Plante ventos…

Expectativas para o novo ano
Divulgação

O ano de 2018 está chegando e, depois de tanta crise e decepções, todos aguardamos um momento melhor e com mais esperança do que os dos últimos dois.

Por mais expectativa positiva que tenhamos, nossas vidas são feitas de escolhas e decisões, e todas elas têm consequências. Na verdade, são esses efeitos que nos levam sempre a avaliar qual a melhor ou a pior decisão. Perde mais quem não avalia bem as consequências. Tem sido assim ao longo de toda a história do homem.

Desde Caim, a Bíblia está farta de exemplos de pessoas que perderam tudo por causa de atos equivocados. A Palavra registra com detalhes como homens e mulheres especiais tomaram resoluções erradas, trazendo consequências tremendas. Sara, por exemplo, ofereceu uma escrava para que a promessa de Deus se realizasse com Abraão, um feito que repercute até hoje.

Como diria Arnaldo: a regra é clara! Paulo avisou que “não adianta torcer o nariz para Deus ou querer ignorá-lo ou responsabilizá-lo, pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6:7-8). Você semeou corretamente em 2017? Então, terá uma boa colheita em 2018. Semelhantemente às leis da natureza, essa também não se quebra. Se você não avaliou bem as consequências de suas decisões, o resultado será catastrófico. Mas, de todas as determinações tomadas, a maior catástrofe é não ser encontrado fiel; é negligenciar seu chamado; é sua falta de compromisso com Deus. Cuidado com o que você está plantando…

Pr. José Ernesto Conti


A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.