Documentos de Lutero são incluídos entre os patrimônios mundiais

Martinho Lutero foi uma das figuras centrais da Reforma Protestante, indo de encontro aos dogmas da Igreja Católica Romana e abrindo os olhos do povo através de suas 95 teses.

No dia 18 de março, seus 14 escritos foram incluídos pela comissão alemã da Unesco na lista de Patrimônios Mundiais que inclui itens autênticos, únicos e de relevância internacional, como as partituras de um compositor famoso ou o diário de Anne Frank.
Entre os escritos de Lutero incluídos na lista estão cartas e impressões originais, como a Bíblia de Lutero escrita em hebraico e um cartaz com suas 95 teses que desafiavam a ideia de penitência da Igreja Católica, a autoridade do Papa e a venda indulgências. Segundo Johanna Wanka, ministra alemã da Educação e Pesquisa, os escritos de Lutero influenciaram o desenvolvimento da sociedade durante séculos.
Os certificados de Patrimônio Mundial foram entregues por Christoph Wulff, vice-presidente da comissão alemã da Unesco, aos diretores das 11 instituições responsáveis por preservar os documentos. A cerimônia aconteceu no Museu Lutherhaus, na cidade Wittenberg, Alemanha, cidade onde as 95 teses foram escritas.
O Instituto Leibniz de História Europeia, responsável pela nomeação dos escritos escolhidos, declarou que a inclusão dos documentos de Lutero na lista de Patrimônio Mundial mostra como um impulso religioso conseguiu desencadear um profundo processo de transformação. A ministra Johanna Wanka ainda ressaltou que o ato tem ainda mais peso por ter sido oficializado um ano antes do aniversário de 500 anos da Reforma Protestante.