Escolas de todo o país terão currículo unificado

Um currículo único para escolas de educação básica de todo país. Essa é a proposta da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), uma ferramenta que, está sendo elaborada, e vai ajudar a orientar o que precisa ser ensinados em Matemática, Linguagens e Ciências da Natureza e Humanas nas mais de 190 mil escolas de Educação Básica do país, públicas ou particulares.

A BNCC é considerada fundamental para reduzir desigualdades na educação no Brasil e países desenvolvidos já organizam o ensino por meio de bases nacionais. A ideia é que com o documento, o país possa inverter o processo e garanta maior equidade no acesso aos conteúdos considerados essenciais.

Para o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha, “a BNCC é um avanço na longa luta para melhorar a educação brasileira. Mas sem uma implementação cuidadosa, o avanço duradouro na qualidade das escolas da educação básica não será alcançada”.

O processo de elaboração da BNCC teve início em 2014 e no segundo semestre de 2015, o MEC disponibilizou a primeira versão do documento, que é a diretriz do currículo escolar. A partir daí, foi dado início ao debate sobre a proposta preliminar da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Para a elaboração da segunda versão, foram analisados mais de 12 milhões de contribuições de professores, estudantes, responsáveis e associações científicas de todo o país. Foram disponibilizados três canais de participação: individual, escola e instituição. Atualmente, o currículo nacional passa por discussões em seminários. No planejamento atual, a terceira versão será considerada a final e será disponibilizada em 2017.

“A Base Nacional é um importante instrumento para a redução das desigualdades educacionais. Ela será um parâmetro importante para os sistemas educacionais, as escolas e os professores, terão um importante instrumento de gestão pedagógica”, destacou o secretário.

Seminário estadual
Uma nova fase no processo de construção coletiva da BNCC encontra-se em andamento: os seminários estaduais, voltados para debater a segunda versão da BNCC.

No Espírito Santo, o seminário será realizado nos dias 02 e 03 de agosto, no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Foram ofertadas 296 vagas destinadas aos que participaram da discussão dos documentos preliminares e contribuíram na consulta pública, realizada entre setembro de 2015 a março de 2016.

As inscrições podem ser feitas até quinta-feira (21). Para se inscrever, basta enviar os documentos necessários, informados no edital, para o e-mail seminarioesbncc@gmail.com.

Os participantes ficarão responsáveis por analisar a segunda versão do documento preliminar da BNCC, propondo alterações, supressões e acréscimos ao texto.

A partir desses encontros, que estão ocorrendo em todos os estados brasileiros, serão sistematizadas as contribuições e desenvolvidos relatórios para o Ministério da Educação (MEC) até o final de agosto.

Base Nacional Comum Curricular
A Base elenca os conhecimentos essenciais, aos quais todo estudante brasileiro tem o direito de ter acesso e de se apropriar, durante a trajetória na Educação Básica, ano a ano, desde o ingresso na Educação Infantil até o final do Ensino Médio. Com a Base, os sistemas educacionais, as escolas e os professores terão um importante instrumento de gestão pedagógica e os pais ou responsáveis poderão participar e acompanhar mais de perto a vida escolar de seus filhos.

O documento também propõe que parte do ensino das disciplinas seja variável conforme as demandas regionais de cada parte do país. A Base cobre cerca de 60% do conteúdo do currículo, os outros 40% serão de responsabilidade das redes municipais e estaduais.

A Sedu compõe a Coordenação Estadual de Mobilização, que organiza o processo de discussão no Espírito Santo, visando ao aprimoramento da proposta de criação do documento final.

Compartilhe

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!