Família tem livramento em fuga de extremistas

Depois de duas horas no pequeno barco, à noite, as coisas começaram a dar errado. O motor da embarcação parou e os passageiros estavam vulneráveis a um afogamento

Com suas duas filhas pequenas, Saad Golan, de 38 anos, entrou em um pequeno barco no Mar Mediterrâneo para fugir do Estado Islâmico no Iraque em agosto de 2014, mesmo com todos os riscos que essa fuga envolvia.

“Fomos forçados a sair. Se nós ficássemos, seríamos forçados a se converter ao Islã”, Saad contou ao site Christian Today.

O custo para atravessar o Mediterrâneo em um pequeno barco era alto. Por isso, a esposa de Saad, Fida, resolveu ficar na cidade de Arbil trabalhando como professora, para enviar parte de seu salário a Saad e suas filhas, e cuidar da avó de Saad no Iraque.

Depois de duas horas no pequeno barco, à noite, as coisas começaram a dar errado. O motor da embarcação parou e os passageiros estavam vulneráveis a um afogamento. “A água começou a entrar no barco. Estávamos usando coletes salva-vidas, mas a gente não tinha chances. Pensamos que poderíamos morrer. Eu tinha conexão com a internet, então liguei para Fida”, conta Saad.

Fida nunca se esqueceu daquele telefonema. “Ele me ligou e disse para eu cuidar de sua avó, perdoá-lo e mandar um abraço para todos. Eu disse a ele: ‘Deus estará com você. Deus vai te salvar’”, lembra a esposa.

“Eu comecei a orar por eles e pedi a Deus para salvá-los e ajudá-los. Então eu publiquei fotos deles no Facebook e as pessoas começaram a orar por eles. Eu perdi a conexão do telefone com eles. Eu só fiquei orando a Deus”, completa Fida.

Naquele momento, Saad afirma que Deus fez um milagre nele. “Eu ouvi Ele me dizendo que eu não deveria ter medo, que Ele estava comigo. Mas eu não me importei com o que ouvi. Eu pensei: ‘Como Você está comigo, quando estou nesta situação ruim?’ Depois de uma hora, a polícia veio e nos salvou”, relata Saad.

Tudo de novo

Hoje, a família vive em uma pequena cidade na Jordânia com uma rotina tranquila — as crianças vão para a escola e Fida presta apoio a refugiados traumatizados através dos textos bíblicos. “A Palavra de Deus funciona melhor do que qualquer outro tipo de cura. É poderosa. Há esperança nas palavras da Bíblia, que nos dá força”, afirma.

O casal reconhece que estão vivos por causa da proteção de Deus. “Eu sei que Deus respondeu às minhas orações, especialmente quando meu marido e minhas filhas estavam no meio do oceano. Quando saímos da nossa cidade, Ele nos protegeu. Ele nos ajudou quando chegamos aqui. Ele supriu todas as nossas necessidades”, reconhece Fida.

Saad não pensa de forma diferente. “Quando eu ouvi Jesus dizendo: ‘Eu estou com você’, isso me incentivou por um instante. Mas eu pensava que era impossível ser salvo naquele oceano”, reconhece. “Graças a Deus, Ele me deu a chance de viver novamente com minhas filhas e dizer às pessoas que Jesus ainda está fazendo milagres”.