Dinheiro, uma terapia ou uma dor de cabeça?

Olhar e apreciar as vitrines… Normalmente isso pode ser colírio para os olhos de todos; ter o produto visto na vitrine em nosso poder ocasionará mais satisfação ao nosso desejo de querer consumir; usar o produto visto e comprado da vitrine poderá revelar um sonho realizado ou um pesadelo a perder de vista.

A vitrine do dinheiro é fascinante por ser a passarela que encanta a todos os seus admiradores. Através dela, saberemos o que fazer nas lojas tentadoras dos shoppings e de outros lugares, pois mesmo o dinheiro sendo “o principal queridinho mundial”, precisamos estar com os pés e a cabeça firmados na maravilhosa companhia da sabedoria e do bom senso, a fim de não levar um tombo diante da vitrine que a todos fascinam… dinheiro, que pode ser um grande aliado, ou um grande inimigo

A vitrine do dinheiro é linda, charmosa e cobiçada por todos. Não é pecado gostar dela. Afinal, tem suas muitas qualidades, por isso, nos quebra muito “galhos e até muitas árvores”.

O “vil metal” pode ser de muita utilidade, como de muita futilidade! Na ótica divina, é bênção (Ag 2:9); para outros uma terrível maldição (I Tm 6:9-10). Sucesso na vida de tantos; fracasso, falência do outro lado da vitrine da vida. Céu, na vida de uma pequena fatia da humanidade; inferno na mente e no coração de uma multidão sem fim.

A grande questão não está nos problemas que o mundo sofre envolvendo ao dinheiro, e sim, no modo como podemos mudar esse caos financeiro? Devemos aprender que se trata também de uma dádiva de Deus. Como Adão precisava cuidar do jardim do Éden, assim também nós devemos fazer com o dinheiro. Há algum tempo uma música fez um grande sucesso no Brasil. Um dos seus versos dizia: “dinheiro na mão é vendaval”.

Eu diria que dinheiro na mão de um homem equilibrado não é nada mal. Se abrirmos o coração com amor e generosidade para o reino de Deus e o próximo, deixando que o Eterno venha dirigir os nossos recursos financeiros, certamente Suas mãos vão se abrir a nosso favor. Chuvas torrenciais materiais cairão sobre nós, ou enxurradas de “tsunamis de falências econômicas” (Dt 28:1-14). O que fará a diferença? A sua decisão, a de obedecer à Sua palavra ou não (Dt 28:15-68); do contrário, não adianta “chorar o leite derramado”. Dinheiro é uma vitrine de encher os olhos, tem a capacidade de colocar “água na boca” de qualquer mortal. De fato, é fascinante. Não é de hoje que as moedas exercem encanto sobre os homens. Li que os gregos antigos, sensíveis à beleza de suas próprias moedas, já constituíam coleções.

Enquanto viajava de Portugal ao Brasil, percebi no vídeo o mapa que me garantia a rota que o avião seguia. A seta indica que ele tem um alvo e que já partiu. O piloto sabe que o destino final é a terra brasileira. É exatamente isso que você precisa fazer agora! Entre na “aeronave” do manual do fabricante, a Bíblia,

e tenha uma boa viagem! Sem turbulências, dentro de pouco tempo, você chegará ao seu destino final que é o aeroporto “Dinheiro, uma vitrine que fascina”, que nos ensinará, ser algo precioso, importante e necessário, como também perigoso, fascinante e “assassino”. Olhe, observe bem todas as passagens alusivas sobre o dinheiro na Bíblia; são mais de 2.095. Faço votos que ao término dessa “viagem,” na Palavra de Deus, você possa continuar gostando do dinheiro. Ele é tão interessante que um pensador afirmou: O cachorro só é o melhor amigo do homem porque não conhece o dinheiro”.

Ivonildo Teixeira é pastor fundador da Igreja do Nazareno no Estado do Espírito Santo. Casado e Pai de duas filhas. Palestrante na área de finanças bíblicas e autor de 37 obras publicadas

Compartilhe