É tempo de intimidade com Deus

Manter um relacionamento constante com o Pai é a melhor forma de se encontrar tempo para a realização de todas as tarefas do cotidiano. Afinal, é preciso buscar “primeiro o Reino de Deus”.

Em meio à correria do dia a dia, é bastante comum ouvir a frase “Não tenho tempo!”. E não por acaso, tal afirmação também tem sido dita quando o assunto é relacionamento com Deus. Isso porque muitos priorizam suas tarefas domésticas, o trabalho, os filhos, a vida social, entre outras coisas, e acabam deixando o tempo com o Pai em segundo plano.

A Bíblia diz, em Mateus 6:33, que é preciso buscar “primeiro o Reino de Deus, e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. Porém, o contrário dessa atitude, deixar de lado a dedicação a Ele, também traz consequências não agradáveis.

A assistente social Eliane Rocha, 31 anos, está entre os exemplos de que é preciso saber equilibrar todos os setores da vida, dando prioridade ao Mestre, a fim de obter êxito.

“Sempre fui engajada nas atividades da igreja, desde que me converti, em 2000. Em 2004, comecei a namorar, entrei na faculdade e conheci novos amigos. Com isso, fui deixando da lado todas as tarefas relativas à igreja e passei a dar espaço somente para o namorado, os estudos e os amigos. Deixei de frequentar os cultos, de ler a Bíblia todos os dias e de ter tempo para orar. Isso tudo fez com que minha vida espiritual ficasse enfraquecida. Cheguei a sentir que estava perdendo a fé. Quando menos esperava, todas aquelas novidades – namorado, amigos, escola – começaram a ficar pouco interessantes e até mesmo me deixando entristecida. Como minha vida espiritual não estava fortalecida, fiquei abalada. Então, não pensei duas vezes e decidi que a partir daquele momento colocaria o Senhor em primeiro lugar novamente. Com o fortalecimento nEle, tudo passou a ficar mais fácil. Atualmente, faço mais atividades do que fazia naquela época, tudo de forma saudável. Isso porque coloquei Jesus em primeiro lugar”, contou.

Gustavo Lordêllo Buaiz, 40 anos, bancário, é outro que passou por dificuldades por conta do pouco tempo que reservava para Cristo. “Há nove anos, quando não conhecia Jesus, trabalhava 16 horas por dia no intuito de ser bem-sucedido. Mas o que consegui foram apenas dívidas, divórcio, síndrome do pânico, entre outros problemas. Porém, como Deus nos ama, nesse tempo de desespero, fui alcançado por Ele. Minha vida mudou e aprendi: de que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?”. Participei de vários cursos, congressos, retiros para me capacitar e trabalhar na obra de Deus. Hoje, trabalho sete horas por dia, tenho uma esposa maravilhosa, três filhas, tempo para a família e para a igreja e, principalmente, para orar e buscar a direção de Deus.

E o melhor, não me falta nada, pois Ele provê todas as coisas”, revelou. O psicólogo Timóteo Souza Ferreira, 32 anos, explica que se identifica como cristão desde o ventre de sua mãe. Mesmo assim, não se dedicou “como deveria” ao Senhor. “Cresci num ambiente de adoração, confiança e vivenciando vários milagres operados por Deus na minha família e na minha vida. Porém, em vários momentos me peguei desestimulado na igreja, pois a rotina parecia massacrante. Fiz parte do grupo de louvor, mas não tinha vontade de cantar. Participei pelo status e por não querer dar motivo para os meus irmãos me questionarem. Já fiquei várias semanas sem ler a Bíblia, sem orar, sem me consagrar a Deus, vivendo uma rotulação de santidade que não existia, apenas um buraco na minha vida.

As coisas começaram a mudar quando fui participar de um grupo de oração na casa de um amigo. Senti algo diferente e vi Deus falando exclusivamente comigo, no meio de várias pessoas. O ponto alto da mudança foi quando minha mãe foi hospitalizada por problemas de saúde e presenciei o milagre acontecendo cada dia na vida dela. Hoje, consigo acordar e fazer meu devocional, ler a Bíblia, ter um coração mais grato a Deus, apesar de a rotina de estudo, trabalho e família ser muito intensa. Enxergo como é imprescindível estar ligado a Deus, mesmo nos momentos de grandes dificuldades. Vejo Sua mão me conduzindo, me guardando”.

Diante de tantas situações que comprovam a importância do tempo para Deus, o pastor Diego Bravim, diretor-geral da Convenção Batista do Estado do Espírito Santo, comenta que “na vida, precisamos de momentos específicos e espaços para refletir sobre projetos e ideais. Com Deus não é diferente, o tempo com Deus é o que determina. Por isso, Jesus, em alguns momentos, disse ‘permaneçam em mim’. Esse permanecer tem relação com reservar tempo para Ele”, explicou.

O pastor e mestre em Teologia Usiel Carneiro afirma que o tempo para Deus será sempre um momento para nós mesmos. “É na busca por Ele que mais nos encontramos. Não porque Ele seja um tipo de ‘eu’, como alguns chegam a pensar, mas porque somos resultado das ideias de Deus, criados a Sua imagem e semelhança. Em certo sentido, aprendemos a ser humanos com Deus”.

Para que esse tempo para Cristo aconteça planamente, é preciso, segundo Usiel, de intimidade com o Mestre. “Tudo na vida começa com o perdão amoroso que Deus nos oferece por meio de Cristo. A vida cristã é a vida de alguém perdoado. Intimidade com Deus é algo que não se conquista, mas se recebe como dádiva. Quanto mais entendemos o quanto somos amados e respondemos a esse amor com entrega, Deus torna-se mais claro para nós, percebemos mais Sua presença e sentimos mais Sua influência. Talvez seja isso que possamos chamar de intimidade”.

Além da intimidade, é preciso dar prioridade ao Pai. Segundo o pastor Usiel, normalmente, as pessoas não mudam até que sintam dor por aquilo que fazem. “Por outro lado, quando verdadeiramente experimentamos a manifestação do amor de Deus, somos conquistados para uma jornada de convivência com Ele em que cada momento reveste-se da santidade de Sua presença. Como mudar? Escolhendo mudar. Decidindo submeter-se ao maior de todos os preceitos: amar a Deus mais que tudo. Esse é o primeiro passo que nos levará a muitos outros”.

O pastor Diego lembra que essa prioridade é extremamente importante. “Vivemos em um mundo imediatista, relativista e mecanicista o qual exige do indivíduo respostas para sua afirmação no contexto sociocultural e econômico, por isso temos adolescentes e jovens a cada dia mais presos aos estudos e também ao trabalho. Ocupações e mais ocupações se tornaram estratégias do inimigo de nossas almas para causar esfriamento e distanciamento da Igreja em relação à fé. A criatura tem necessidade do Criador; a maneira de supri-la não está relacionada a modelos, e de forma alguma em pacotes de espiritualidade, mas está centrada em decisão de mudança de hábito e de comportamento”, conta, lembrando que todos precisam de estabilidade, principalmente diante dos novos desafios em todos os âmbitos da sociedade. “Porém, buscar primeiro ou estar primeiro com Deus e no Reino de Deus é o que trará consistência e uma vida firme e equilibrada”.

Administração do tempo
Diante de tantas incógnitas, muitos se perguntam: “Exercitar a vida devocional é o caminho? Como ter tempo de qualidade com Deus?

O mestre em teologia Usiel Carneiro, afirma que devoção é dedicação. “Ela é certamente o caminho. Apenas temos que entender que vida devocional não é o culto doméstico, por exemplo. Pode envolver isso, mas é mais do que isso. Vida devocional é manter-se em devoção a Deus ao longo do dia. O momento devocional, por exemplo, o culto doméstico, deve nos fortalecer para isso, para a vida devocional. Minha sugestão é iniciar o dia em silêncio e se envolvendo com a presença de Deus. Sugiro uma leitura e reflexão nas Escrituras, não como uma ‘vitamina espiritual’, mas como um momento de avaliação de si mesmo, da vida que temos vivido. Sugiro orar, não para pedir coisas, não para pedir bênçãos, mas para se relacionar com Deus, para falar de si mesmo, do que sente, do que dói, do que acredita, e pedir a Deus sabedoria para mudar”, ressalta.

Já o pastor Diego indica a “alimentação da fé”. “O relacionamento com Deus se dá como a vida, que precisa de oxigenação, alimento e cuidados que ofereçam saúde ao indivíduo. A caminhada com Deus precisa ser alimentada por fé, palavra, oração, comunhão.

Dedicar pelo menos uma hora diariamente ao Senhor trará benefícios impressionantes. Fazer a leitura de bons livros que fomentem ou despertem para a busca de um avivamento e discipulado pode nivelar a visão do homem ao Criador”.

A matéria acima é uma republicação da Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.