Uma família resiliente

Foto: Reprodução

Como preparar a sua família para superar um momento de desafios

Uma experiência destas de “tempestade”, mais cedo ou mais tarde, de alguma forma, atinge grande parte das famílias. Provavelmente você já passou por um momento destes. Às vezes, vêm com o desemprego, com um problema de saúde, de vício na família, violência, conflitos ou decepções. Se o surgimento de uma “tempestade” destas, em algum momento, é praticamente certa, a forma pela qual lidamos com a situação pode ser bem diversa.

Resiliência é uma palavra que a psicologia tomou emprestado da física. Conforme a definição de Froma Walsh, professora na Universidade de Chicago, EUA, a resiliência, no contexto das habilidades humanas, é “a capacidade de se renascer da adversidade fortalecido e com mais recursos. É um processo ativo de resistência, reestruturação e crescimento em resposta à crise e ao desafio” (Walsh, 2005. pg 4). Descreve então a melhor forma de lidar com crises e superar dificuldades.

É interessante que, de acordo com os estudos de Walsh, os fatores que mais contribuem para nos ajudar a superar as tempestades que surgem não são de ordem genética, isto é, hereditário, ou uma capacidade individual intransferível de algumas pessoas bem afortunadas. Pelo contrário, são atitudes e comportamentos bem práticos e facilmente aprendidos. Isto significa que mesmo que não vejamos nenhuma nuvem no horizonte, podemos fortalecer a nossa família para que ela esteja melhor preparada para o que quer que venha enfrentar mais adiante.

A partir da leitura dos achados de pesquisas na área formulei alguns hábitos e atitudes que fortalecem a resiliência familiar. Eu vibro quando vejo na literatura técnica e nos estudos científicos fatos que a Bíblia já descreve. E obviamente muitos destes pontos são desta categoria. Então, se tanto a ciência quanto a Bíblia estão nos apontando o caminho, o que falta para colocarmos isto em prática? Estabeleça hoje a meta de fortalecer a sua família por meio dos seguintes atitudes e hábitos:

Atitudes para uma família mais resiliente

1. Em toda circunstância expresse a sua confiança em Deus.
“Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”

2.  Assuma a responsabilidade por fazer tudo que está ao seu alcance para criar as  mudanças que você deseja ver na vida da sua família.
Não se permita dar desculpas quando você ainda não fez tudo que está ao seu alcançe. Atribui-se ao autor Charles R Swindoll a frase: “Todos estamos de frente com grandes oportunidades brilhantemente disfarçadas como situações impossíveis”. “Olha pelo governo de sua casa, e não come o pão da preguiça” (Pv 31:27)

3. Alimente conscientemente o sentimento de equipe e de pertencimento na sua família.
Distribua tarefas aos seus filhos de acordo com a idade e a capacidade de cada um e imprima na consciência de todos a idéia de que “aqui em casa todo mundo se ajuda porque somos uma família”. Quando trabalhamos juntos criamos sentimentos de companheirismo e cooperação. Programe atividades de lazer em família para reforçar a interação e para criar memórias e experiências compartilhadas.

4. Crie estabilidade através de rotinas e tradições que se repetem.
Estas repetições diárias, semanais ou de épocas específicas durante o ano, transmitem valores, dão às crianças uma sensação de que a vida é previsível e segura e oferecem oportunidades para estar juntos e expressar cuidado e carinho.

5. Assuma a sua autoridade como pais dentro de casa.
Isto não significa autoritarismo; mas responsabilidade. Crianças precisam de limites para se sentirem protegidas. Estabeleça consequências para os erros mais frequentes dos seus filhos. Não decida sobre a disciplina baseado na intensidade de seu sentimento, mas tenha um esquema pré estabelecido em que é descrito qual será a consequência para os atos. Não utilize consequências severas, apenas constantes e previsíveis. Mantenha a calma e aplique a consequência.

6. Cultive a conversa aberta e transparente sobre pensamentos e sentimentos, especialmente em tempo de desafios.
Permita que opiniões sejam expressas, é claro que de forma respeitosa, às pessoas.

7. Não tenha medo de permitir que os seus filhos passem por frustrações.
Pelo contrário, treine até mesmo as crianças pequenas na arte de saber esperar. Crianças pequenas não têm talento nato para paciência e por isso esta habilidade precisa ser cultivada.

8. Tempere o clima na sua casa com bom humor.
Seja irreverente com o seu próprio sofrimento. Quando conseguimos ver o lado cômico de uma situação difícil isto tem o efeito imediato de cortar um pouco de seu efeito e nos dá distância para pensar melhor sobre o que está acontecendo.

9. Esteja integrado na sua comunidade, na sua igreja e no seu grupo de amigos.
Leve a sua família a interagir com outras famílias. A vida é mais leve quando a carga é compartilhada. Deixe cair as fachadas, compartilhe com pessoas da sua confiança as dificuldades que está enfrentando. Para sua surpresa pode descobrir que você não detêm a patente daquele problema. Compartilhe também as conquistas e o que te dá alegria. Outra pessoa pode estar precisando ver as coisas de um ponto de vista mais positivo. Espero que algumas destas dicas sirvam para auxiliar você a tornar a sua família ainda mais forte. Que Deus lhe ajude a fazer a sua parte e a entregar a Ele o que somente Ele pode fazer.

Veja

*Com informações da PIB Goiânia (GO)


Leia mais

Seu Ninho Vazio é a Oportunidade de Deus
A Inversão de valores na sociedade
Os primeiros passos da vida cristã

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!