Esporte, música e educação, aliados na Inclusão social

Promover o desenvolvimento de crianças e adolescentes, com base em valores éticos e cristãos, para que se tornem cidadãos íntegros e utilizem seu potencial na construção de um mundo melhor e mais justo.

Esse é o objetivo da Fundação Beneficente Praia do Canto (FBPC), entidade civil e sem fins lucrativos que atende a região da Grande São Pedro, em Vitória. Criada pela Igreja Batista da Praia do Canto em 1983, a iniciativa tem como foco ações de caráter social, esportivo e educacional que contribuem com o desenvolvimento integral de jovens em situação de risco.

Pautada em valores como transparência, compaixão e solidariedade, a Fundação atende cerca de 200 crianças atualmente, com atividades realizadas no contraturno das escolas que colaboram para que seu público se distancie da criminalidade. “Contamos com o apoio de diversos voluntários e de uma equipe própria, que se dedica exclusivamente à atenção dessas crianças, que ficam conosco dos 7 aos 15 anos”, revela Usiel Carneiro de Souza, pastor da igreja e presidente do Conselho de Administração da FBPC.

O desenvolvimento de habilidades e potencialidades acontece por meio de projetos e programas como o “Vivendo e Aprendendo”, que oferece práticas como canto, dança, música e esporte, nas quais os alunos fortalecem seus aspectos cognitivos, motores, artísticos e culturais.

Temas como cidadania, meio ambiente, saúde e convivência são tratados diariamente e integram os momentos em sala de aula.

“A região da Grande São Pedro encabeça os números relacionados a casos de abuso sexual e violência doméstica, segundo dados apresentados no último ‘Fórum Araceli’. O nosso trabalho contribui para que esses números diminuam um pouco, pois como atuamos no contraturno escolar, as crianças e os adolescentes ficam conosco em vez de estarem nas ruas. Ou seja, se eles estudam à tarde, os pais os deixam aqui pela manhã, horário em que participam de atividades, tomam café, contam com reforço escolar e ainda almoçam antes de irem para o colégio. Se estudam de manhã, é a mesma coisa, só invertemos os horários.

Não estamos fazendo isso somente para protegê-los de situações perigosas, nós queremos formar cidadãos”, acrescenta o pastor Cláudio Quintes Campos, diretor geral da Fundação.

Toda a família é convidada a participar desse processo educacional através de reuniões, atendimentos individuais, festas e comemorações. Aos adolescentes, é proporcionada uma incursão no mundo do trabalho por meio de visitas a empresas e a outros ambientes laborais que possam ampliar suas perspectivas de futuro.

Atividades

As atividades podem ser vistas em diversas frentes, e o que não falta é diversão e conhecimento, como foi observado nas oficinas de violão e ukulele, realizadas ao longo deste ano e que trouxeram benefícios como desenvolvimento motor, aumento da percepção auditiva, aperfeiçoamento da capacidade de raciocínio e melhoria na concentração.

Por meio do projeto “VidAtiva”, que aconteceu até o início do mês de setembro, a Fundação também ofereceu aulas de flauta doce, nas quais os alunos puderam aprender a tocar o instrumento, passando a conhecer

um pouco mais sobre os métodos de respiração e articulação das mãos e sobre as notas musicais. Nas aulas de percussão, destaque para técnicas e tipos de instrumentos, proporcionando o desenvolvimento da sensibilidade e a melhoria na prática da leitura através das canções em diferentes ritmos brasileiros.

Foram realizadas ainda aulas de skate, que ajudam na construção da autoestima e da visão de mundo das crianças. A prática do esporte, segundo o pastor Cláudio Quintes, colabora para o empoderamento, a esperança e a perspectiva de transformação da realidade em que estão inseridas, impulsionando-as para uma vida melhor e para o fortalecimento da concentração, da sociabilidade, do equilíbrio
e da resistência.

“Se você coloca uma criança em uma pista de skate, ela acaba aperfeiçoando suas noções de risco, algo que contribui para a sua vida como um todo. Fornecemos tênis, joelheira, capacete, cotoveleira, além do próprio skate, para que elas possam se divertir e ainda adquirir algum conhecimento sobre isso. O esporte e a música são extremamente importantes para esses jovens, que ficam com o coração aberto para mudarem suas realidades”, destaca o diretor da FBPC.

A valorização do meio ambiente também é discutida com aos alunos, que participaram recentemente de uma oficina de stand up paddle no Galpão Náutico da Faesa, com pranchas adquiridas pela própria Fundação e com outras produzidas pelos jovens, com a reutilização de garrafas pet. Também foi feito um mutirão de limpeza da baía de Vitória, em que foram recolhidas grandes quantidades de lixo.

Interação com a família

E não são só as crianças e os adolescentes que podem contar com o trabalho prestado: familiares e moradores da comunidade também acabam

tendo um retorno muito interessante com o projeto “Formação Profissional”, que disponibiliza cursos como Informática Básica, Corte e Costura, Modelagem no Vestuário, Pedreiro, Pintor e Ajudante de Cozinha, por meio de parcerias com o Sesi, o Senai e o Sesc.

O contato com a família também se destaca no  projeto “Portas Abertas”, que busca oferecer um espaço físico para que os adultos possam se divertir. “Nossa sede fica localizada em um espaço grande e conta com uma quadra coberta, ou seja, temos uma estrutura muito bacana. Como a região da Grande São Pedro não possui muitas áreas de lazer para os moradores, queremos disponibilizar o local para que todos possam se
divertir em um ambiente seguro e confortável.

Para continuar fazendo todo esse trabalho em prol da comunidade, a Fundação Beneficente Praia do Canto está em busca de novos parceiros que possam fortalecer a iniciativa, a exemplo da Universidade Vila Velha (UVV), que irá participar do projeto “Adote Uma Casa” para fazer melhorias em residências de risco. A primeira moradia a ser modificada já começou a ser estudada no mês de setembro.

“Essa iniciativa se deu através do projeto ‘João de Barro’, realizado há algum tempo e que ajudou a reformar a residência de um senhor da região. Agora estamos em um segundo momento e pretendemos atender ainda mais pessoas, como o caso de uma senhora que vive em uma situação precária”, complementou Cláudio Quintes. A FBPC também pretende voltar com o seu Projeto de Saúde, que, como nos anos anteriores, ofereceu atendimento pediátrico às crianças da Grande São Pedro.

Aqueles que desejam contribuir de alguma forma, seja como voluntário, seja com doações e parcerias, podem ir até a sede da Fundação, que fica localizada na Rua Serafim Derenzi, 5035, em São José, Vitória. Mais informações podem ser obtidas no telefone (27) 3233-1585.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!