É perigoso ser grande

É perigoso ser grande
Jorge Linhares é pastor presidente da Igreja Batista Getsêmani, sediada em Belo Horizonte/MG

“E disse Deus: façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.” Gênesis 1:26

Deus criou o homem à sua imagem e semelhança para que desfrutasse do melhor da Terra. Concedeu-lhe bênçãos, capacitando-o para alcançar todos os desejos de seu coração. Mas o ser humano, muitas vezes, não consegue visualizar nem valorizar o lugar de destaque que ocupa na vida e começa a se achar poderoso demais. Fazendo um passeio pela “timeline” da Bíblia, vamos encontrar personagens que foram muito valorizados por Deus e que não se deixaram levar pela soberba, a exemplo de Moisés, Josué, Calebe, Naamã, entre tantos. Outros, no entanto, estribaram-se em sua grandeza e caíram, morreram nas mãos dos inimigos, como Saul e Sansão.

Moisés e Calebe agiam baseados na fé que tinham em Deus, porque compreendiam os propósitos divinos. Apesar das circunstâncias, eles confiaram em Deus porque sabiam que, se o Senhor os tirara da escravidão do Egito, era também poderoso para libertá-los dos inimigos e levá-los à Terra Prometida. Todavia, confiar em Deus quando se sente grande e vencedor é fácil.

O problema é quando as pessoas se julgam autossuficientes demais e relaxam na fé, SE esnobam, menosprezam os outros. Seguir a Deus, obedecer os seus mandamentos, amá-lo quando tudo vai bem também é fácil. Normalmente, pessoas pequenas fazem isso. No entanto, seguir a Deus quando as coisas não estão bem, e aguentar firme na hora das provações, é somente para quem está preparado para ser grande.

Ainda que o Senhor tenha nos criado para sermos grandes, não nos tornamos bem-sucedidos instantaneamente. Há todo um processo a ser respeitado. Os israelitas não conquistaram a Terra Prometida de um dia para o outro. Foram mais de 400 anos de lutas, provações e guerras, desde que saíram do jugo do Egito. Contudo, Moisés, que fora escolhido para libertar o povo, acreditou na promessa de Deus e não se estribou no fato de ser ele o líder daquele povo. Ao assumir o lugar de Moisés, Josué também não se orgulhou do fato de ser grande, mas, juntamente com Calebe, conduziu o povo para a conquista da terra que fora prometida pelo Senhor.

Concluímos que, ainda que tenhamos sido criados à imagem e semelhança de Deus, ainda que conquistemos posições privilegiadas na vida, não podemos nos esquecer de manter a humildade de coração, porque a soberba ou o orgulho de ser grande pode levar uma pessoa à bancarrota, à desmoralização e ao deserto. Precisamos, sobretudo, confiar e esperar somente em Deus, aceitar e seguir seu filho unigênito, para que não apenas conquistemos a Terra Prometida, mas permaneçamos nela até a volta de Jesus.


Jorge Linhares é pastor presidente da Igreja Batista Getsêmani, sediada em Belo Horizonte/MG. Atualmente, preside também o Conselho de Pastores do Estado de Minas Gerais. É bacharel em História e Teologia e pós-graduado em Administração e Gestão Empresarial. Autor de 240 obras literárias, Jorge Linhares é também conferencista internacional, tendo ministrado em vários países da América do Sul, América do Norte, Europa e África.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!