Eu não consigo parar de sonhar

Eu não consigo parar de sonhar, pois minha mente funciona como a engrenagem de um relógio. Se o relógio para de produzir a hora certa, ele perde seu propósito; se minha mente para de produzir sonhos, ela morre. Eu não consigo parar de sonhar, pois os sonhos são o combustível do meu coração. Se o coração para de bombear sangue para manter o corpo vivo, ele perde o seu propósito, e a vida chega ao fim. Da mesma forma, se minha mente parar de produzir sonhos, e meu corpo cai numa vida rotineira e de mesmice, a vida deixará de ter sentido.

Eu não consigo parar de sonhar, pois os sonhos são o alicerce dos meus propósitos de vida. Se os meus propósitos de vida não me levarem a realizar algo significativo, que cause impacto na vida das pessoas e que ajude a mudar um pedacinho do mundo, parece que estou vivendo somente para os meus interesses. Se vivo somente para os meus interesses, tudo que conquistei pode ser destruído pelo fogo, e nenhuma semente ficará na vida de outras pessoas para se multiplicar.

Eu não consigo parar de sonhar, pois os sonhos são a alegria e a esperança da minha vontade de viver cada novo dia. Se os meus dias começam sem alegria e esperança, não valerá a pena vivê-los, e o tédio será sua marca maior. Mas se existe uma parte de um sonho a ser realizada a cada dia, o coração palpita de esperança e não de estresse, a ansiedade do corpo é por realizar e não por estar deprimido, e o cansaço é por ter realizado e não por ter ficado parado.

Eu não consigo parar de sonhar, pois a realização dos sonhos são o alimento dos meus dias, semanas e meses. Quando não se vive para realizar sonhos, o tic-tac do relógio é apenas um barulho irritante que lembra que as horas não passam. Quando se vive para realizar sonhos, o tic-tac do relógio lembra que daqui a alguns dias, semanas e meses tudo será diferente, coisas novas terão sido construídas, sonhos que estavam apenas na mente terão se tornado realidade.

Eu não consigo parar de sonhar, pois os sonhos dão a direção da minha visão de futuro. Eu nem conseguia imaginar o que faria daqui um ano ou cinco anos, e de repente, a máquina dos sonhos da minha mente começa a funcionar e me leva para mundos que nunca imaginei, ajuda-me a ver coisas que nunca foram criadas, desafia-me a fazer coisas que as pessoas imaginam que é impossível. Pronto, estão definidos os meus caminhos e a minha visão de futuro. Os planos começam a borbulhar, as realizações começam a me fazer levantar entusiasmado a cada dia, a vida passa a ter sentido.

Eu não consigo parar de sonhar, pois os sonhos são a vacina que me dá o antidoto contra as bactérias dos pessimistas ou frustrados que querem me contagiar. Todos os dias eu cruzo com alguém que pode me infectar com o desânimo, a falta de fé, a reprovação ou o medo do futuro. No entanto, os sonhos me fazem acreditar quando ninguém acredita, dão-me certeza de que o que não existe existirá e mantêm a saúde da minha perseverança sólida para realizar o que sonhei.

Eu não consigo parar de sonhar, pois os sonhos são o alicerce sólido da minha perseverança. Assim como uma casa sem alicerce sólido pode rachar ou desmoronar, quem pode perseverar naquilo que não consegue enxergar? Os sonhos me ajudam a ver um futuro que não existe, mas a perseverar num presente que precisa ser vencido para se chegar lá. Os sonhos me ajudam a perseverar em relação àqueles que não acreditam que é possível.  Os sonhos dão base para a perseverança, para que depois tudo se torne realidade.

Por tudo isso, eu não consigo parar de sonhar.

Josué Campanhã

Compartilhe