Encontro das Coreias – Uma nova história de união e paz

Líder norte-coreano, Kim Jong Un, e o presidente do sul, Moon Jae-in, Foto: Reprodução Web

Após 65 anos, os dois países  selam acordo de paz. Kim é o primeiro líder da Coreia do Norte a cruzar fronteira desde 1953.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, e o presidente do sul, Moon Jae-in, sentaram-se em uma mesa oval para iniciar o encontro entre os dois países nesta sexta-feira. O encontro, no prédio da Casa da Paz, no lado sul da Zona Desmilitarizada que divide as duas Coreias, é a terceira cúpula desde o fim da Guerra da Coreia, em 1953.

Foi um encontro histórico mundial. Até há pouco tempo seria inimaginável que os líderes das duas Coreias se unissem para tentar estabelecer a paz na península e o fim do programa nuclear promovido pelo governo de Pyongyang.

Foi o início de uma nova era de paz. “Uma nova história começa agora, no ponto inicial da história e na era da paz”, apontou a mensagem que Kim escreveu em um livro de visitas no local da cúpula da Casa da Paz, no lado sul da Zona Desmilitarizada que divide as Coreias.

Kim é o primeiro líder norte-coreano a entrar no sul desde a Guerra da Coreia, há 65 anos. Trata-se da terceira reunião intercoreana, após os encontros celebrados em Pyongyang em 2000 e 2007, e marca um ponto de inflexão após a aproximação diplomática que se seguiu a um período de alta tensão na península.

Mudança

Tudo mudou em Janeiro, quando Kim mostrou abertura para dialogar com a Coreia do Sul durante seu discurso de Ano Novo. O ditador norte-coreano anunciou que estava disposto a enviar uma delegação aos Jogos Olímpicos de Inverno, que seriam realizados em Fevereiro em PyeongChang, no país vizinho.

Mas uma figura essencial neste processo é o presidente sul-coreano, que chegou ao poder em maio de 2016, disposto a conversar com a Coreia do Norte, revertendo a postura adotada por sua antecessora, Park Geun-hye, que foi presa por corrupção.

Declaração de outros países

China, Japão e Rússia deixaram de lado a histórica discordância diplomática sobre as tensões na pensínsula coreana para celebrar o acordo de paz firmado entre Coreia do Norte e Coreia do Sul.

O presidente americano, Donald Trump, elogiou o progresso. Mas disse que é preciso  cautela com o processo. “Depois de um ano furioso de lançamento de mísseis e testes nucleares, um encontro histórico entre as Coreias do Norte e do Sul agora fala de paz. Boas coisas estão acontecendo, mas apenas o tempo vai dizer!”, disse Trump pelo Twitter.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!