Fernando Haddad é denunciado pelo MP pela segunda vez

Foto: Reprodução

Essa é a segunda denúncia de Haddad em menos de oito dias.

O atual candidato a vice-presidência pelo PT, Fernando Haddad, sofreu mais uma denúncia do Ministério Público do Estado de São Paulo nessa terça-feira (04). Desta vez, o ex-prefeito do município foi acusado de corrupção passiva, associação criminosa, e lavagem de dinheiro.

Segundo a denúncia, Haddad teria solicitado e recebido indevidamente da UTC Empreiteira o valor de R$ 2,6 milhões em 2013.

Esta é a segunda vez que o MP realiza uma denúncia em menos de oito dias. Anteriormente, a instituição propôs uma ação civil de improbidade administrativa contra ele.

Assinada pelo promotor Marcelo Batlouni Mendroni, o MP alegou que “[Fernando Haddad] solicitou e recebeu indiretamente, vantagem indevida de R$ 2.600.000,00. Depois, agiu por interpostas pessoas de forma a dissimular a natureza, a origem, a localização e a movimentação dos valores provenientes, direta e indiretamente, daquela infração penal”.

Delação premiada

Segundo informações, João Vaccari Neto, na época tesoureiro do PT, teria “em nome de Haddad” pedido dinheiro a Ricardo Ribeiro Pessoa, controlador da UTC Participações, para o pagamento de dívidas com gráficas responsáveis pela impressão de material de campanha do ex-prefeito em 2012.

Em 2013, Pessoa foi preso durante a Operação Lava Jato e concordou em fazer uma  colaboração premiada, firmando acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Por meio de nota, a assessoria de Fernando Haddad se manifestou dizendo que o MP se baseia em um caso sem provas.

“Surpreende que, no período eleitoral, uma narrativa do empresário Ricardo Pessoa, da UTC, sem qualquer prova, fundamente três ações propostas pelo Ministério Público de São Paulo, contra o ex-prefeito e candidato a vice-presidente da República, Fernando Haddad”, disse a nota.

*Com informações da Agência Brasil

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!