E, se não terminar essa guerra espiritual do cristianismo contra os seus irmãos e filhos da família de Yeshua (Jesus), não haverá futuro.

Explique melhor esse preconceito?

A Igreja Católica expulsou Lutero, e Calvino fugiu da Suíça para a Holanda, porque era perseguido, mas eles nunca deixaram de ser católicos. Eu, como judeu, crente em Jesus, creio em cada Palavra da Bíblia, de Gênesis ao Apocalipse, mas não sou obrigado a crer na história ruim do cristianismo europeu.

Joseph ShulamHá uma lista de 1.700 novos cristãos que foram extraditados do Brasil para Portugal, onde foram queimados na fogueira, porque o Brasil não tinha poder de matar as vítimas da Inquisição. Em apenas um dia, em uma praça em Lisboa, queimaram 25 brasileiros judeus, crentes em Yeshua, crentes em Jesus.

Desde 1203, a Inquisição queimou diversos povos, os judeus foram perseguidos a partir de 1472. Mais tarde, em relação ao Brasil, há uma lista de 1.700 novos cristãos que foram extraditados daqui para Portugal, onde foram queimados na fogueira, porque o Brasil não tinha poder de matar as vítimas da Inquisição. Em apenas um dia, em uma praça em Lisboa, queimaram 25 brasileiros judeus, crentes em Yeshua, crentes em Jesus.

Jesus morreu para mim, deu o Espírito Santo para mim, para ti, para todos. A Igreja Católica não deu e não teria poder para fazê-lo. A palavra “cristão” aparece na Bíblia apenas três vezes, duas delas em Atos 11:13 e 26 e uma vez em I Pedro. E quando pergunto aos pastores de onde vem a palavra “cristianismo, eles não sabem me responder. Mas a origem é a palavra hebraica “messiânico”, que é o mesmo que seguidor de Cristo, do Messias. É preciso retornar às Escrituras. A Bíblia foi ignorada, e uma nova religião, criada, o cristianismo.

O que mais dificulta o diálogo entre cristãos e judeus?

Judeus e muçulmanos, quando ouvem o cristão falar em Santíssima Trindade, acham que ele está falando de três deuses, de adorar o Pai, adorar o Filho e adorar o Espírito Santo. Eles defendem haver somente um Deus, conforme descrito em Romanos 3: 29 a 31 e em 1º Coríntios 8:6. Eu estudo a Palavra de Deus há mais de 50 anos, sou teólogo, estudei em universidades cristãs, hebraica, estudei em grego, em inglês.

Para mim não há nenhum problema falar de Pai, Filho e Espírito Santo. E Paulo explica claramente como Yeshua é divino. 1º Coríntios 11: 3 diz: a cabeça de Jesus é o Pai, e Jesus é a cabeça do homem, e o homem é a cabeça da mulher, existe uma hierarquia! Daí o bloqueio de muitos judeus em aceitar Yeshua, mas irão aceitar. Quando passei a crer, em  1972, havia somente 50 judeus crentes em Jesus em toda a Israel; hoje há mais de 20 mil. Éramos somente três congregações messiânicas que falavam hebraico, hoje há mais de 150 delas. E esse crescimento tem sido muito grande em todo o mundo.

“As igrejas evangélicas na Europa e nos EUA, de formação protestante, estão ficando vazias”

O quanto o reconhecimento das raízes históricas e judaicas do cristianismo pode mudar essa situação?

Esta é a base da mudança. Precisamos retornar às Escrituras, ao plano original da Bíblia, para que possamos ganhar o mundo para Cristo. Se, ao invés de nos unirmos, brigarmos uns com os outros, não haverá chance. Hoje, 70% do dinheiro destinado a missões são utilizados para um cristão converter outro cristão. E muito pouco para alcançar os muçulmanos, os budistas e os judeus. Ou seja, 70% são gastos para o batista converter o metodista, o metodista converter o pentecostal, que busca converter o presbiteriano. Essa é a realidade!

Esses números são do Almanaque das Missões, publicado todos os anos nos EUA. Precisamos nos unir, entender que somos um só corpo, e a cabeça desse corpo é Cristo. E não cada pastor criar seu império privado. O cristianismo não vai sobreviver ao ataque do mundo muçulmano, ao mundo secular, ao modernismo.

Nesse contexto, qual a expectativa do senhor em relação ao nosso Estado com a realização do segundo seminário “A importância de Israel para a Igreja”?

A Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, nos contextos histórico e geográfico, trata de Israel. Não há Buenos Aires, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Washington, Tóquio ou Moscou. Tudo o que é relatado na Bíblia, na história cristã, se refere à terra e ao povo de Israel. E no fim, em Apocalipse, quando todos os salvos do mundo estiverem ao lado do trono do Cordeiro, ainda será Israel. Portanto, não dá para separar Israel do corpo de Cristo.

Paulo fala, em Efésios 2: 11; 12 e 13, que os gentios não teriam Deus no mundo, não teriam alianças, esperanças, e estariam fora da comunidade de Israel. “Agora neste tempo, com o sangue de Cristo, todos os gentios não tinham, mas com o sangue de Cristo passaram a ter”. Eles estavam longe de Deus, agora estão próximos. Isso significa que cada cristão que crê em Deus, em Jesus, na Palavra de Deus, tem o Espírito Santo em seu corpo e em seu coração.

Os gentios que são enxertados em Israel, e isso é confirmado em Romanos 11, através do apóstolo Paulo. Todas as páginas dos livros da Bíblia são conectadas com o povo de Israel, assim a Igreja precisa ver essa nação como sua origem e sua base. Israel e Igreja são conectadas, e por isso quem não crê em Jesus não pode ser salvo. A única nação que é prometida no Novo Testamento e que vai ser salva é Israel, está em Romanos 11: 25 e 26. Então não se pode negar a Palavra de Deus, que é tão clara!

O que representam as palavras de Paulo aos Romanos, segundo as quais o endurecimento de Israel não é definitivo e, ao chegar a plenitude dos gentios, “todo a Israel será salva” (Rm 11:25-32)?

Essa frase “plenitude dos gentios” existe em mais de uma vez nas Escrituras. Lucas 21:24 diz que “cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem”. Mas não vão conseguir controlar mais Jerusalém. O número de judeus está aumentando cada vez mais.

Na verdade, a primeira vez que os judeus controlaram Jerusalém foi em 1967. E apressou o processo da plenitude dos gentios. Como falei antes, quando me converti, havia apenas 50 judeus que acreditavam em Yeshua em Israel. E hoje, ao mesmo tempo em que está crescendo o número de judeus que creem em Jesus, o número de cristãos está caindo. As igrejas evangélicas na Europa e nos EUA estão vazias. O cristianismo aumenta na África, na América do Sul e na China. Há mais crentes evangélicos na China do que na América; são 80 milhões.

Joseph ShulamE quanto à possibilidade de Jerusalém se tornar a capital de Israel?

Há três mil anos, Jerusalém já é a capital de Israel. Então, não necessitamos de o presidente dos EUA, Donald Trump, falar isso. Não há problema em compartilhar com árabes e muçulmanos os lugares santos do islã; compartilhar com judeus e cristãos a santidade de Jerusalém. Donald Trump fala sem pensar, e isso é problema para nós, porque não queremos entrar em guerra com os vizinhos palestinos e árabes.

Pessoas morrem em consequência de palavras que só incitam mais problemas. Somos primos, filhos de Abraão, pertencemos a uma família. Temos irmãos árabes, crentes em Jesus. Quando há cristãos no mundo árabe, no Brasil, Paraguai, Uruguai, Patagônia, em qualquer lugar do mundo, que reconheça Jesus Cristo como Salvador, somos um só corpo de Cristo. Não importa a denominação da igreja. Creio no corpo de Cristo, um só Jesus, um só Yeshua. As coisas feitas pelos homens não valem nada, só as promessas de Deus.

“Hoje, 70% do dinheiro que se investe para fazer missões é gasto para um cristão converter outro cristão”

Israel precisa de missionários cristãos?

Não! Há 3.500 missionários cristãos oficiais em Israel. Mas, juntos, não trazem 30 judeus por ano à fé. Não são eficazes em falar do Evangelho. Vivem uma vida muito calma e rica, com o dinheiro que a igreja envia. Trazem consigo denominações, o que causa divisões. Os missionários cristãos em Israel têm usado métodos não éticos e não bíblicos para atrair pessoas às suas congregações. A melhor coisa que os cristãos podem fazer por Israel é amar judeus, palestinos e árabes, e não pregar. É muito mais eficaz orar, amar e ajudar Israel do que mandar missionário que não entende nada de judaísmo, da história do cristianismo. Israel vai ser salva, porque Deus vai cumprir Sua promessa.

No fim dos tempos, haverá diferença entre o tratamento dado por Deus à Igreja e a Israel?

Não, no fim dos tempos, todos os crentes em Jesus, de todas as igrejas, serão um só. Israel e os discípulos de Jesus em todo o mundo formam um só corpo. Não existem dois corpos de Cristo.

 

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!